Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

A terça-feira é o melhor dia da semana para Victor Henrique Silva Custódio e Guilherme Aparecido Dias de Carvalho, alunos do 5º ano da Escola Municipal Profª Alice Roma, no Jardim San Rafael. É neste dia, durante o período intermediário, das 11h30 às 13 horas, que eles treinam futsal e handebol na quadra da instituição. Orientados pelo estagiário de Educação Física Pedro Henrique de Oliveira aprendem muito mais do que regras e fundamentos esportivos. “Sonho em ser jogador de futebol, defender Ibiporã nas competições. Procuro ser um bom aluno em sala de aula para ter direito a participar do projeto. Tenho aprendido muitas coisas legais aqui”, comenta Victor. “Também quero ser jogador de futebol e minha formação está começando aqui. Desejo ajudar minha família e ensinar outras pessoas”, revela Guilherme.

A atividade integra o “Projeto Movimento”, iniciativa da Administração Municipal, por meio da Secretaria de Esportes, Recreação e Lazer (Serla). Desenvolvido desde 2010 em polos esportivos e espaços públicos, o objetivo é oportunizar a iniciação esportiva, vivência motora nas diversas capacidades e a integração social de alunos na faixa etária dos oito aos 12 anos matriculados na Rede Municipal de Ensino.

Orientados por seis estagiários de Educação Física, atualmente cerca de 500 alunos treinam futsal, handebol e xadrez no contraturno escolar ou no período intermediário (horário do almoço) na Escola Alice Roma e no Complexo Educacional Professora Ivanildes Gonçalves Nalim (Jd. Santa Paula), que são de período integral. Na Alice Roma também há turmas após o horário das aulas, das 16 às 17h30.

As atividades no contraturno escolar acontecem nos Ginásios de Esportes “Munhequinha”, no Conjunto José Pires de Godoi, Fioravante Pedro Scolari, no Jardim Pérola, e José Carlos Gnann, no Conjunto Habitacional Miguel Antico. As aulas de xadrez são ministradas no período vespertino para os estudantes da Escola Municipal Rotary Club, Professor Carlos Augusto Guimarães e Professora Maria Inês Rodrigues de Mello (área central). As turmas são separadas por sexo e ano de estudo.

Segundo o diretor de projetos da secretaria de Esportes, Emerson José de Oliveira, os estagiários foram capacitados por especialistas de cada modalidade, o que tem proporcionado uma nova dinâmica aos treinos. “Além do desenvolvimento de habilidades motoras, a atividade física desenvolve valores importantíssimos: perseverança, disciplina, cooperação, aquisição de normas de condutas e valores sociais. Mesmo que este aluno não se transforme em um atleta de alto nível, queremos que defenda o esporte quando adulto, porque com o tempo verá que aquilo que aprendeu lhe trouxe muitos benefícios”, argumenta Oliveira.

A participação do aluno no projeto é condicionada a sua disciplina em sala de aula. “Por conta disso, professores e pais de estudantes têm nos relatado a melhora do comportamento do filho depois que começou a participar do “Movimento””, revela Oliveira. Inicialmente enfrentei algumas dificuldades com os alunos; alguns queriam me desafiar. Mas aí fui conversando, falando da importância de respeito às regras, limites, e hoje tenho poucos casos de indisciplina.

O trabalho no Alice Roma iniciou em maio e a evolução é visível. “Percebo que grande parte deles tem boa vontade, curiosidade, interesse em aprender, sendo que alguns talentos já se revelam”, relata o estagiário. “Ter este projeto em nossa escola é uma conquista. Praticar esportes e trabalhar habilidades artísticas e culturais é importantíssimo para o desenvolvimento integral das crianças. “Quem pratica esporte dificilmente está envolvido com coisas erradas”, defende a vice-diretora Susanne Torres Guimarães.

De acordo com o diretor de projetos, a integração social é estimulada por meio de torneios realizados entre as turmas, cujo ponto alto é o “Festival Movimento”, promovido em dois finais de semana no final do ano com partidas disputadas entre participantes de todos os polos. Como forma de incentivo, todos os alunos ganham medalhas, independente do resultado.

O secretário de Esportes, Jayme Lino, acrescenta que a prática esportiva no contraturno escolar tira um pouco as crianças de atividades que favorecem o sedentarismo precoce, tais como televisão, videogame, computador e smartphone, além de deixarem os pais mais tranquilos, pois sabem que seus fillhos não estão na rua sujeitos a riscos sociais. “Naquele momento as crianças estão sob a nossa responsabilidade. A escola é um local resguardado, e os pais ficam tranquilos sabendo que os filhos têm o tempo ocupado com atividades direcionadas e são orientados por profissionais especializados. Tivemos a preocupação de descentralizar as atividades para levar a iniciação esportiva ao encontro das crianças, dando uma finalidade aos espaços públicos de alguns bairros”, ressalta Lino.

A meta da coordenação do projeto é ampliar o número de estagiários para dobrar a oferta de vagas aos alunos, as escolas a serem atendidas e as modalidades esportivas.

Escolinhas de base

Outra atividade ofertada pela Secretaria de Esportes no contraturno escolar são as aulas das escolinhas de iniciação esportiva nas modalidades de futebol de campo, futsal, voleibol e basquete. Cerca de 200 adolescentes com idades entre 13 e 17 anos participam das atividades, que são abertas para alunos de escolas públicas e particulares. A única exigência é que a pessoa esteja estudando. O ingresso nas atividades pode ser feito em qualquer época do ano. Para o futsal feminino são ofertadas vagas para meninas nascidas a partir de 1998.

Os treinos são gratuitos e acontecem nos Ginásios Gnann e Munhecão e no Campo Estrela. Segundo o treinador de futsal e futebol de campo, Cleber Ludwig, as aulas são divididas em treino físico, técnico, tático e jogo. "Além de revelar talentos locais, que futuramente defenderão o município nas competições, o objetivo do projeto é utilizar o esporte como meio para educação e socialização. Ao ofertar esta atividade no contraturno escolar estamos evitando que estas crianças se exponham a situações de risco", explica Ludwig.

Apesar das dificuldades enfrentadas, o trabalho desenvolvido nas Escolinhas de Base tem revelado bons atletas. Nos últimos anos Ibiporã vem se destacando em competições regionais e estaduais, tais como Jogos Escolares e da Juventude. “Nos últimos cinco anos a equipe de futsal feminino tem chegado entre as três primeiras colocadas nos Jogos da Juventude”, exemplifica o treinador.

O prefeito José Maria Ferreira enfatiza os investimentos da Administração Municipal em estruturas físicas e projetos de incentivo à prática esportiva, principalmente entre crianças e adolescentes: “A construção e reforma de ginásios, quadras poliesportivas, Academias ao Ar Livre e o desenvolvimento de projetos que integram a população nos meios esportivos são uma mostra dos nossos esforços em oportunizar esporte, lazer e recreação aos munícipes. A criança em contato com atividades físicas e esportivas adequadas à sua faixa etária estará desenvolvendo as habilidades de ser, conviver, conhecer e fazer, adquirindo consciência de seus limites e possibilidades”, defende o prefeito.

Horários e mais informações sobre as escolinhas de futebol, futsal, vôlei e basquete e o “Projeto Movimento” podem ser obtidos na Secretaria de Esportes - Rua João Barreto 505, Jardim Pérola) ou pelo telefone: 3178-0204.

Núcleo de Comunicação Social - PMI

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios