Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Em Ibiporã, o cidadão é obrigado a utilizar o acessório quando estiver fora de casa. Confira orientações de utilização e higienização das máscaras

Ibiporã é mais um dos municípios brasileiros a exigir o uso de máscaras de barreira para todos os cidadãos quando estiverem fora de casa. A intenção é que o acessório ajude a proteger todos da COVID-19 e permita uma abertura gradual de alguns segmentos da sociedade. Segundo o decreto nº 144, de 14 de abril de 2020, será necessário utilizar a máscara de tecido no transporte coletivo, atividades laborais (excetuados os serviços de saúde) e a utilização dos serviços essenciais públicos e privados (padarias, supermercados, açougues, postos de combustíveis, farmácias, bancos, lotéricas), ficando advertido o uso de máscaras cirúrgicas, devido à dificuldade de aquisição para os profissionais de saúde.

As máscaras poderão ser confeccionadas com tecidos conforme as recomendações da Nota Informativa Nº 3/2020, do Ministério da Saúde (https://www.saude.gov.br/images/pdf/2020/April/04/1586014047102-Nota-Informativa.pdf). Para ser eficiente como uma barreira física, a máscara caseira precisa seguir algumas especificações, que são simples. É preciso que a máscara tenha pelo menos duas camadas de pano, ou seja dupla face. E mais uma informação importante: ela é individual. Não pode ser dividida com ninguém. As máscaras caseiras podem ser feitas em tecido de algodão, tricoline, TNT ou outros tecidos, desde que desenhadas e higienizadas corretamente. O importante é que a máscara seja feita nas medidas corretas cobrindo totalmente a boca e nariz e que estejam bem ajustadas ao rosto, sem deixar espaços nas laterais.

O coronavírus pode ser espalhado por gotículas suspensas no ar quando pessoas infectadas conversam, tossem ou espirram. Essas gotículas podem ter sua formação diminuída pelo uso de máscaras não profissionais.

O uso desta barreira de proteção mecânica não dispensa os outros cuidados para a prevenção da doença, como: higienização das mãos com água e sabão, uso de álcool em gel 70%, limpeza constante de áreas de contato (maçanetas, corrimãos, controles remotos, telefones fixos e móveis, mesas, balcões, etc), além da etiqueta social ao tossir ou espirrar (cobrindo o nariz e a boca com um lenço descartável ou com o braço).

Medidas de utilização e higienização

- o uso da máscara caseira é individual, não devendo ser compartilhada entre familiares, amigos e outros;

- coloque a máscara com cuidado para cobrir a boca e nariz e amarre ou prenda com segurança para minimizar os espaços entre o rosto e a máscara;

- enquanto estiver utilizando a máscara, evite tocá-la, não fique ajustando-a;

- ao chegar em casa, lave as mãos com água e sabão, secando-as bem, antes de retirar a máscara;

- remova a máscara pegando pelo laço ou elástico da parte traseira, evitando tocar na parte frontal;

- faça a imersão da máscara em recipiente com água potável e água sanitária (2,0 a 2,5%) por 30 minutos. A proporção de diluição a ser utilizada é de 1 parte de água sanitária para 50 partes de água (Por exemplo: 10 ml de água sanitária para 500ml de água potável);

 - após o tempo de imersão, realizar o enxágue em água corrente e lavar com água e sabão;

 - após lavar a máscara, a pessoa deve higienizar as mãos com água e sabão;

- a máscara deve estar seca para sua reutilização;

- após secagem da máscara, utilizar ferro quente e acondicionar em saco plástico;

- trocar a máscara sempre que apresentar umidade e sujidade;

- aos sinais de desgaste da máscara, deve ser inutilizada e nova máscara deve ser feita.

Segundo o prefeito João Coloniezi, todas as ações estão sendo conduzidas a fim de garantir a segurança e a vida da população, para que os munícipes possam voltar às atividades produtivas assim que possível. “Estudos científicos apontam que se todas as pessoas que estão próximas utilizarem as máscaras de contenção, há uma proteção de 98%. Usar a máscara é um ato de amor, pois você protege a si e os que estão ao seu redor. Ibiporã segue sem casos confirmados da Covid-19. Isso é uma demonstração de que o isolamento social, dentre outras medidas tomadas, estão sendo adequadas. Neste momento de tantas dificuldades e incertezas, é fundamental que as pessoas ajam com consciência, pensando no coletivo. Por isso, reiteramos o pedido mundial: “se puder, fique em casa”, enfatiza o prefeito de Ibiporã.

Caroline Vicentini/NCPMI

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios