Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

A parceria com a ACIL, Arquidiocese de Londrina e várias outras igrejas e entidades deve minimizar o sofrimento de parte das famílias vulneráveis.

A Campanha para arrecadar alimentos e outros itens para as famílias em situação de vulnerabilidade recebeu nove toneladas de produtos em apenas três dias. As  doações em alimentos foram divididas em 600 cestas básicas, que começaram a ser entregues na semana passada para as famílias cadastradas nos Centros de Referência de Assistência Social (CRAS). É necessário, porém, que o voluntariado cresça muito.  As expectativas é de que a crise econômica seja intensa e longa.

A secretária municipal de Assistência Social, Jacqueline Marçal, explicou que a secretaria está centralizando a entrega. “Cada cesta é repassada a partir de uma avaliação técnica. Estamos monitorando todas as solicitações de benefícios para atingir o maior número de famílias, conforme cadastro da Assistência”, disse.

A prefeitura disponibilizou três pontos de coleta dos donativos, ou seja, para as pessoas que desejam doar os itens: CMEI Valéria Veronesi/Super Creche (drive thru/dentro do carro), na Rua Benjamin Constant, 800 (entrada pela Rua Minas Gerais); Centro Cultural da Região Norte (drive thru), na Avenida Saul Elkind, 790; Espaço Dom Bosco, na Paróquia Nossa Senhora Auxiliadora, Rua Dom Bosco, 55.

A Secretaria Municipal de Defesa Social também participa da ação prestando apoio no suporte logístico, ou seja, fazendo o transporte dos alimentos entre os pontos de arrecadação e distribuição. Vale ressaltar que a Guarda Municipal realiza, 24 horas por dia, patrulhamento preventivo pelas ruas nesse momento e busca garantir a segurança dos servidores e voluntários envolvidos na campanha.

As doações podem ser feitas de segunda a sexta-feira, das 9 às 17 horas.  Os itens estão sendo recebidos em esquema de drive-thru, sem que o doador saia do seu veículo. Podem ser doados alimentos não perecíveis e produtos de higiene pessoal e de limpeza. A Secretaria Municipal de Educação frisa que os pontos de coleta são para as pessoas doarem, e não receberem os itens, já que as famílias beneficiadas estão sendo selecionadas pela Assistência Social do Município.

A campanha também disponibilizou o telefone 0800-4000-140, por meio da Contact Center, para mais informações a quem deseja aderir, seja empresa, indústria ou um cidadão. A coordenação das ações é feita pela Prefeitura, envolvendo secretarias e órgãos municipais, com parceria e apoio de entidades e associações da sociedade civil, lideranças religiosas e demais organizações. A ação foi idealizada por conta da pandemia do coronavírus, que tem provocado, em todo o mundo, não só um aumento no número de pessoas doentes, mas também sérias dificuldades sociais e econômicas.

Voluntários

Além da doação de produtos, a Prefeitura recebeu 264 inscrições para trabalho voluntário na pandemia: psicólogos, médicos, estudantes da área da Saúde, enfermeiros, advogados, técnicos em enfermagem, entre outros. Nos próximos dias, a Prefeitura vai entrar em contato com estas pessoas para que elas possam iniciar o trabalho.

O cadastro da campanha “Seja um voluntário para atuar na pandemia”, continua aberto, no portal https://www.londrina.pr.gov.br/informacoes-gerais-corona-virus. Podem se cadastrar tanto voluntários em geral, quanto estudantes matriculados em cursos de graduação ou cursos profissionalizantes.

A ação é voltada para pessoas de ambos os sexos, de 18 a 59 anos de idade, e que se autodeclarem em boas condições de saúde. No cadastro, é preciso confirmar o interesse e qual a disponibilidade de tempo para realizar ações. Também é possível escolher qual Unidade Básica de Saúde (UBS) tem interesse em colaborar, e quais ações está disposto a fazer.

NCPML

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios