Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Investimento total é de quase R$ 24 milhões e a expectativa é gerar 12 mil vagas de emprego; complexo industrial tem mais de 1 milhão de metros quadrados com capacidade de 90 lotes

Dia histórico para a cidade de Londrina. Ontem (15), foi oficializada a liberação de recursos para o início das obras da Cidade Industrial de Londrina, complexo de loteamentos que abrigará o primeiro condomínio industrial do município, possibilitando a construção de um amplo ramal de desenvolvimento da economia local. A homologação aconteceu na Associação Comercial e Industrial de Londrina (ACIL), com a presença do governador do Paraná, Carlos Massa Ratinho Júnior e de várias lideranças da cidade. A expectativa é de que as obras se iniciem em breve, já que a licitação feita pela prefeitura acaba de ser concluída.

“O Condomínio será um divisor de águas na história de Londrina e marcará o ponto em que a cidade optou por receber de fato as indústrias com estrutura e braços abertos para o crescimento sustentável”, garante o prefeito Marcelo Belinati. Localizado na região norte da cidade, o complexo industrial conta com área de 47 alqueires e capacidade para 90 lotes, que terão de 2 a 6 mil metros quadrados cada. O espaço terá área total de mais de 1,1 milhão de m², com 395 mil m² em área a ser construída. O projeto inclui espaços verdes e fundos de vale preservados. Serão mais de 82.500 m² apenas em pavimentação.

O futuro parque industrial será instalado no prolongamento da Avenida Saul Elkind, Gleba Jacutinga, divisa com Cambé. A expectativa do prefeito Marcelo Belinati é que a Cidade Industrial traga para a região indústrias e empresas de diferentes segmentos de atuação, com potencial para gerar até 12 mil vagas de emprego, entre trabalhos diretos e indiretos.

O investimento total do Município será de R$ 23.942.092,99 e o prazo de execução da obra é de 18 meses. Os recursos são provenientes de empréstimo do governo do Paraná, via Secretaria de Estado do Desenvolvimento Urbano (SEDU), por meio do Serviço Autônomo Paranacidade, A responsável pelas obras será a Construtora e Incorporadora Squadro LTDA, contratada via processo licitatório. O valor máximo do edital era de R$ 31,7 milhões e, portanto, a economia no certame foi de aproximadamente R$ 7,8 milhões.

As empresas que irão se instalar na Cidade Industrial de Londrina contarão com infraestrutura completa para funcionar no local. A obra inclui serviços preliminares, terraplenagem, drenagem, pavimentação asfáltica, serviços de urbanização, redes de água e esgoto, iluminação pública, ensaios tecnológicos e serviços complementares, entre outros.

O governador Ratinho Junior enfatizou que este é um dia histórico para a cidade de Londrina, em especial na geração de empregos e na industrialização da cidade. Ele lembrou que a vocação econômica de Londrina sempre foi muito ligada ao setor de serviços, ao comércio, que é muito pujante, mas que a industrialização tinha um pequeno pedaço do poderio econômico de Londrina, o que já está sendo mudado. “De tudo que é produzido em Londrina, aproximadamente 18% fica com a indústria. Com esse novo parque industrial, vamos dar um salto na industrialização do município, com a vinda de grandes empresas para cidade, gerando muitos empregos e potencializando a economia de Londrina, segunda maior cidade do Estado, e que precisava de um parque industrial, discutido desde a década de 90”, frisou.

Segundo o presidente do Instituto de Desenvolvimento de Londrina (CODEL), Bruno Ubiratan, a liberação das obras da Cidade Industrial é um marco histórico para o município. Ele ressaltou que o projeto é desejado há décadas e, agora, finalmente será extraído do papel e colocado efetivamente em prática, devido à ampla organização e planejamento da Prefeitura. “A instalação deste complexo é uma grande conquista e permitirá gerar milhares de empregos, trazer renda para Londrina, estimulando o desenvolvimento industrial e econômico. Já existem cerca de 120 indústrias interessadas em adquirir um dos 90 lotes que serão disponibilizados, posteriormente, com licitação específica. A CODEL irá acompanhar todos os passos da instalação e contratação das empresas, por meio de um trabalho intenso e amplo que já vem sendo realizado”, afirmou.

Contratação

A fase de licitação para a implantação do complexo Cidade Industrial de Londrina atraiu propostas de dez empresas interessadas. Foram necessárias várias etapas, desde a abertura, envio de propostas, análises técnicas e fases recursais, até o resultado e homologação final. Os trabalhos foram conduzidos pelas secretarias municipais de Gestão Pública e de Obras e Pavimentação, sob orientação jurídica da Procuradoria-Geral do Município (PGM).

Este foi um dos processos licitatórios com maior valor orçado realizado, nos últimos anos, pela Prefeitura de Londrina, gerando ampla concorrência. Houve análise técnica rigorosa para definir a contratação dos serviços para a implantação da Cidade Industrial. A ordem de serviço para o início oficial das obras tem previsão para ser lançada em até uma semana.

Renan Oliveira e Dayane Albuquerque/NCPML

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios