Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Durante a sessão desta terça-feira a Câmara de Vereadores sediará a abertura oficial do Junho Vermelho e 4ª Quinzena Municipal de Conscientização à Doação de Sangue

A Câmara Municipal de Londrina sedia nesta terça-feira (29), às 14h30, a cerimônia de abertura das comemorações oficiais do Junho Vermelho e 4ª Quinzena Municipal de Conscientização à Doação de Sangue, instituídos respectivamente por meio das leis municipais nº 12.587/2017 e nº 12.037/2014. A solenidade marca o início de uma grande mobilização anual com o desenvolvimento de várias atividades para incentivo à doação permanente de sangue, realizada pelo Hemocentro Regional de Londrina (Hemocentro do Hospital Universitário - HU), por meio do Centro de Hematologia e Hemoterapia do Paraná (Rede Hemepar), com apoio da Câmara de Vereadores e Prefeitura de Londrina, em parceria com instituições públicas e privadas.

O vereador Junior Santos Rosa (PSD), autor da lei que criou o Junho Vermelho no município, lembra tradicionalmente, que neste período do ano, reduz o número de doações de sangue. “Esta parceria da Câmara com instituições que lutam pela conscientização da importância de doar sangue vem justamente para mostrar a necessidade de regularização dos estoques durante o ano todo”, destaca Junior Santos Rosa, lembrando ainda que em 14 de junho celebra-se o Dia Mundial do Doador de Sangue, data estabelecida pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

Já o vereador Tio Douglas (PTB), autor da lei que instituiu a Quinzena de Conscientização à Doação de Sangue, ressalta que as ações durante os últimos quatro anos consecutivos levaram a um aumento significativo e muito importante das doações ao Hemocentro do HU. “No início, em 2014, o volume coletado ficava entre 700 e 750 bolsas de sangue. Hoje a média é de 1,2 mil bolsas por mês, mas ainda não é suficiente.” O parlamentar explica que este ano foi iniciado um esforço para envolver todos os 21 municípios pertencentes à 17ª Regional de Saúde na mobilização. “Oito deles já foram visitados e demonstraram uma boa receptividade. A ideia é buscar apoio da Avempar (Associação dos Vereadores do Médio Paranapanema) para que seja viabilizado o transporte de doadores dos municípios vizinhos ao Hemocentro Regional em Londrina”, completa Tio Douglas.

Desafios

Segundo o coordenador médico do Hemocentro Regional, a meta é chegar à média de 2 mil bolsas coletadas mensais. “Nossos grandes desafios são intensificar a conscientização para que cada vez mais pessoas sejam doadoras e conseguir implantar um ponto de coleta avançada no Centro de Londrina, facilitando o acesso ao serviço. Uma de nossas maiores dificuldades hoje é a distância do Hemocentro (com sede ao lado do HU) da área central da cidade,” lembra o hematologista Fausto Trigo.

O médico informa que um imóvel de 150 metros quadrados, onde antes funcionava a Clínica Odontológica Universitária (COU) da Universidade Estadual de Londrina (UEL), junto ao Colégio de Aplicação, deverá ser reformado para abrigar o ponto de coleta de sangue. “Estamos em fase de elaboração e aprovação de projetos para o início da reforma. A ideia é viabilizarmos a implantação em um ano. Este é um desejo antigo e uma medida muito importante para facilitar o acesso da população ao Hemocentro”, reforça o médico.

O Hemocentro Regional do HU integra a Rede Hemepar, serviço público unificado de coleta, armazenamento, processamento e distribuição de sangue do Estado do Paraná e é responsável pelo fornecimento de sangue e seus derivados a 22 hospitais que prestam atendimento pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Destes, cinco estão em Londrina (Hospital Universitário, Hospital do Câncer, Hospital Zona Norte, Hospital Zona Sul e Maternidade Municipal) e os demais em municípios integrantes da 17ª Regional de Saúde.

Asimp/CML

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios