Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Demanda antiga do setor de inovação, a extensão dos benefícios fiscais da “Lei Zucchi” para Londrina e região chegou em forma do projeto de lei 289/2021 para votação na Assembleia Legislativa do Paraná e foi comemorada pelo deputado Tiago Amaral (PSB), um dos grandes defensores da ampliação dos benefícios fiscais às empresas de telecomunicação e informática da região.

A proposta encaminhada pelo Poder Executivo altera a Lei nº 14.895/2005 para incluir os municípios de Londrina, Campo Mourão, Cornélio Procópio e Guarapuava, por contarem com campus da UTFPR, entre as cidades com tratamento tributário especial em relação ao ICMS para os estabelecimentos que industrializem produtos eletroeletrônicos, de telecomunicação e de informática. A lei já beneficiava as empresas do ramo instaladas nas cidades de Foz do Iguaçu, Pato Branco, Francisco Beltrão e Dois Vizinhos.

Entre os benefícios está o diferimento do recolhimento do ICMS correspondente à importação do exterior de componentes, partes e peças para fabricação de produtos de informática, eletroeletrônicos e de telecomunicações; e será concedido aos estabelecimentos, crédito fiscal de ICMS correspondente a 80% do valor do ICMS destacado na venda dos produtos.

A proposta atende demanda do setor e empresários de Londrina vêm, há algum tempo, reivindicando a inclusão na lei para beneficiar empresas de eletroeletrônicos, telecomunicações e de tecnologia da informação para tornar o polo de inovação da cidade mais competitivo.

“Londrina é destaque no ecossistema de startups, não tem lógica ficar de fora”, afirma o deputado Tiago Amaral (PSB).

O deputado Tiago Amaral apresentou em 2020 na Assembleia Legislativa o projeto de lei 688/2020 para ampliar os benefícios fiscais, mas na sequência a proposta foi encampada pelo Governo do Paraná que agora enviou à Assembleia o texto para apreciação dos deputados. A proposta aguarda análise da Comissão de Constituição e Justiça, depois seguirá a tramitação nas demais Comissões para depois ser apreciada em plenário.

ALEP

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.