Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Plenária debaterá as questões dos direitos das crianças e adolescentes, em alusão ao Dia 18 de maio

Nesta quinta-feira (13), a partir das 8h30, o Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (CMDCA) vai debater a violência e os abusos sofridos pelas crianças e adolescentes brasileiras. A intenção é marcar o Dia 18 de maio, em alusão ao Dia Nacional de Combate ao Abuso e Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes. Os debates serão on-line e ao vivo, com transmissão pelo webconf (clique aqui).

Foram convidadas, para participar da plenária, as seguintes autoridades: Carla Cristina Gimenez de Sá do Conselho Tutelar; Fabio Eiji Sato da Defensoria Pública do Paraná; Márcio Antunes do Núcleo de Proteção à Criança e ao Adolescente Vítimas de Crimes (NUCRIA); Jualina Catarino da Secretaria Municipal de Assistência Social (SMAS); Lilian Nellessen da Secretaria de Saúde (SMS); e Martinha Clarete Dutra da Secretaria Municipal de Educação (SME). Além deles, foram convidados o Ministério Público do Paraná; a Vara da Infância e Adolescente; e os integrantes do Comitê de Gestão Colegiada da Rede de Cuidado e de Proteção Social das Crianças e dos Adolescentes Vítimas ou Testemunhas de Violência (CMRPC).

Durante a plenária serão transmitidos 16 vídeos enviados pelas instituições que trabalham com criança e adolescente. Todas as entidades da área foram convidadas para participar e puderam produzir e enviar material. Os vídeos tratam sobre o serviço realizado pela instituição; passam orientações para a comunidade e para as crianças e adolescentes; abordam os direitos das crianças e adolescentes e chamam a atenção para o tema da violência infantil de forma lúdica, por meio da música, dança, teatro, fantoches, poemas e outras formas de cultura e arte. As instituições puderam fazer vídeos com apresentações artísticas das crianças e dos adolescentes, entrevistas com os educandos ou sobre o dia a dia da instituição e relativos aos serviços ofertados.

O objetivo deste encontro é chamar a atenção da sociedade para o debate sobre as medidas de prevenção ao abuso e exploração sexual infantil no município de Londrina. Por isso, durante a reunião, serão divulgadas as formas de proteção às vitimas de abuso, violência ou outros tipos de maus-tratos, trazendo à tona os direitos desse público e os canais para a população fazer a denúncia. “Tradicionalmente o CMDCA faz seu ato público no dia 18 de maio, no Calçadão, em alusão ao combate à violência contra as crianças e adolescentes.  Infelizmente, este ano, não podemos aglomerar, mas também não podemos deixar a data passar em branco. Sabemos que, com a pandemia, os números da violência tem aumentando drasticamente e, por isso, no dia 13 teremos uma grande mobilização on-line com debates sobre o tema”, explicou a secretária executiva do CMDCA, Daniele Fioravante.

Para a presidente do CMDCA, Magali Batista de Almeida, a expectativa para a reunião é grande, visto que, apesar do distanciamento social, será realizado o debate sobre o tema que é extremamente importante, como os direitos dos menores de 18 anos e situações mais vulneráveis ou que sofrem algum tipo de violência. “Devido à pandemia e o distanciamento social, decidimos realizar essa plenária com pauta única. Esperamos que todos os interessados no assunto participem, como os conselheiros, as entidades ligadas a área e os serviços da rede. A novidade deste ano é que também vamos divulgar vídeos curtos, nas redes sociais do CMDCA, do dia 13 até o dia 18 de maio”, contou a presidente do CMDCA, Magali Batista de Almeida.

Sobre 18 de maio

A data marca o Dia Nacional de Combate ao Abuso e Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes. Ele foi instituído para marcar um crime que chocou o Brasil, em 1973, quando a menina Araceli Cabrera Sanches, de 8 anos de idade, foi sequestrada, drogada, espancada, estuprada e morta por membros de uma família tradicional do Espírito Santo. O crime ficou impune. Por isso, pensando em conscientizar a população sobre a necessidade de se colocar em prática os direitos e deveres dos menores de 18 anos, contidos no Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), foi instituída a data.

O cidadão que verificar alguma situação de violência contra crianças e adolescentes deve denunciar, pelo Disque 100. O serviço funciona 24 horas por dia. Ele é gratuito e não há necessidade de se identificar para fazer a denúncia.

NCPML

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios