Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Famílias referenciadas no CRAS estão recebendo semanalmente alimentos produzidos por pequenos agricultores. Produtos são repassados por meio de programa do Governo Estadual

Famílias referenciadas no Cento de Referência de Assistência Social (CRAS) de Ibiporã estão tendo a oportunidade nesta pandemia de Covid-19 de complementar a alimentação com frutas, legumes e verduras produzidos por pequenos agricultores. Desde o início do mês, os gêneros alimentícios (além de hortifrutigranjeiros, há polpa de frutas, pães caseiros, temperos) estão sendo entregues semanalmente nos CRAS Centro e Gino Peretti (Terra Bonita).

Os alimentos são repassados por meio do programa Compra Direta Paraná, do Governo Estadual. O objetivo é adquirir, de forma emergencial, gêneros alimentícios de cooperativa ou associação da agricultura familiar destinando diretamente ao atendimento da rede socioassistencial do Estado, como restaurantes populares, cozinhas comunitárias, bancos de alimentos, entidades e hospitais filantrópicos, entre outros.

O governo estadual destinou R$ 20 milhões para o Compra Direta, recursos do Fundo Estadual de Combate à Pobreza (Fecop). São aproximadamente 500 mil pessoas beneficiadas pelo programa. “Os produtos entregues pelo programa são muito importantes para complementar a alimentação, o que ajuda a aumentar a imunidade deste público no enfrentamento da pandemia. Além disso, gera mais renda no campo para os agricultores familiares que fornecem os produtos”, ressalta a coordenadora do CRAS, Silvéria Canuto.

Outra ação que está colaborando na qualidade da alimentação das famílias mais vulneráveis é a distribuição de cestas básicas. Ibiporã tem contado com a generosidade e espírito solidário de entidades e empresas as quais doaram mais de 17 toneladas de alimentos não perecíveis, totalizando 1.100 cestas básicas. O município recebeu doações da Defesa Civil Estadual, Grupo Muffato e Grupo Almeida Mercados. “Neste contexto de pandemia muitas famílias estão desempregadas, sem renda, e com dificuldades de suprir as necessidades básicas. Com a ajuda que estamos recebendo, temos a possibilidade de ampliar o número de pessoas a serem assistidas neste momento tão difícil”, salienta a secretária de Assistência Social, Irany Sorge.

Caroline Vicentini/NCPMI

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios