Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Equipe comandada pelo técnico Johnny Gonçalves irá disputar o Campeonato Paranaense adulto no segundo semestre

O Londrina Esporte Clube acertou uma parceria com a equipe feminina de futebol do Colégio Estadual Tsuru Oguido para a disputa do Campeonato Paranaense adulto que será disputado no segundo semestre de 2019. A equipe é comandada pelo técnico e coordenador Johnny Gonçalves, de 40 anos e que está à frente do projeto desde 2012. A parceria inicialmente é até o final de 2019 podendo ser prorrogada para os próximos anos.

O coordenador da base do LEC, Alencar através da exigência da CBF que a partir de 2020 as equipes que disputarem as Séries A e B tenham uma equipe feminina, a diretoria do Tubarão se antecipou e acertou a parceria com um projeto sério para o desenvolvimento da modalidade em Londrina. “Como há uma exigência da CBF para o ano que vem as equipes da Série B precisam do futebol feminino, a gente tinha que se antecipar com um projeto sério”.

O projeto do professor Johnny se iniciou em 2012, após o técnico notar nas aulas de educação física a habilidade de algumas meninas no futsal. “Nós percebemos a falta de trabalho no feminino, tanto no futsal como no futebol, eu entendi isso como uma oportunidade de trabalho, porque existem muitos trabalhos negligenciados e tivemos uma resposta muito significativa das meninas”, destacou o início do trabalho há oito anos.

Neste período, com a falta de um calendário de competições, a equipe se dividia entre o futsal e o futebol, para ter um nível alto de competitividade. Dentro do futebol, existe apenas uma competição oficial no Paraná em todo o ano, o Projeto Bom de Bola. “A gente já no segundo ano de competição conseguimos ser campeões em 2013, conseguimos ser bicampeões em 2014 e conseguimos emplacar o tricampeonato em 2016, 2017 e 2018”, enfatizou sobre o trabalho realizado que culminaram em conquistas, alguns dos pontos que fizeram o Londrina acertar a parceria.

Além de todo trabalho desenvolvido dentro de campo, fora das quatro linhas existe a parceria com o Colégio Estadual Tsuru Oguido, local onde praticamente todas as jogadoras estudam. O treinador Johnny fala sobre o auxílio do colégio que em todas as áreas têm uma organização para que as meninas não percam conteúdo ou provas mesmo com as várias viagens que fazem para a disputa de competições. “Acho importante todo mundo saber que o atleta está dentro da escola”, afirmou o professor e coordenador do projeto.

Dentro de campo, Johnny tem uma linha de trabalho toda voltada para o aprendizado no futsal e para depois, existir a transição para o futebol, para que a atletas tenha o contato com a bola e saiba agir resolvendo problemas a todo momento. “Sou um apaixonado por futsal e pelo futebol, conheço as duas modalidades com autoridade e nessa minha visão, o futsal é de suma importância para iniciar qualquer jogador, tanto no masculino como no feminino, porque ele dá muita bagagem técnica, tomadas de decisão, o jogador está em contato com a bola a toda hora, tem que resolver problema a toda hora e a partir de uma certa idade, ir migrando para o campo”.

No projeto hoje, 39 jogadoras estão divididas em três categorias, sendo que 15 participam do sub-14, 20 do sub-17 e 4 no sub-20. A iniciação é feita dentro do colégio com meninas de 11 e 12 anos, já para o sub-17, a procura é de meninas de toda a cidade, Estado e também oriundas de outros locais do Brasil.

Dentre as dificuldades enfrentadas por todas as modalidades de alto rendimento, Johnny Gonçalves destacou duas como as principais: a primeira, a falta de calendário para o futebol feminino na base e no profissional dentro do Estado e a falta de estrutura, principalmente em relação a patrocínio, que a falta de jogos se torna a principal causa do empresariado não investir na modalidade.

Tendo a parceria firmada com o Londrina Esporte Clube, o professor Johnny espera que o crescimento seja de ambos os lados. “Sabemos da grandeza do Londrina, é um clube reconhecido no Brasil todo, sabemos do peso dessa camisa, então entendemos que é uma oportunidade bacana para a gente mostrar nosso trabalho, temos em mente que nosso foco é a categoria de base, mas que a migração para a categoria adulta é natural e que todo irá vir a ganhar. O nosso projeto por estar com um clube da grandeza do Londrina e entendo que tem tudo para dar certo”, disse Johnny Gonçalves.

O coordenador da base do Londrina, destacou a necessidade dos dois lados para o fechamento da parceria. “Havia a necessidade de uma parceria com um clube para ele poder ter direito a alguns benefícios da Prefeitura de Londrina e acabou ajudando. A necessidade que o clube Londrina tem de já começar o ano que vem com o futebol feminino e o Johnny de ter um projeto junto com a Fundação de Esportes de Londrina (FEL) ”, explicou Alencar.

Com o Campeonato Paranaense se iniciando no segundo semestre, Johnny acredita que apesar do foco do projeto ser nas categorias de base, algumas atletas já podem integrar o time adulto, mas precisaria contar com o reforço de mais oito a dez atletas mais experientes para que o Londrina faça bonito na sua primeira participação. “Temos que pensar grande, a ideia é sempre entrar nos campeonatos para conquistar, sabemos das dificuldades, sabemos que a gente é uma equipe ainda em formação, mas nós acreditamos no nosso trabalho e vamos fazer o melhor possível para representar o Londrina Esporte Clube”.

O professor Johnny se diz muito ansioso para ter o contato com o torcedor do Londrina Esporte Clube, espera ter uma boa recepção em relação a modalidade e que juntos possam colher os frutos para o clube, projeto e cidade. “Fico muito ansioso, tenho uma expectativa enorme do torcedor do Londrina Esporte Clube abraçar a gente e acompanhe os jogos”, descreveu sua ansiedade para ter o contato com o torcedor Alviceleste.

Em relação as atletas que estão no projeto, Johnny destaca duas jogadoras com muito potencial e que podem dar muitas alegrias ao torcedor londrinense. As atacantes Ana Caroline Caetano, de 17 anos e Joyce, de 18 anos. Ambas devem fazer parte do elenco adulto que irá disputar o estadual neste ano.

A atacante Joyce Moreira de Souza, de 18 anos, é paulista da cidade de Assis e iniciou no futebol aos oito anos em uma escolinha de futebol do seu município. “Comecei no campo, treinando com os meninos, na minha cidade tem uma escolinha de futebol que é apenas para meninos, só que me aceitaram lá, pois eu mostrava que não estava lá como algumas meninas que iam para brincar, eu estava lá porque tenho um objetivo e queria cumprir esse objetivo”.

A atleta do sub-20, destacou a importância da parceria com o Londrina Esporte Clube para que o projeto e as jogadoras tenham mais visibilidade dentro da cidade, pois são bastante reconhecidas fora de Londrina. Com a disputa do Campeonato Paranaense no segundo semestre, Joyce deixa claro o “frio na barriga” por jogar a competição, ainda mais representando o Londrina Esporte Clube.

Na última rodada da Série B de 2018, muitas jogadoras foram ao Estádio do Café e receberam o reconhecimento das mais de 24 mil pessoas que estavam no estádio por um título conquistado, o atacante espera que esse carinho se mantenha nos jogos diante do torcedor. “A expectativa é que eles [torcedores] acompanhem a gente e recebam com o carinho que tiveram neste jogo que fomos”.

Não muito diferente da Joyce, a também atacante Ana Caroline Caetano, conhecida como Carol, de 17 anos, iniciou cedo o contato com a bola de futebol e no meio dos meninos, porém, no futsal. O primeiro contato de Carol com o campo de futebol aconteceu aos 15 anos, na cidade de Ouro Verde do Oeste (PR).

Para o técnico Johnny, a atleta deve ser formada no futsal e fazer a transição para o futebol, com Ana Caroline não foi diferente e ela vê o futebol como uma modalidade onde se tem mais oportunidades do que no futsal.

Apesar de ainda estar no sub-17, Carol espera ter oportunidades na equipe adulta que irá disputar o estadual neste ano e quer mostrar seu talento para ganhar uma vaga no time. “Tem que se destacar, tem que dar o máximo e esforço dentro de campo”.

O Campeonato Paranaense Feminino está previsto para ter início em agosto e se encerrar em outubro.

Confira AQUI treino da Equipe Feminina – TV LEC

(Jefferson Bachega/ Londrina EC)

Clique nas fotos para ampliar

O projeto tem duas categorias de base: o sub-14 e o sub-17, além de algumas atletas do sub-20. (Foto: Geovana Marrie/ Londrina EC).
O professor e técnico Johnny Gonçaves coordena o projeto desde 2012. (Foto: Geovana Marrie/ Londrina EC).
A atleta Joyce espera o apoio do torcedor do Londrina Esporte Clube nos jogos da equipe como mandante no Campeonato Paranaense Feminino Adulto no segundo semestre de 2019. (Foto: Geovana Marrie/ Londr
As atacantes Joyce (esq.) de 18 anos e Carol (dir.) de 17 anos, são um dos talentos trabalhados pelo professor Johnny. (Foto: Geovana Marrie/ Londrina EC)

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.