Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Confira o mini currículo de cada candidato à vaga de conselheiro tutelar

O Conselho Municipal de Direitos da Criança e do Adolescente (CMDCA) de Ibiporã informa que a eleição para os novos Conselheiros Tutelares de Ibiporã – quadriênio 2020-2024 – ocorrerá neste domingo, dia 06 de outubro. A votação ocorrerá no horário das 08h às 13h, no Colégio Estadual Francisco Gutierrez Beltrão, localizado na Avenida Eng. Francisco Beltrão, nº 65 – Centro, e será por meio da urna eletrônica.

Para votar basta estar munido do título de eleitor e um documento com foto. É necessário estar em dia com as obrigações eleitorais. O voto é facultativo, mas importante neste processo, uma vez que se trata dos profissionais que zelarão pela garantia dos direitos e deveres das crianças e adolescentes, propostos no Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA).

Serão preenchidas cinco vagas e será formado cadastro reserva para os denominados suplentes. Sete candidatos disputam os cargos e é você quem vai ajudar a elegê-los. As eleições municipais ocorrerão em todo o Brasil. A última escolha para o Conselho Tutelar ocorreu em 2015.

Oito urnas eletrônicas serão disponibilizadas para votação. Cada eleitor poderá votar somente em um candidato. Vale ressaltar mais uma vez que a votação não é obrigatória. O resultado está previsto para sair em até 40 minutos. A diplomação dos novos conselheiros tutelares tem data para ocorrer em 10 de janeiro, de 2020, às 10h, no Centro de Convivência do Idoso (CCI).

Seleção de conselheiro tutelar para o biênio 2020/2024

O processo visa o preenchimento de cinco vagas de conselheiro tutelar, mais formação de cadastro de reserva, denominados suplentes. Dentre os requisitos exigidos dos candidatos estão: idade igual ou superior a 21 anos; residir no município há mais de dois anos; Ensino Médio Completo ou curso equivalente; possuir CNH na categoria B e experiência comprovada de no mínimo dois anos na área de defesa ou atendimento à criança e adolescente. O conselheiro eleito tem contrato de dedicação exclusiva com a prefeitura, e o mandato é de quatro anos. O salário é de R$2.801,02.

O Processo de Escolha dos membros do Conselho Tutelar é composto de 5 (cinco) etapas: registro da candidatura; participação com 100% de frequência em curso prévio; prova objetiva e subjetiva com acerto mínimo de 75% das questões; avaliação psicológica; e eleição, e já está em andamento, passando agora pela fase do curso e provas.

Os conselheiros tutelares são escolhidos pela sociedade e têm a missão de zelar pela garantia e defesa dos direitos da criança e do adolescente, no âmbito municipal.

Mini currículo dos candidatos em ordem alfabética

1ª - Cacilda Tejo: A reportagem não obteve o currículo da candidata, porém, sabe-se que ela já é conselheira tutelar.

2º - Damião João de Souza: Graduado em pedagogia. Experiência com a infância e juventude; como Educador Social; com mais de 12 anos na área;                                 Experiência como educador social pela Epesmel, Sinal Verde e casas de acolhimento na cidade de Londrina. Terceiro mandato com Conselheiro Tutelar.

3ª - Isadora Luchini: A reportagem não obteve o currículo da candidata.

4º - João Francisco Ferraz de Lima: Casado, pai de três filhos, residente no bairro da Vila Esperança próximo do CAIC, formado em Serviço Social, pós graduado em Educação Meio Ambiente e Desenvolvimento pela Universidade Federal do Paraná UFPR. Mestrando em Serviço Social na Universidade Estadual de Londrina. Atua em acolhimento institucional de crianças e adolescentes em Londrina no Lar Anália Franco atendendo crianças e adolescentes retirados do convívio familiar por determinação judicial. Acumula experiência profissional de mais de 10 anos na área da defesa dos direitos das crianças e adolescentes, com atuação no Creas de Ourinhos-Sp, Prefeitura de Ourinhos-SP, Prefeitura de Santa Cruz do Rio Pardo-SP e na Prefeitura de Sengés-PR. Também já atuei com atendimento a família que residem em área de ocupação irregular e favelas nas cidades de Curitiba, Paranaguá,Pinhais e São Paulo. Ainda já atuei como professor de Sociologia na Rede de Educação do Estado de São Paulo e como professor em cursos preparatórios para concursos públicos e iniciação para o mundo do trabalho.

5ª - Julia Bruschi: Moradora de Ibiporã há 21 anos, é assistente social formada pela Universidade Estadual de Londrina (UEL) e, atualmente, mestranda no Programa de Pós Graduação em Serviço Social e Políticas Sociais (UEL). Atua há quatro anos na área da criança e do adolescente em diferentes segmentos, desde projetos direcionados ao espaço escolar até o atendimento e acompanhamento de crianças e adolescentes vítimas de violações de direitos.

6ª - Juliana Zeferino: Tenho 39 anos de idade, resido em Ibiporã há 25 anos e aqui formei minha família. Sou casada e mãe de dois filhos. Sou formada em pedagogia pela Universidade do Norte do Paraná (UNOPAR) e pós-graduada em neuropsicopedagogia. Há 17 anos atuo na área da educação de crianças e adolescentes, e como exemplo de trabalho posso citar a creche modelo de Ibiporã, o Colégio Educativa, o Colégio Profª Alice Roma Botti Schimitt, além de outros colégios da cidade de Londrina, sempre como professora. Escolhi ser candidata a membro do conselho tutelar porque quero lutar em favor e fazer valer os direitos das crianças e adolescentes, que atualmente sofrem com o caos da educação, a falta de segurança e a imensa dificuldade de acesso à cultura e lazer. Como professora, aprendi a entender as dificuldades que os jovens enfrentam e senti “na pele” as consequências deste abandono e, por isso, me considero apta a exercer este importantíssimo cargo. Estou disposta a orientar, cuidar, propiciar o acesso a seus direitos, sempre visando o melhor futuro para as crianças, pois o futuro do Brasil delas depende.

7º - Vantharen Leite Subires: Tenho 26 anos, sou divorciado, trabalho como vendedor de móveis em Londrina, tenho curso de gestão comercial e empresarial, curso o 3° ano de Direito onde pretendo atuar na vara da infância e Juventude, tenho experiência com crianças e adolescentes como professor de xadrez pelo Clube de Xadrez de Ibiporã, onde este é um trabalho social para tirar as crianças da ruas dando a elas a oportunidade de aprender um esporte, desenvolver a mente, melhorar o aprendizado escolar e a concentração. Atuo também como árbitro de xadrez pela Federação Paranaense e pela Confederação Brasileira de Xadrez.

*Os currículos foram divulgados na íntegra, conforme e-mail de cada candidato, limitando apenas à reportagem fazer pequenas edições.

NCPMI

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios