Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Mesmo com cenário econômico retraído por conta da pandemia da Covid-19, município tem saldo positivo de 117 postos de trabalho de janeiro a junho, segundo Caged

Mesmo em um cenário de grave crise, resultado da pandemia e da redução da atividade econômica para controlar a disseminação do novo coronavírus, Ibiporã encerrou o primeiro semestre de 2020 com um saldo positivo na geração de empregos – foram 117, segundo dados do Novo Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados) divulgados no final de julho. No acumulado de janeiro a junho, o município teve 2.638 admissões contra 2.521 desligamentos.

A Agropecuária foi a atividade econômica que mais colaborou com o resultado, gerando um saldo de 356 vagas de trabalho. Em compensação, o setor de Serviços foi o que mais demitiu, terminando junho com saldo negativo de 100 postos de trabalho. “Em janeiro e fevereiro foram contratados muitos safristas para auxiliar na colheita da soja. Outra situação que impactou positivamente nos números foi a contratação de 150 trabalhadores por um frigorífico instalado em Ibiporã que investiu em uma nova planta. Em compensação,  as empresas de serviços e comércio são as que mais estão sofrendo com a pandemia, e, consequentemente, demitiram mais”, explica a secretária do Trabalho, Maria Romana. Segundo dados nacionais do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), mais de 700 mil empresas fecharam as portas em definitivo na pandemia até a primeira quinzena de junho, sendo 99,8% delas de pequeno porte (até 49 funcionários).

Conforme o Caged, em janeiro, fevereiro, março e junho, Ibiporã teve um saldo positivo na geração de empregos – 536 no total. Contudo, os meses de abril e maio apresentaram uma queda significativa na criação de novos postos de trabalho – saldo negativo de 419. O país e o Estado do Paraná também registraram quedas acentuadas no emprego formal nesses meses.

Junho apresentou um saldo positivo no saldo de empregos em Ibiporã. Foram 310 admissões contra 304 desligamentos (+ 6 postos de trabalho). Conforme o Caged, a indústria foi o setor que mais admitiu – 29, seguido do Comércio – 20 vagas de trabalho geradas. A Região Metropolitana de Londrina também apresentou saldo positivo de 478 postos de trabalho em junho, resultado de 6.517 admissões e 6.039 desligamentos. A indústria foi o setor que mais contribuiu para o resultado positivo, com saldo de 461 empregos. Em seguida veio o setor de construção, com geração de 142 vagas de trabalho.

Mesmo diante de um cenário econômico desafiador, a secretária do Trabalho credita os números positivos à política municipal de geração de emprego e renda, por meio dos cursos de qualificação profissional ofertados no Centro Tecnológico do Trabalhador de Ibiporã (CTTI), ampliação e abertura de novas empresas, incentivo ao empreendedorismo e à consolidação da política de incentivo industrial. “Os números confirmam o esforço conjunto do governo municipal em oportunizar ao trabalhador melhores condições de se inserir no mercado. Nos últimos três anos, o CTTI já treinou e preparou mais de 1.800 pessoas nas mais diferentes áreas”, enfatiza Maria. Como exemplo, o CTTI conta com um Centro Gastronômico construído em 2018, o qual vem formando e capacitando mão de obra de primeira qualidade para ajudar as pessoas a entrar ou se consolidar no mercado de trabalho. Outro destaque, é o programa “Ibiporã na Linha do Futuro”, que forma novos profissionais na área da costura (facção industrial) e apoia o seu desenvolvimento para atuar como empregado ou abrindo o próprio negócio.

Política industrial

O setor industrial representa 20,3% do Produto Interno Bruto (PIB) de Ibiporã. A Prefeitura Municipal, por meio da Secretaria de Indústria e Comércio, realiza um intenso trabalho de atração de novas empresas para o município, por meio da apresentação aos empresários dos parques industriais, a política e os incentivos à industrialização.

Ao todo, mais de 20 empresas ou indústrias estão se instalando ou em ampliação em Ibiporã. A expectativa para os próximos meses é de que pelo menos 1.200 novos empregos sejam gerados no curto prazo.

Dentre as indústrias que estão se instalando no município está a Gel Prime Indústria e Comércio de Alimentos Ltda, uma gigante do ramo alimentício, a que gerará, sozinha, cerca de 300 novos empregos. A empresa está se instalando em um terreno de 21 alqueires no bairro Taquara do Reino, na PR-090. A unidade ibiporaense terá condições de fornecer além de alimentos, ingredientes alimentícios para toda a América do Sul tornado-se uma grande cadeia de suprimentos para indústrias gigantes da alimentação, como a Nestlé Kraft, Heiz, 3G Capital, Pepsico, Kellogg´s e outras. “Quando a indústria entra em uma dinâmica positiva, ela gera renda e cria empregos reativando todo o restante da cadeia produtiva. Por isso o governo municipal não tem medido esforços para fomentar o desenvolvimento econômico e social de Ibiporã, por meio de uma política de incentivo à implantação de novas indústrias e auxílio à classe empresarial”, ressalta o prefeito João Coloniezi.

Caroline Vicentini/NCPMI

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.