Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Site oficial traz cronologia sobre resposta da Igreja a casos de abusos e disponibilizará as intervenções que forem feitas no encontro

Momentos de escuta, de oração e também de transparência. Esse deve ser o tom do encontro que acontece nesta semana, de 21 a 24 de fevereiro no Vaticano, sobre a proteção de menores na Igreja, convocado pelo Papa Francisco. A novidade apresentada nesta segunda-feira, 18, em coletiva de imprensa, foi um site oficial que reúne todas as informações sobre o encontro; também as colocações que forem feitas nos dias de reunião serão disponibilizadas ao público nesta página.

Ao todo, 190 participantes estarão reunidos, sendo 114 bispos que estão à frente das conferências episcopais, exercendo uma ponte entre o Vaticano e cada diocese espalhada pelo mundo.

Os trabalhos serão mediados pelo padre Federico Lombardi, que já foi diretor da Sala de Imprensa da Santa Sé. Presente na coletiva de hoje, ele explicou que, nos três primeiros dias, os temas em destaque serão responsabilidade, prestação de contas e transparência.

Ao longo dos quatro dias de encontro, que contará com a presença do Papa Francisco, os bispos poderão apresentar suas dúvidas e partilhar sobre a responsabilidade, tudo em clima de oração. Eles terão acesso também a testemunhos de vítimas de abuso.

Membro da Congregação para a Doutrina da Fé e atuante direto em investigações de casos de abusos, Dom Charles Scicluna acredita que esse encontro representa um momento de uma grande tomada de consciência sobre como a Igreja pode e deve atuar na prevenção de abusos.

Também presente na coletiva de hoje, Dom Charles acrescentou que o encontro representa também o fato de que a Igreja não desiste de resolver esse problema. “Não vamos desistir. Eu digo por mim, eu não vou desistir, não vou cansar de lutar”, declarou aos jornalistas.

Mais sobre o site

A página – www.pbc2019.org – apresentada hoje pelo Vaticano busca acompanhar de modo transparente e autêntico o processo de mudança e desenvolvimento, seja durante o encontro, seja depois, explica padre Lombardi em um texto de apresentação logo na home do site.

A página, que pode ser acessada em inglês ou em italiano, traz a programação completa de 21 a 24 de fevereiro, os nomes e perfis dos relatores, dos organizadores bem como os números e distribuição dos participantes. As apresentações feitas pelos oradores no encontro serão publicadas após sua realização.

No tópico “proteção dos menores”, o site traz uma cronologia sobre a resposta da Igreja em nível local e universal, desde 1984 até os feitos mais recentes. Também são listadas as iniciativas adotadas em nível local pela Igreja em diversos países, os documentos oficiais da Cúria e dos Papas sobre o assunto e o que diz a lei canônica a respeito. O site também traz um panorama sobre o abuso de menores em nível global, com dados de alguns países, bem como informações para a imprensa.

A proposta do Papa Francisco

Em 12 de setembro do ano passado, o Conselho de Cardeais (que auxilia o Papa na reforma da Cúria Romana e no governo da Igreja) anunciou a decisão do Papa de convocar os presidentes das conferências episcopais para uma reunião sobre o tema da proteção dos menores.

A proposta de Francisco é ajudar os bispos a entender bem o que devem fazer com relação ao assunto; trata-se de uma “catequese” que começa com os presidentes das conferências episcopais. O desejo do Santo Padre é de que eles tomem consciência sobre o drama e o sofrimento das vítimas e sobre sua responsabilidade individual, e saibam como agir, quais procedimentos seguir nos vários níveis.

Em 23 de novembro, o Santo Padre designou os membros do comitê organizador e os participantes. Já no mês seguinte, foi anunciado que as cartas-convite para a reunião foram enviadas, com o pedido de que os participantes pudessem se encontrar com vítimas de abusos antes da reunião.

(Canção Nova

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios