Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

A Administração Municipal, por meio da Secretaria de Obras, está trabalhando em todas as regiões da cidade. Equipes da secretaria trabalham para atender as diversas demandas do município, nas áreas de roçagem, recolhimento de entulho, madeiras e galhos, além do calçamento de passeios (calçadas).

Segundos dados da secretaria, do dia 12 a 19 de janeiro, a Prefeitura recebeu 96 pedidos para retirada de entulho de construção e notificou 52 moradores que estavam com resto de obra em frente ao seu imóvel. "No início do ano a demanda aumenta devido às reformas e promoções de fim de ano, o que favorece trocas de móveis", explica o secretário de Obras, Alexandre Casagrande.

A administração recolhe toda quinta e sexta-feira até 3m³ de entulho de construção, madeira e galhos, desde que estejam devidamente separados. "Entretanto, com a demanda maior esse serviço está sendo oferecido diariamente. Estamos fazendo um rodízio para retirada dos entulhos, galhos e madeiras. Um dia retiramos o entulho e no outro os galhos e madeiras", afirma o secretário.

Para serem recolhidos os móveis de madeira devem estar desmontados os sofás, porém, precisam também estar separados da espuma e do tecido que são recicláveis e recolhidos pelo Samae, através da empresa Kurica que faz o serviço da coleta seletiva dividida em resíduos: recicláveis, orgânicos e rejeitos.

O secretário ressalta que quem produz acima de 3m³ é considerado grande gerador e deve destinar corretamente seus resíduos. A Lei Municipal de Resíduos Sólidos, nº 2.449, de 18 de abril de 2011, afirma no parágrafo 19 que "os grandes geradores são integralmente responsáveis pelos resíduos sólidos decorrentes de suas atividades, devendo suportar todos os ônus decorrentes da segregação, coleta, transporte, compostagem, reutilização e reciclagem, além da destinação final ambientalmente adequada, não podendo, sob qualquer forma transferi-los à coletividade".

Casagrande também alerta que na área central devido ao decreto nº 258, de 16 de abril de 2009, no art. 39, parágrafo 2 da Lei nº 2.206/08, entre a Av. Paraná, Av. Mário de Menezes, Jardim Beltrão, Av. Ronat Walter Sodré, R: Antônio Mártire, Av. dos Estudantes, R: Francisco Loures Salinet, R: Rui Barbosa, R: André Sert e R: 19 de Dezembro e todas as outras ruas dentro desse entorno, é  obrigatório o uso de caçambas.

Roçagem

A combinação entre sol e chuva propiciados pelo verão intensifica o crescimento do mato que chega a crescer cinco centímetros a cada dois dias, aumentando o trabalho da equipe de roçagem. Atento a demanda crescente, o prefeito José Maria determinou a contratação de uma empresa terceirizada, Adriana Paisagismo, para auxiliar na prestação desse serviço e atender toda a demanda.

De acordo com o secretário de Obras, Alexandre Casagrande todas as áreas públicas estão sendo roçadas, mas a prioridade é para as instituições de ensino que logo retornarão às atividades. "É importante ressaltar que a Administração Municipal não é responsável pela roçagem de terrenos particulares", enfatiza Casagrande.

Os proprietários de terrenos baldios com mato alto estão sendo notificados pela Prefeitura. Após a notificação, os donos têm 30 dias úteis para providenciar a roçagem. "Caso não ocorra a limpeza dentro do prazo estabelecido, é realizada uma publicação no Jornal Oficial do Município dando visibilidade notificação e a equipe permanente da secretaria de Obras realiza o serviço, esclarece o secretário. "Entretanto, é cobrada uma taxa de R$ 1,62 por metro quadrado. Em um terreno de 250 m², por exemplo, o custo da roçagem ficará em R$ 450,00, enquanto um roçador particular cobra por volta de R$ 40, 50", acrescenta Casagrande.

Núcleo de Comunicação Social – PMI

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios