Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

A Gelprime, empresa do grupo Vancouros com sede em Rolândia (PR) e do grupo Viposa com sede em Caçador (SC), anunciou, na terça-feira (20), um investimento de cerca de R$ 300 milhões em um complexo industrial na cidade de Ibiporã.

 “Esse complexo precisava ficar próximo de uma bacia grande, por isso a escolha por Ibiporã por conta da bacia do Rio Tibagi. O Paraná disputou esse investimento com São Paulo, mas devido ao nosso trabalho e do governador Ratinho Junior conseguimos fazer com que complexo seja instalado em nosso Estado gerando 350 empregos diretos, além de outros indiretos ligados à logística e insumos”, explicou o vice-líder do Governo, o deputado estadual Cobra Repórter (PSD).

O investimento conta com apoio do Governo do Estado, por meio de um programa de tratamento tributário diferenciado. A assinatura do acordo com a secretaria estadual de Fazendo foi no Palácio Iguaçu e contou com a participação do deputado Cobra Repórter, do governador Ratinho Junior e do presidente da empresa, Edson Vanzella Pereira de Souza.

A companhia produzirá nessa planta colágeno hidrolisado e gelatina para as indústrias farmacêutica e alimentícia. Segundo o presidente da empresa, Edson Vanzella Pereira de Souza, o aporte está dividido em duas etapas. A primeira prevê investimento de R$ 186,8 milhões para produzir gelatina, fase que deve gerar 150 empregos diretos e que foi aprovada no protocolo de adesão com apoio do Estado. O barracão começou a ser construído em abril deste ano, com previsão de inauguração para novembro de 2021.

Em seguida, a Gelprime começará a construção da fábrica de colágeno para atender as indústrias farmacêuticas brasileiras e globais. A estratégia é aproveitar melhor os subprodutos da indústria do couro bovino, como raspas, aparas e recortes, fechando a cadeia produtiva de forma sustentável, sem descartes.

O governador disse que esse investimento atende algumas das prioridades estaduais na economia, como atração de indústrias de transformação, geração de empregos qualificados no Interior e potencial de desenvolvimento de novos negócios. “Nosso maior objetivo é gerar empregos. Isso melhora a vida das pessoas de maneira automática. E a Gelprime vai chegar em produtos finais com alta tecnologia, muita pesquisa e ciência por trás. Vai pegar uma matéria-prima bruta e transformar em produtos com altos valores agregados”, afirmou Ratinho Junior.

A empresa Gelprime, pertence ao grupo Vancouros tradicional no ramo de curtimento de couros no País. É uma companhia de origem paranaense e que emprega atualmente 1,4 mil pessoas no Estado, com previsão de alcançar 2,1 mil com os 350 empregos desse novo complexo e as 400 contratações na planta de manuseio do couro para revestimento de bancos de automóveis, móveis e calçados em Rolândia.

A primeira fábrica terá capacidade para produzir 7 mil toneladas de gelatina por ano. A segunda etapa, da transformação em colágeno, que é um produto com mais tecnologia agregada, vai atingir um mercado em alta no Brasil e no mundo.

A empresa desenvolveu um sistema para romper o colágeno da gelatina para atender as necessidades de absorção do corpo humano. O colágeno hidrolisado é um suplemento alimentar extraído da pele bovina que proporciona firmeza e elasticidade à pele, combatendo o envelhecimento e a flacidez.

Entre as prioridades da empresa estão atender o mercado de gelatinas para remédios/comprimidos, e a venda para gigantes da alimentação, como a Nestlé Kraft, Heinz e Pepsico.

Meire Bicudo e Veruska Barison/com informações e foto da Agência Estadual de Notícias

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios