Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Parceria com a Secretaria de Políticas para as Mulheres estimula artesãs a produzirem máscaras para venda durante a pandemia do coronavírus

Para ajudar as artesãs de Londrina a garantirem uma renda extra, a Secretaria Municipal de Políticas para as Mulheres (SMPM), por meio Centro de Oficinas para Mulheres (COM), antiga Casa da Mulher, vem estimulando as mulheres, que fazem artesanato e participam do Movimento de Economia Criativa de Londrina, a continuarem confeccionando seus artefatos.

Assim, mesmo que de forma adaptada, durante esse período de pandemia causada pelo coronavírus, as artesãs conseguem somar uma renda extra no final do mês. Isso porque, devido às limitações para a realização de eventos, como as feiras abertas ao público, muitas mulheres acabaram ficando sem um local público para expor seus produtos. Segundo a diretora do COM, Carla Ramos, foi assim que surgiu a ideia de estimulá-las a continuar produzindo mercadorias que são muito úteis nessa época, como é o caso das máscaras.

Com isso, sete artesãs da Feira da Praça Júlio Amaral Neto, que fica na Praça do Guanabara (em frente à sede da Secretaria de Políticas para as Mulheres) estão costurando máscaras de tecido e vendendo-as ao custo de R$ 5,00 pelas redes sociais e por aplicativos de conversa por celular. “Justamente para ajudá-las na parte financeira, para gerar renda e complementar à familiar, demonstrar seu trabalho através do artesanato e a garantir a autonomia financeira, que é uma das nossas linhas de trabalho no Centro de Oficinas para Mulheres, que estamos divulgando o trabalho dessas artesãs”, disse a diretora.

Estão sendo costuradas máscaras de tecido estampadas e lisas, que podem ser utilizadas dos dois lados (dupla face), com tiaras, laços e elástico. Para adquiri-las, os interessados devem entrar em contato direto com as artesãs. Os telefones são feitos com as artesãs Cláudia (99926-5878), Fran Bolsas (99944-5622), Fernanda (99125-2307), Overloque (99992-3261), Paula Artes (99919-4677), Suely (99989-1952) e Thaize (99184-5094).

Ao todo, 60 pessoas participam da feira que acontece na Praça Júlio Amaral Neto, entre a Avenida Higienópolis e a Rua Santiago. Porém, no momento, para evitar a aglomeração de pessoas e, consequentemente, a propagação da Covid-19, as iniciativas como essas estão suspensas temporariamente. O objetivo da feira é estimular a autonomia financeira e a geração de renda dos artesãos, por meio do apoio do poder público municipal.

Além disso, a valorização do processo de comercialização de produtos manuais e artesanais feito pelos artesãos da cidade de Londrina faz partes das ações do programa de geração de renda da SMPM e, por isso, não são aceitos revendedores. Apenas podem participar as pessoas que realmente produzem artesanatos. A mulher que quiser participar e expor seus trabalhos deve entrar em contato com a Secretaria Municipal de Políticas para as Mulheres, pelo (43) 3378-0111 ou pelo e-mail do Centro de Oficinas que é com.mulher@londrina.pr.gov.br ou ir diretamente na sede da SMPM que fica na Rua Valparaíso esquina com a Avenida Higienópolis. É preciso ter mais de 18 anos, residir em Londrina, realizar trabalhos manuais e preencher o formulário da SMPM.

NCPML

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios