Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

No Londrina Esporte Clube há 2 anos, o goleiro Vitor participou de importantes conquistas do clube neste período. Para 2016, Vitor tomou a decisão de seguir com os ensinamentos de sua religião que preconiza que os sábados devem ser guardados e por isso, não participará de treinos e jogos defendendo a camisa alviceleste. O arqueiro recebeu proposta da Chapecoense, time que atua na série A do Campeonato Brasileiro, mas ao informar sua opção de guardar o sábado, o time catarinense não seguiu com a contratação. Em entrevista coletiva na tarde de ontem, 20, no estádio dos Pássaros em Arapongas, o goleiro comentou os motivos que o levaram a tomar esta decisão.

“Tomei minha decisão baseada na bíblia e de acordo com minha concepção, minha regra de fé. Para quem estuda a bíblia sabe que guardar o sábado é o quarto mandamento da lei de Deus. É um dia que tiramos para descansar e refletir. Tenho consciência da minha decisão e acredito que Deus providenciará todas as coisas”, afirmou Vitor.

Vitor contou que não teme que sua escolha antecipe o fim de sua carreira, mas sabe que sua escolha poderá acarretar consequências para sua vida profissional. “Quando você tem uma postura, você acaba dizendo sim para algumas coisas e não para outras. Se no futebol não tiver um time que respeite minha posição, irei buscar outros caminhos. Hoje meu objetivo é me manter no futebol”, complementou. 

O goleiro ainda disse que tem se dedicado ao máximo aos treinamentos para estrear no Campeonato Paranaense com vitória. " O foco é buscar mais um título estadual", contou. 

GRATIDÃO PELO LEC E PELA CIDADE

Vitor afirmou que tem uma relação de carinho e gratidão pelo time em razão das conquistas em sua vida profissional e também admiração pela cidade, que acolheu bem sua família. “Minha gratidão ao LEC será eterna. Durante o tempo que estou aqui, estabeleci uma relação de respeito e admiração com a torcida, pois foram importantes conquistas para a história do Tubarão. Sobre a cidade, já cogitamos morar em Londrina. Uma cidade que nos recebeu com carinho e de um povo educado. Agradeço por todo o apoio que a torcida me deu. Minha gratidão será infinita”, disse.

CONQUISTAS COM A CAMISA ALVICELESTE

Carlos Vitor da Costa Ressurreição, 31 anos, é natural do Rio de Janeiro e já jogou no Vitória (BA), Ponte Preta (SP), Joinville (SC), Portuguesa (SP), Atlético Goianiense (GO), Bragantino (SP), ABC (RN), Arapongas (PR), São José (RS) e Novo Hamburgo (RS). Quando chegou ao Tubarão em 2014, foi peça essencial para a conquista do Campeonato Paranaense após 22 anos de espera e na conquista do acesso à série C do Campeonato Brasileiro. No ano seguinte, o Tubarão chegou às semifinais do Paranaense e ficou com o título de campeão do interior e garantiu o acesso à série B. Vitor já defendeu a camisa alviceleste por 79 oportunidades e na temporada passada atuou em 43 jogos, ficando de fora apenas da partida contra o Tupi, na primeira fase, em razão do terceiro cartão amarelo. 

Imprensa/LEC

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.