Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Crianças do Complexo Maria do Carmo Galvão Uille colheram na semana passada verduras orgânicas cultivadas por elas mesmas em estrutura instalada na instituição

A última quinta-feira (16) foi um dia muito especial para os alunos Complexo Educacional Professora Maria do Carmo Galvão Uille, no Jardim Éden. Após 37 dias acompanhando o desenvolvimento das verduras plantadas na horta hidropônica suspensa instalada no espaço, as crianças do Pré II fizeram a primeira colheita de pés de alface e almeirão fresquinhos e livres de agrotóxicos e o mais importante, cultivados por eles mesmos. Já os alunos do Pré I plantaram novas mudas em copos descartáveis que foram utilizados nos prédios públicos. As hortaliças serão servidas na merenda escolar.

A iniciativa integra o projeto “Água é Vida”, parceria entre a Secretaria Municipal de Educação e do Trabalho de Ibiporã. A estrutura em canos de PVC foi construída pelo servidor da Secretaria do Trabalho, Elias de Castro e Souza. O funcionamento da horta hidropônica suspensa é simples: os tubos de PVC funcionam como canais de cultivo onde as raízes das plantas recebem a solução nutritiva. A cada 30 minutos um “timer” liga uma bomba d'água que irriga as mudas. “Trata-se de uma tecnologia de produção com baixo impacto ambiental, econômica e que necessita o mínimo de mão de obra. Por estarem livres das variações do clima e de pragas, as verduras se desenvolvem de forma mais rápida do que quando plantadas na terra. Os pés de alface poderão ser colhidos entre 25 e 35 dias. Já pela técnica tradicional, o desenvolvimento é em torno de 70 dias. Outra vantagem é a economia de água, que chega a 80% em relação ao cultivo tradicional”, explica Souza.

As crianças tiveram um cuidado especial com as mudas, pois em cada copo foi colocado o nome do aluno, que acompanhou o seu crescimento. “Como o tema trabalhado com os alunos no “A União Faz a Vida” este ano é “alimentação” pudemos englobar esta atividade em nosso planejamento curricular e aliar a teoria à prática. Durante o mês promovemos passeios pedagógicos à nossa horta e eles demonstraram muito interesse e entusiasmo em acompanhar o desenvolvimento das mudas”, comentou a diretora Mirela Lopes de Arruda.

Segundo a secretária de Educação, Margareth Coloniezi, o resultado com o projeto piloto foi satisfatório, e a proposta é que cada unidade escolar municipal tenha uma horta hidropônica suspensa. “Está sendo muito gratificante ver a alegria das crianças se envolvendo com uma atividade tão rica, que proporciona diversas experiências. A horta escolar serve para trabalharmos vários aspectos na formação do aluno, tais como preservação do meio ambiente, cuidado com o que é do outro, o cooperativismo, o fato de colher algo que plantou com as próprias mãos, a paciência que ela terá que desenvolver para esperar a plantar crescer até chegar ao ponto de ser consumida, alimentação saudável. Quando a criança cuida da hortaliça ela toma gosto por experimentar o alimento, pois se lembra que plantou aquela alface, almeirão e aceita com maior prazer”, frisou a secretária.

Clique nas fotos para ampliar

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios