Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Grupo formado por 11 instituições de ensino superior traça primeiras ações para se conectar com os setores econômicos de Londrina, com apoio do Sebrae/PR

A integração do setor produtivo com o acadêmico sempre foi um dos desafios na busca por inovação no Brasil. A distância dos dois setores dificulta a comunicação entre as necessidades do mercado e as soluções criadas pelas universidades. Para que o ecossistema de inovação de Londrina possa usufruir do conhecimento produzido localmente, a governança das instituições de ensino superior (IES) definiu suas primeiras ações com apoio do Sebrae/PR.

Formada por 11 IES, a governança traçou as primeiras ações para conectar a academia e os setores econômicos. “Uma das ações prioritárias definidas pelo grupo é a identificação das principais demandas do mercado local e, a partir disso, conectá-las com as pesquisas realizadas dentro das universidades”, conta a consultora do Sebrae/PR, Alesandra de Almeida.

Segundo ela, a integração entre os dois setores vai trazer contribuições para o ecossistema de inovação de Londrina. “Queremos criar um movimento sinérgico em prol do desenvolvimento local. Londrina tem um importante capital intelectual, que pode trazer soluções para as necessidades do setor econômico”, afirma.

O grupo pretende promover rodadas de conversa entre as próprias instituições de ensino superior, para levantar o que cada uma tem a oferecer em termos de inovação. Também está entre as ações definidas a aproximação com outras governanças da cidade.

Para a presidente da governança, Flávia Pellissari, reitora da Universidade Unopar- Pitágoras, a constituição do grupo representa um avanço para Londrina. “Nossas instituições de ensino superior são geradoras de conhecimento e possuem alto nível de capital intelectual, que pode impulsionar ainda mais a inovação e o desenvolvimento social e econômico em nossa cidade”, afirma.

Segundo ela, as ações da governança permitirão uma comunicação mais efetiva e constante, que vai resultar numa maior sinergia entre as iniciativas dos diferentes setores. “A aproximação com o setor produtivo poderá tornar as ações mais assertivas, alinhando expectativas e realidades em busca de um bem comum”, avalia.

Outro resultado que a governança espera obter é atender a demanda do mercado local por mão de obra qualificada. “Queremos mostrar para o mercado que temos instituições de qualidade que formatam cursos para atender a demanda do setor produtivo. Queremos atrair alunos para esses cursos e garantir profissionais qualificados para atender a todos os setores”, revela o vice-presidente da governança das IES, Victor Cunha, coordenador de Educação Profissional e Tecnológica do Senai.

Constituem a governança das IES a Universidade Estadual de Londrina (UEL), Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR), Instituto Federal do Paraná (IFPR), Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai), Universidade Positivo, Unifil, Unicesumar, Pontifícia Universidade Católica (PUC), Instituto de Ensino Superior de Londrina (Inesul), Unopar e Pitágoras.

Asimp/Sebrae/PR

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.