Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Município foi elogiado por dirigentes do instituto e por pesquisadores da área em razão da reforma e valorização da sua Estação Ferroviária e pelo uso que vem fazendo do espaço
 
Jaime Kaster/Asimp/PMI
 
A apresentação de Ibiporã, no último dia 12, foi um dos destaques do Seminário de Patrimônio Ferroviário, promovido pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional no Paraná (IPHAN-PR) e Ministério da Cultura. O encontro aconteceu entre os dias 11 e 13, no Instituto Goethe, em Curitiba, e reuniu especialistas da área, gestores públicos e mestres e doutores de universidades que desenvolvem pesquisas relacionadas à memória e ao patrimônio ferroviário no Brasil.
 
Enquanto muitos municípios apresentaram problemas e dificuldades em razão do abandono de suas estações ferroviárias ou a interferência dos trilhos no tráfego urbano, Ibiporã apresentou uma experiência bem sucedida: a valorização de todo o entorno da Estação Ferroviária local após a reforma e restauração do prédio histórico, realizada em 2011 e 2012, e a sua integração harmônica ao cenário urbano. A obra teve recursos do Município e do Governo Federal, por meio de emenda do deputado André Vargas.
 
Quem apresentou ao público todos os passos da reforma da estação e a sua transformação em ‘Museu do Café’ foi o arquiteto e secretário municipal de Cultura e Turismo, Julio Dutra, autor do projeto de restauração do prédio e das casas históricas dos ferroviários que ficam no entorno. Para dar mais vida ao espaço e proporcionar uma maior circulação de pessoas e utilização por parte da comunidade, o projeto também incluiu a construção de um auditório para eventos (Auditório Pioneiros) e as novas sedes das Secretarias Municipais de Educação e de Assistência Social, além do CRAS.
 
Além dos acadêmicos, o evento teve a presença de autoridades como o superintendente do Patrimônio da União (SPU) no Paraná, Dinarte Antônio Vaz; o coordenador nacional de Patrimônio Ferroviário do IPHAN, José Rodrigues Cavalcanti Neto; o superintendente do IPHAN-PR, José La Pastina Filho, gerentes da ANTT (Associação Nacional de Transportes Terrestres) e do DNIT (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes).
 
Secretário Municipal de Cultura e Turismo de Ibiporã, Julio Dutra
 
Divulgação Positiva
 
O Município de Ibiporã foi convidado pelo IPHAN para expor, no painel "Boas Práticas", a sua experiência de Revitalização e Utilização da Estação Ferroviária e Implantação do Museu do Café, “um modelo a ser seguido por outros municípios”, conforme destacou em sua fala o Sr. Dinarte Vaz, que esteve também presente no dia de inauguração da reforma, em 27 de abril de 2012. Em razão da apresentação em vídeo – que trouxe palavras do prefeito José Maria Ferreira – e de fotografias de todas as fases da obra, o evento destacou positivamente o Governo Municipal pela iniciativa.
 
“O prefeito de Ibiporã e toda a sua equipe estão de parabéns por terem se empenhado na busca de parcerias que viabilizaram esse processo. Veio até o IPHAN para obter a cessão do prédio, buscou parcerias com o governo federal, através dos Ministérios, correu atrás de emendas parlamentares e também investiu recursos próprios na reforma”, elogiou José Rodrigues Cavalcanti Neto, do IPHAN em Brasília.
 
“Exemplo para outros municípios”
 
Cavalcanti acrescentou que “o Município está no caminho certo”: “É um exemplo que eu tenho levado para o Brasil inteiro, para outros municípios se espelharem nessa boa prática de valorização do patrimônio ferroviário e o uso do espaço para eventos.”
 
Para o secretário de Cultura de Ibiporã, Julio Dutra, foi uma honra o Município ter recebido esse convite do IPHAN. “É motivo de grande orgulho termos conseguido dar vida a um local que nos transmitia tanta tristeza pelo aspecto de abandono. Digo que esta obra (Estação Ferroviária) tem ‘alma’, pois ali está o maior e mais importante registro na nossa memória e do início de nossa cidade. Esse convite do IPHAN veio coroar esta nossa alegria enquanto filhos de Ibiporã”, afirmou Dutra.
 
Valorização da memória local
Além da divulgação do nome de Ibiporã para todo País, o seminário possibilitou intercâmbio com técnicos da área e pesquisadores que estudam a preservação da memória em diferentes universidades, como UEPG, UFPR e USP.
 
A esses, foram apresentados no evento os resultados parciais do projeto “Contos e Causos – História Viva de Ibiporã”, que consiste em entrevistar os pioneiros, que em sua maioria enaltecem as lembranças do trem e da Estação Ferroviária. Dessa forma, o projeto resgata e documenta a história que está nas mentes e corações desses “arquivos vivos” de Ibiporã.
 
A equipe do Contos e Causos - o jornalista Jaime Kaster e a editora de audiovisual Mariana Claus, que acompanharam o secretário - aproveitaram a viagem a Curitiba para entrevistar o sr. João Barreto Filho. Seu pai, João Barreto, foi o chefe da estação de Ibiporã por mais de 40 anos. As histórias relatadas foram valiosas para a pesquisa e para os próximos DVDs.
 
O projeto Contos e Causos recebeu equipamentos do IPHAN, e está em seu 6º volume (livro e DVD). Terá no total mais de 200 entrevistas gravadas em vídeo para serem assistidas pela comunidade e disponibilizadas em acervo público. O projeto é uma ação do Governo Municipal, realizada através da Secretaria Municipal de Cultura e Turismo e Museu Histórico e de Artes de Ibiporã (MHAI).
 

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios