Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Uma das principais iniciativas conduzidas pelo órgão é a regularização fundiária, que proporciona títulos de propriedade de imóveis e bairros com infraestrutura urbana para famílias de baixa renda

Na quinta-feira (26), a Companhia de Habitação de Londrina (Cohab – Ld) completou 56 anos de fundação. Instituído por meio da Lei Municipal nº 1008, de 26 de agosto de 1965, o órgão construiu seu primeiro conjunto habitacional – o Vitória Régia – na região leste de Londrina, em 1970. O empreendimento, que foi financiado com recursos do Banco Nacional da Habitação (BNH), contava com 132 residências.

Atualmente, a Companhia continua trabalhando para garantir o direito à moradia para as famílias londrinenses de baixa renda. Desde 2017, ações de regularização fundiária foram concluídas em cinco áreas anteriormente pertencentes ao Município, incluindo a Vila Amaral, os jardins Leste-Oeste e Shekinah. Com o apoio do prefeito Marcelo Belinati, iniciativas semelhantes serão realizadas em outros nove bairros. Os trabalhos de regularização incluem a implantação de infraestrutura de água e esgoto; rede elétrica; iluminação em LED; pavimentação asfáltica; galerias pluviais; e calçadas, entre outras melhorias. Ao todo, duas mil famílias e cerca de seis mil pessoas serão beneficiadas por essas medidas.

O presidente da Cohab-Ld, Luiz Cândido de Oliveira, frisou que, além de conceder os títulos de propriedade das casas, os processos de regularização contribuem para promover a dignidade e autoestima das comunidades contempladas. “Muitas dessas famílias esperaram por 40 ou 50 anos para ter suas moradias regularizadas. Agora, estão vivendo em bairros que oferecem toda a infraestrutura necessária e qualidade de vida”, disse.

Outra iniciativa importante que está sendo viabilizada pela Companhia é a entrega de 331 lotes urbanizados, dotados de infraestrutura, para famílias em situação de vulnerabilidade residentes no entorno dessas regiões. Esses espaços pertencem à Cohab, que contemplará os beneficiários com projetos arquitetônicos para a construção de suas próprias casas.

No exercício de suas atribuições, a Companhia de Habitação de Londrina conta com parcerias importantes com o Governo Federal e o Governo do Estado do Paraná. Por meio do programa federal Casa Verde Amarela, serão construídas 1.800 unidades habitacionais em bairros planejados de Londrina, destinadas aos cadastrados na Cohab-Ld. Além disso, em parceria com a Companhia de Habitação do Paraná (Cohapar), a Cohab está viabilizando a construção de 1.583 moradias na cidade. Através do programa Casa Fácil, o Governo Estadual fornecerá subsídios de R$ 15 mil às famílias contempladas, para facilitar a aquisição dos imóveis.

Também em parceria com o Governo do Paraná – e executada pela Pacaembu Construtora – a construção do Residencial Bem-Viver 1, que já está em andamento, proporcionará 866 novas unidades habitacionais para Londrina. Já o Bem-Viver 2 e 3, que contam com investimentos de R$ 90 milhões, contemplarão mais 643 famílias de baixa renda.

Ainda em parceria com a Cohapar, e com investimentos estaduais de aproximadamente R$ 5 milhões, o condomínio para idosos de Londrina contará com 40 moradias adaptadas para pessoas com mais de 60 anos. Os beneficiários poderão morar sozinhos ou em casal, em um local com ampla infraestrutura de saúde, lazer e espaços de convivência.

Segundo o diretor-presidente da Cohab-Ld, uma conquista recente do órgão e de grande importância é a escolha de Londrina, pelo Ministério do Desenvolvimento Regional, para receber um empreendimento habitacional sustentável. A iniciativa será baseada no projeto vencedor do concurso nacional de arquitetura “Habitação de Interesse Sustentável”. “Londrina foi contemplada com o projeto desenvolvido por Ricardson Ricardo, da Síntese Arquitetura. É um conceito muito sofisticado, que inclui integração dos espaços habitacionais com o comércio, no pavimento térreo, e áreas de convivência interna. Além disso, o empreendimento será construído com uso de práticas e materiais sustentáveis, voltados ao conforto acústico e térmico”, afirmou.

De acordo com o diretor Administrativo-Financeiro da Companhia de Habitação de Londrina, Edimilson Salles, o órgão seguirá buscando recursos para a implantação de novos projetos. “Estamos realizando diversas reuniões com os governos federal e estadual, e buscando emendas junto a parlamentares. Também estamos promovendo alienações de terrenos pertencentes à Cohab,  mas que não podem ser usados para a construção de moradias de interesse social, e que inclusive geram custos altos de manutenção. Essas iniciativas nos permitem obter recursos necessários para investimentos na regularização fundiária e outros projetos”, ressaltou.

Histórico

Após sua fundação, a Cohab-Ld experimentou uma expansão significativa ao potencializar a construção de um grande número de moradias com recursos federais. Os Cinco Conjuntos são um marco histórico para Londrina, e tiveram início com as 549 casas do conjunto Ruy Virmond Carnascialli, inauguradas em 1977.

Em seguida, vieram o Milton Gavetti, com 740 unidades; Parigot de Souza (1170); Sebastião de Mello Cesar (350); João Paz (814); Semíramis de Barros Braga (871); Aquiles Stenghel (1000); Luiz de Sá (1000); Vivi Xavier (1000); e Newton Guimarães (287). Em 56 anos de existência, a Cohab realizou a construção de cerca de 50 mil casas, que correspondem a 40% das unidades habitacionais de Londrina.

NCPML

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.