Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

O primeiro Levantamento Rápido de Infestação doAedes aegypti  (LIRAa) do ano aponta queda do índice de infestação do mosquito transmissor da dengue, zika e febre chikungunya em Ibiporã. Segundo levantamento realizado pelo Setor de Endemias entre os dias 4 a 8 de janeiro, o índice de infestação ficou em 4,5%, ou seja de cada 100 imóveis visitados, 4,5% apresentaram focos do mosquito. No levantamento anterior, realizado entre 9 e 13 de novembro, o LIRAa ficou em 5,4%. Oitocentos e quarenta e dois imóveis foram inspecionados, 5% do total.

Em janeiro de 2015 o índice de infestação também ficou maior – 5,6%. O índice de infestação preconizado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) é de, no máximo, 1,0%. “Embora menor, o índice ainda é alto e indica alto risco de epidemia. Novamente, a grande maioria dos focos está nos quintais das casas, nos bebedouros de animais, vasos de plantas e recicláveis. O governo municipal tem feito a sua parte, mas se a população não colaborar, eliminando os criadouros, o nosso trabalho se perde”, alerta o supervisor geral de Endemias, Diomar Carvalho. O LIRAa é uma metodologia que ajuda a mapear os locais com altos índices de infestação do mosquito Aedes aegypti e, consequentemente, alerta sobre os possíveis pontos de epidemia da dengue.

Embora registros da dengue ocorram o ano todo, é no verão que o número de casos aumenta expressivamente, devido à combinação de calor e chuva, condição ideal para a proliferação do mosquito. Os ovos geralmente são depositados em água parada e podem sobreviver por mais de um ano à espera de um clima propício para se desenvolver. O ciclo de reprodução do mosquito, do ovo à forma adulta, pode levar de 5 a 10 dias.

A coordenadora da Vigilância Epidemiológica, Sebastiana Caetano Riechel, alerta que este ano a população convive com uma tríplice ameaça, visto que o mesmo mosquito transmite a dengue, zika e a chikungunya. "A dengue mata, a chikungunya causa dores e inchaços nas articulações por um longo período e a zika complicações neurológicas, como paralisia facial e fraqueza nas pernas. O Ministério da Saúde já comprovou a relação entre o vírus Zika e o surto de microcefalia na região Nordeste. A única forma de combate, considerada a mais eficaz, é o cuidado diário para eliminação dos criadouros", destaca Sebastiana.

Ações de combate à dengue

O governo municipal realiza ações contínuas de prevenção e combate à dengue, as quais estão sendo intensificadas devido ao tradicional aumento de casos nesta época do ano. "Realizamos o trabalho de remoção dos criadouros em 100% do território e assim que a chuva parar iniciaremos o segundo ciclo. Também estão sendo realizados mutirões de limpeza, bloqueio de transmissão viral em residências com notificações, aplicação de inseticida (UBV costal), ações educativas em empresas, igrejas e escolas, capacitação de servidores, teste rápido, colocação de armadilhas, conhecidas como ovitrampas, em vários bairros, para evitar a proliferação de novos vetores da doença e planejamento de ações conjuntas com cidades da Região Metropolitana, como Cambé e Londrina. Também encaminhamos à 17ª Regional de Saúde um novo pedido de envio da UBV pesada (fumacê) para o combate à dengue”, pontua Carvalho.

Além disso, um teste seletivo simplificado foi realizado no último domingo (10) para contratação de mais 15 agentes sanitários visando reforçar o trabalho de campo. A secretária de Saúde também solicita o empenho de todos os servidores no combate ao mosquito, vistoriando as instalações de seu departamento, e eliminando manualmente todo e qualquer foco.

Dia D

Devido às fortes chuvas, a Administração Municipal, por meio da secreatria municipal de Saúde, cancelou, no último sábado (09) o Dia D de Combate ao Mosquito da Dengue. A mobilização foi remarcada para o próximo sábado (16), das 9 às 13h, na Avenida Paraná, a principal de Ibiporã. Segundo a secretária de Saúde, Leilaine Furlaneto, caso chova o Dia D será novamente adiado. Dentre as ações planejadas estão uma carreata pelas principais ruas do município, panfletagem e afixação de cartazes sobre sinais e sintomas da dengue, chikungunya e zika, visitas em casas e estabelecimentos comerciais localizados na Avenida para entregar um check-list com informações sobre os principais locais e objetos que devem ser inspecionados. 

As ações visam reforçar o alerta da gravidade da situação e convocar os munícipes a também entrar na luta, eliminando todo e qualquer criadouro do mosquito dentro de casa ou no quintal”, ressalta a secretária de Saúde, Leilaine Furlaneto. "O combate à dengue e demais doenças transmitidas pelo mosquito é uma tarefa coletiva. O poder público tem cumprindo o seu papel, com ações contínuas de prevenção e combate ao mosquito. Contudo, se a sociedade civil não cooperar, esta batalha não será vencida. O perigo aumentou e o cuidado deve ser intensificado", acrescenta o prefeito José Maria Ferreira.

 A secretária de Saúde orienta que antes de viajar de férias os moradores redobrem os cuidados em sua residência para evitar o avanço dessas doenças. "Antes de deixar o imóvel, o morador deve verificar se não está abandonando recipientes que possam acumular água e servir como criadouro para as larvas do mosquito. É recomendado prestar atenção em espaços que nem sempre são lembrados, como bromélias, ocos de árvores, ralos e coletores de água da geladeira/ar condicionado", exemplifica.

Conforme o setor de Epidemiologia, durante o ano de 2015 Ibiporã registrou 2131 casos notificados, sendo 774 positivos (todos autóctones, ou seja, contraídos no próprio município), com uma morte por dengue.  Neste ano, nas duas primeiras semanas de janeiro, foram 57 casos notificados, porém sem caso positivo. Nenhum caso de zika vírus e febre chikungunya foram registrados até o momento no município.

O MOSQUITO PICA DURANTE O DIA. PROTEJA-SE!

Use roupas que protejam todo o corpo;

Aplique repelente nas partes expostas;

Use inseticida dentro de casa, principalmente atrás dos móveis e cantos escuros;

Use mosquiteiro durante o dia, principalmente para idosos e crianças;

Instale telas nas janelas;

Limpe seu quintal. Jogue no lixo tudo o que acumula água;

Lave a vasilha de água dos animais pelo menos uma vez por semana com água corrente, bucha e sabão;

Evite plantas que acumulam água, como as bromélias. Sempre coloque areia nos pratos de todos os vasos de plantas;

Tire folhas, galhos e tudo que possa impedir a passagem da água pelas calhas;

Deixe sempre a caixa d'agua fechada;

Vistorie reservatórios de climatizadores e bandejas externas de geladeiras

Informe-se sobre a dengue,  zika vírus e febre chikungunya no blog "Ibiporã Contra a Dengue" - www.ibiporacontradengue.blogspot.com.br

Núcleo de Comunicação Social/PMI

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios