Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Plenária debaterá as questões dos direitos das crianças e adolescentes, em alusão ao Dia 18 de maio

Nesta quinta-feira (13), a partir das 8h30, o Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (CMDCA) vai debater a violência e os abusos sofridos pelas crianças e adolescentes brasileiras. A intenção é marcar o Dia 18 de maio, em alusão ao Dia Nacional de Combate ao Abuso e Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes. Os debates serão on-line e ao vivo, com transmissão pelo webconf (clique aqui).

Foram convidadas, para participar da plenária, as seguintes autoridades: Carla Cristina Gimenez de Sá do Conselho Tutelar; Fabio Eiji Sato da Defensoria Pública do Paraná; Márcio Antunes do Núcleo de Proteção à Criança e ao Adolescente Vítimas de Crimes (NUCRIA); Jualina Catarino da Secretaria Municipal de Assistência Social (SMAS); Lilian Nellessen da Secretaria de Saúde (SMS); e Martinha Clarete Dutra da Secretaria Municipal de Educação (SME). Além deles, foram convidados o Ministério Público do Paraná; a Vara da Infância e Adolescente; e os integrantes do Comitê de Gestão Colegiada da Rede de Cuidado e de Proteção Social das Crianças e dos Adolescentes Vítimas ou Testemunhas de Violência (CMRPC).

Durante a plenária serão transmitidos 16 vídeos enviados pelas instituições que trabalham com criança e adolescente. Todas as entidades da área foram convidadas para participar e puderam produzir e enviar material. Os vídeos tratam sobre o serviço realizado pela instituição; passam orientações para a comunidade e para as crianças e adolescentes; abordam os direitos das crianças e adolescentes e chamam a atenção para o tema da violência infantil de forma lúdica, por meio da música, dança, teatro, fantoches, poemas e outras formas de cultura e arte. As instituições puderam fazer vídeos com apresentações artísticas das crianças e dos adolescentes, entrevistas com os educandos ou sobre o dia a dia da instituição e relativos aos serviços ofertados.

O objetivo deste encontro é chamar a atenção da sociedade para o debate sobre as medidas de prevenção ao abuso e exploração sexual infantil no município de Londrina. Por isso, durante a reunião, serão divulgadas as formas de proteção às vitimas de abuso, violência ou outros tipos de maus-tratos, trazendo à tona os direitos desse público e os canais para a população fazer a denúncia. “Tradicionalmente o CMDCA faz seu ato público no dia 18 de maio, no Calçadão, em alusão ao combate à violência contra as crianças e adolescentes.  Infelizmente, este ano, não podemos aglomerar, mas também não podemos deixar a data passar em branco. Sabemos que, com a pandemia, os números da violência tem aumentando drasticamente e, por isso, no dia 13 teremos uma grande mobilização on-line com debates sobre o tema”, explicou a secretária executiva do CMDCA, Daniele Fioravante.

Para a presidente do CMDCA, Magali Batista de Almeida, a expectativa para a reunião é grande, visto que, apesar do distanciamento social, será realizado o debate sobre o tema que é extremamente importante, como os direitos dos menores de 18 anos e situações mais vulneráveis ou que sofrem algum tipo de violência. “Devido à pandemia e o distanciamento social, decidimos realizar essa plenária com pauta única. Esperamos que todos os interessados no assunto participem, como os conselheiros, as entidades ligadas a área e os serviços da rede. A novidade deste ano é que também vamos divulgar vídeos curtos, nas redes sociais do CMDCA, do dia 13 até o dia 18 de maio”, contou a presidente do CMDCA, Magali Batista de Almeida.

Sobre 18 de maio

A data marca o Dia Nacional de Combate ao Abuso e Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes. Ele foi instituído para marcar um crime que chocou o Brasil, em 1973, quando a menina Araceli Cabrera Sanches, de 8 anos de idade, foi sequestrada, drogada, espancada, estuprada e morta por membros de uma família tradicional do Espírito Santo. O crime ficou impune. Por isso, pensando em conscientizar a população sobre a necessidade de se colocar em prática os direitos e deveres dos menores de 18 anos, contidos no Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), foi instituída a data.

O cidadão que verificar alguma situação de violência contra crianças e adolescentes deve denunciar, pelo Disque 100. O serviço funciona 24 horas por dia. Ele é gratuito e não há necessidade de se identificar para fazer a denúncia.

NCPML

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.