Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Objetivo é recolher aparelhos antigos de televisão, que devem ser descartados com o fim do sinal analógico; ação ocorrerá durante toda essa semana

Com o desligamento do sinal analógico de televisão em Londrina e outros 154 municípios do interior do Paraná, previsto para esta quarta-feira (28), a expectativa de organizações que trabalham com reciclagem é que muitas pessoas se desfaçam de seus aparelhos antigos de TV. Para garantir que os televisores tenham destinação ambientalmente correta, a Câmara Municipal de Londrina promove nesta semana (26 a 30), em parceria com a ONG E-letro, uma campanha para recolher equipamentos eletroeletrônicos fora de uso. Os materiais poderão ser entregues pela população, das 9 às 18 horas, na entrada principal do prédio do Legislativo, em frente da Praça dos Três Poderes.

Os aparelhos de tubo apresentam grande quantidade de chumbo e outras substâncias capazes de contaminar o meio ambiente. Segundo o presidente em exercício da Câmara, vereador Ailton Nantes (PP), o objetivo da campanha é evitar que os equipamentos cheguem a locais impróprios, oferecendo riscos à saúde humana e ao meio ambiente. “Percebemos que alguns munícipes têm feito o descarte irregular em vias públicas, o que nos motivou a fazer uma parceria com a organização E-letro para que os cidadãos tenham a oportunidade de dar um destino correto aos aparelhos”, afirma.

Nantes lembra que durante a ação serão recolhidos também outros equipamentos eletroeletrônicos, como aparelhos de som e DVD, baterias e carregadores de celular, ferros de passar roupa e notebooks. O material será doado pela ONG E-letro a instituições sem fins lucrativos. Já os itens que não puderem ser consertados e reutilizados serão desmontados e terão seus componentes enviados a indústrias para reaproveitamento. Lâmpadas e pilhas não serão recebidas.

Fundada há dez anos em Londrina, a ONG E-letro (antiga E-lixo) recolhe cerca de 40 toneladas de produtos eletroeletrônicos por mês, em 80 municípios do Paraná e do oeste paulista. De acordo com o diretor da organização, Alex Gonçalves, a quantidade de equipamentos de TV deve ser expressiva neste fim de ano, tanto pelo desligamento do sinal analógico quanto pelas vendas de Natal. “A troca de equipamentos é gigante de dezembro a janeiro. Esse ano é atípico e o volume deve ser ainda maior. O recolhimento deve aumentar uns 25%”, estima. Esta não é a primeira vez que a Câmara desenvolve parceria com a ONG para coletar aparelhos fora de uso. Em 2016, duas ações semelhantes foram realizadas no estacionamento do Legislativo, totalizando dois dias de doações. As campanhas não trazem custos para a Câmara, que apenas cede o espaço.

Silvana Leão/Asimp/CML

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios