Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Desenvolvido pelo Tribunal de Justiça do Paraná em parceria com a Secretaria Estadual de Justiça, Cidadania e Direitos Humanos, o projeto tem o objetivo de identificar biometricamente todas as crianças em idade escolar

Nesta sexta-feira (16), às 15 horas, acontece em Ibiporã a cerimônia para assinatura do protocolo de intenções para inauguração do projeto “Criança Protegida”, no Centro Municipal de Educação Infantil (CMEI), Professora Maria do Carmo Galvão Uille (Malibu). O projeto, idealizado pela desembargadora Lídia Maejima, é desenvolvido pelo Tribunal de Justiça do Paraná em parceria com a Secretaria Estadual de Justiça, Cidadania e Direitos Humanos. Pioneiro no país, o projeto visa identificar biometricamente todas as crianças do estado, auxiliando o trabalho de Investigação do Serviço de Investigação de Criança Desaparecida (SICRIDE).

De acordo com o prefeito José Maria, a iniciativa do Tribunal de Justiça e da Secretaria de Justiça, Cidadania e Direitos Humanos é de extrema importância. “O ‘Criança Protegida’ permitirá efetivamente que a criança e o adolescente tenham uma proteção a mais no decorrer da sua vida. É sabido que, infelizmente, ocorre o desaparecimento de crianças, muitas vezes, em idade bastante precoce. Fazer o reconhecimento depois, através de fotografia é mais difícil”, explica o prefeito.

“A criança identificada por meio da biometria e com dados cadastrais nos institutos nacionais de identificação distribuídos pelos estados possibilitará, no futuro, a identificação desta pessoa, a localização e saber a verdadeira origem da sua paternidade”, acrescenta José Maria.

Ibiporã é a terceira cidade a receber o projeto, além de Londrina e Maringá, que será coordenado, no município, pela Juíza da Vara da Infância e Juventude e Anexos, Marina Martins Bardou Zunino. “O ‘Criança Protegida’ é uma excelente iniciativa, estou muito feliz de representá-lo aqui no município. É fundamental que os pais saibam a importância de fazer o reconhecimento biométrico, ainda na infância. A grande maioria só procura fazer o documento quando os filhos estão no ensino médio ou iniciando a vida adulta. Fazer o RG ainda na infância garante mais segurança aos filhos”, assegura a Juíza.

O projeto “Criança Protegida” garante que os estudantes do ensino infantil e fundamental I matriculados em escolas municipais e CMEIs façam o documento gratuitamente, nas próprias instituições de ensino. Em Ibiporã, 5.400 alunos serão beneficiados.

Para isso, o Instituto de Identificação do Paraná (IIPR) trabalhará junto a Administração Municipal, treinando profissionais de educação para que se tornem agentes de identificação, auxiliando na emissão da carteira de identidade. Os educadores preencherão as fichas, tirarão as fotos e registrarão a impressão digital das crianças, que serão enviados à Curitiba, onde serão emitidos os documentos.

Entretanto, nesta sexta-feira (16), a partir das 09 horas, 40 senhas serão distribuídas, no CMEI Malibu, para crianças e adolescentes, ente 06 meses a 18 anos incompletos, que poderão fazer o documento de identidade digital e biométrico gratuitamente, na própria instituição de ensino.

NC/PMI

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios