Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

A Administração Municipal, por meio da Secretaria de Planejamento, inicia hoje (29), a construção de mais um Centro de Referência em Assistência Social (CRAS). A Makino Construções Civis LTDA, de Londrina, é a construtora responsável pela realização da obra.

O novo CRAS ocupará a área de 165,30m², no Residencial Terra Bonita. O investimento de R$ 324.746,04 será custeado pelo governo federal, por meio do Fundo Nacional de Assistência Social (FNAS) - R$ 270 mil. A contrapartida de 54.746,04 ficará a cargo da administração municipal.

O projeto do novo CRAS de Ibiporã segue o padrão do governo federal e conta com um hall coberto, banheiro para portadores de necessidades especiais, salas de atendimento familiar, multiuso e administrativa, além de almoxarifado, banheiros coletivos, área de serviço, espaço externo coberto com acesso para área de convivência.

De acordo com a arquiteta da Secretaria de Planejamento e fiscal do novo CRAS, Cássia Marie K. Calvazara, a administração municipal fez a implantação do projeto no terreno do município e adicionou, de acordo com as normas do governo federal, rampas de acesso e piso tátil, no projeto.

"A construção permite futuras modificações e ampliações, caso seja necessário e vai atender os munícipes do Residencial Terra Bonita e todos os bairros daquela região", explica a arquiteta.

Para a diretora do atual CRAS em funcionamento, o da Rua João Barreto, Cássia Carolina Garcia Davólio Gerra, a construção de mais uma unidade vai agilizar o atendimento aos cidadãos.

"Com mais uma equipe fazendo o atendimento ao público o trabalho fluirá com mais rapidez e o acesso para os munícipes do Residencial Terra Bonita e dos bairros ao entorno ficará mais acessível. É um grande avanço em assistência social para a cidade", afirma ela.

Ibiporã reivindicou a construção de um segundo CRAS porque o município extrapolou a capacidade de atendimento que é de até 3.500 famílias por unidade, conforme prevê a lei. A construção da segunda unidade do CRAS nesta região levou em consideração aspectos como localização geográfica, vulnerabilidade social, condição socioeconômica. Os usuários poderão ter acesso aos serviços socioassistenciais da Proteção Social Básica de maneira descentralizada, próximos de sua casa, economizando assim tempo e dinheiro.

Núcleo de Comunicação Social/PMI

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios