Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Resultado do primeiro Levantamento Rápido de Infestação do Aedes aegypti (LIRAa) do ano ficou em 2,0%. Maioria dos focos está nos quintais

A Secretaria Municipal de Saúde, por meio do setor de Endemias, divulgou o resultado do primeiro Levantamento Rápido de Infestação do Aedes aegypti  (LIRAa) do ano em Ibiporã. O trabalho foi realizado entre os dias 9 e 13 de janeiro com a inspeção de cerca de 900 imóveis (5% do total) pelos agentes de endemias em todas as regiões da cidade.

O resultado ficou em 2,0%, acima do preconizado pela Organização Mundial de Saúde, que é de até 1%. Ou seja, de cada 100 imóveis visitados dois apresentaram focos do mosquito transmissor da dengue, zika e chikungunya. Em janeiro do ano passado o índice ficou em 4,5%. "Tradicionalmente os percentuais sobem no início do ano devido à combinação de calor e chuvas constantes, o que facilita a proliferação do mosquito. No entanto, o índice é menor do que em anos anteriores e está relacionado com a intensificação dos trabalhos realizados em 2016 devido à contratação e prorrogação dos contratos dos agentes temporários, intensificação no tratamento de bloqueio com UBV Costal e visitas mensais a 100% do território para remoção mecânica dos criadouros", aponta o coordenador de combate à dengue, Aldemar Galassi.

Galassi ressalta que o dado preocupante é que 99% dos focos do Aedes aegypti foram encontrados nas residências, demonstrando a falta de cuidado da população em relação aos seus quintais. "São garrafas, latas, entulhos, vasos de plantas e bebedouros de animais que acumulam água e viram criadouro do mosquito. O ciclo de reprodução do Aedes, do ovo à forma adulta, pode levar de cinco a 10 dias. Se a população não colaborar podemos enfrentar uma nova epidemia de dengue", alerta o coordenador.

A Secretaria Municipal de Saúde convoca a todos para entrar nesta luta, verificando seus quintais, removendo águas paradas, lavando os bebedouros de animais, mantendo as piscinas limpas e tratadas, verificando as calhas, colocando todo o lixo para a coleta seletiva e não jogando lixo em terrenos baldios.

Números

 Conforme o setor de Epidemiologia, no novo ciclo epidemiológico, que começou em 1 de agosto de 2016 até agora, Ibiporã registrou 286 notificações para a dengue, sendo seis positivos, todos autóctones, ou seja, contraídos no próprio município. Durante todo o ano passado foram notificados 2.599 casos de dengue em Ibiporã, sendo 1.413 positivos- todos autóctones. Também foram contabilizados cinco casos de zika vírus no ano passado.

Ibiporã enfrentou epidemias de dengue em 2011, 2013, 2014, 2015 e 2016. A OMS estabelece como parâmetro para caracterização de epidemia incidências iguais ou superiores a 300 casos confirmados para cada grupo de 100 mil habitantes.

COM/PMI

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios