Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Durante a Semana Mundial de Aleitamento Materno e a Campanha Agosto Dourado, várias atividades serão realizadas na rede municipal de saúde

A Prefeitura de Londrina está participando da Semana Mundial de Aleitamento Materno (SMAM), que dá início à Campanha Agosto Dourado. Por meio da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) e do Comitê Municipal de Aleitamento Materno (Calma), várias atividades serão realizadas para incentivar a amamentação e apoiar as famílias nesse processo tão importante.

Este ano, o tema da campanha é “Proteger a amamentação – uma responsabilidade de todos”. E para abrir a programação, foi realizada na terça-feira (3) uma palestra on-line com a médica sanitarista Marina Ferreira Rea, que foi coordenadora das Ações Internacionais de Aleitamento Materno da Organização Mundial da Saúde (OMS).

A palestra discutiu os 40 anos do Código Internacional de Comercialização de Substitutos do Leite Materno e a sua versão nacional, a NBCAL – Norma Brasileira de Comercialização de Alimentos para Lactentes e Crianças de Primeira Infância, Bicos, Chupetas e Mamadeiras.

Graças a essas e outras políticas públicas de incentivo, o aleitamento materno exclusivo aumentou doze vezes no país desde 1986. Dados preliminares do Estudo Nacional de Alimentação e Nutrição Infantil (ENANI) apontaram que a prevalência de amamentação exclusiva entre menores de quatro meses saiu de 4,7%, no ano de 1986, para 60% em 2020. Entre os bebês menores de seis meses, a amamentação exclusiva passou de 2,9% para 45,7%.

O secretário municipal de Saúde, Felippe Machado, participou da palestra de abertura da SMAM e da entrega dos Comunicados de Nascimento, que ocorreu na Maternidade Municipal Lucilla Ballalai. Até sábado (7), as mães que tiverem seus bebês na maternidade receberão o comunicado e várias orientações sobre a amamentação.

Segundo Machado, a Semana Mundial de Aleitamento Materno é de grande importância, quando as equipes de saúde intensificam o trabalho de conscientização sobre o aleitamento materno, principalmente para que seja a alimentação exclusiva nos seis primeiros meses de vida. “Todas as nossas unidades de saúde intensificam esse trabalho, fazem busca ativa de gestantes e ações especiais nas salas de espera nos dias de puericultura; assim como a Maternidade Municipal, que também reforça suas ações. Nosso objetivo é fornecer informações de qualidade e confiáveis para que as mulheres tenham condições de amamentar”, afirmou.

Para o secretário municipal de Saúde, além de abastecer as mães com as informações necessárias, incentivar a amamentação também implica em envolver pais, familiares e toda a rede de apoio. “A amamentação é um processo muito complexo e exige engajamento não só da mulher, mas de toda família, trazendo força e suporte para que resultados venham e a criança seja beneficiada com esse alimento padrão-ouro, o leite materno”, frisou.

A coordenadora de Saúde da Mulher da SMS e integrante do Calma, Priscila Colmiran, complementou que a amamentação é uma forma de proteger os bebês de diversas doenças, inclusive a Covid-19. “É por meio do leite materno que a mãe transmite seus anticorpos para o filho, além de toda nutrição e hidratação que ele precisa. Vacinar-se é uma forma segura de se proteger, e amamentar é transferir para o bebê essa mesma proteção”, disse.

Programação

Dentro das atividades do Agosto Dourado e SMAM 2021, as Unidades Básicas de Saúde (UBSs) do Centro e do Padovani programaram atividades para a população de sua área de abrangência. Na UBS Centro, a abordagem foi voltada às mães que levaram seus bebês, nesta quarta-feira (4) para receberem a vacina BCG.

Já na UBS do Padovani, haverá divulgação de materiais sobre amamentação nas redes sociais das Residências Multiprofissional em Saúde da Família, da Universidade Estadual de Londrina (UEL), e de Medicina da Família e Comunidade da SMS; incluindo as páginas no Instagram e grupos de WhatsApp.

Vídeos educativos serão exibidos na televisão instalada na sala de espera, e os profissionais que participam da puericultura e acompanhamento pré-natal serão orientados para que reforcem o tema com os usuários. O intuito é divulgar os benefícios para a saúde da mãe e do bebê, tirar dúvidas e reforçar a necessidade do apoio familiar para que o aleitamento seja feito pelo maior período possível.

Atualmente, a UBS Padovani acompanha cerca de 100 gestantes e sete puérperas. Pela puericultura são atendidas, aproximadamente, 100 crianças com idade de zero a dois anos. A unidade fica localizada na Rua André Buck, 585, Jardim Padovani.

E na Maternidade Municipal Lucilla Ballalai, além das orientações diretamente para as mães, nesta sexta-feira (6) haverá capacitação para profissionais de todas as categorias que atuam na unidade. Com turmas compostas por até dez pessoas, o intuito é que os participantes sejam multiplicadores e repassem as informações aos seus setores.

A enfermeira Tatiana Antonio e Silva, integrante do Comitê Interno de Apoio ao Aleitamento Materno da MMLB, explicou que o enfoque será a conscientização de como o aleitamento contribui para a proteção contra Covid-19. “Faremos esse trabalho educativo para que os servidores e as usuárias tenham essa conscientização. A vacinação contra Covid-19 está disponível para gestantes e puérperas, é segura, e sabemos que o aleitamento estende esse cuidado aos bebês”, citou.

NCPML

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.