Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.
Assembleia Legislativa do Estado do Paraná

Loteamento terá infraestrutura urbana e deve abrigar 90 empresas e indústrias, em área com mais de 40 alqueires na região noroeste

O prefeito de Londrina, Marcelo Belinati, acompanhou o início das obras para implantação da Cidade Industrial. O loteamento na região noroeste da cidade terá capacidade para abrigar 90 empresas e possui área total com mais de 1,1 milhão de m². Ontem (30), começaram os serviços de infraestrutura do complexo, contratados pela Prefeitura por licitação no valor de R$ 23,9 milhões.

Para Marcelo, a implantação da Cidade Industrial é um grande feito para Londrina. “Hoje é um dia histórico para nossa cidade. São mais de 40 alqueires, e todos os lotes já possuem empresas interessadas em se instalar, mostrando que Londrina tem sim uma vocação para o setor de industrialização. Já temos um setor de comércio muito forte, assim como a prestação de serviços e o agronegócio, e agora veremos a tão sonhada industrialização da cidade”, frisou.

Com essa obra, o espaço vai se tornar um grande loteamento fechado. Além de cercar a área com cerca paliteiro, estão previstos serviços de infraestrutura urbana, incluindo terraplenagem e pavimentação asfáltica; construção de rede de galeria pluvial para drenagem; saneamento básico, com rede de água e esgoto; iluminação pública com LED; plantio de árvores e gramado; rede de energia elétrica, entre outros.

Os serviços terão prazo máximo de 540 dias para execução, com encerramento previsto para maio de 2022. A empresa responsável é a Construtora & Incorporadora Squadro, vencedora da licitação n° 04/2020, com valor de R$ 23.942.092,99.

A Cidade Industrial fica no prolongamento da avenida Saul Elkind sentido Cambé, região noroeste. O prefeito frisou que há muitas indústrias e empresas que planejam se instalar no empreendimento. “Temos fila de espera de empresas para instalarem aqui, mostrando que Londrina tem um enorme potencial. E a cidade sairá desse momento de crise, que vem acontecendo no mundo todo por conta da pandemia, antes mesmo de muitas outras cidades do Brasil”, afirmou.

O secretário municipal de Obras e Pavimentação, João Verçosa, explicou que o complexo terá características de um condomínio fechado. “Esse loteamento será cercado com pilares de concreto, chamados de cerca paliteiro, e vai receber toda a infraestrutura urbana. E, mais ao final, ciclovia, calçadas pavimentadas e gramado”, comentou.

O planejamento é que, conforme a entrega e liberação da obra, os lotes sejam ocupados pelas indústrias. “É uma grande conquista para a cidade e Londrina precisava de uma obra desse porte, pois vai alavancar o desenvolvimento da região, que é muito populosa e carente de empregos. Esse loteamento será um grande fomentador de empregos, um vetor de desenvolvimento, pois a partir da implantação desse parque industrial muitos outros loteamentos vão se instalar”, prevê Verçosa.

De acordo com o secretário de Obras e Pavimentação, na mesma região, a Prefeitura prevê duplicação da PR-445 até o final da Avenida Saul Elkind. “Isso trará um acesso perfeito para a Cidade Industrial, oferecendo segurança a quem vir para trabalhar e para quem mora na região. E, embora os serviços sejam de infraestrutura básica, será uma obra pesada e em uma área muito extensa. Em termos de tamanho, é como se fosse quase três vezes a área do Conjunto Vista Bela”, destacou.

Doação de área

O presidente do Instituto de Desenvolvimento de Londrina (Codel), Bruno Ubiratan, explicou que os lotes da Cidade Industrial serão concedidos mediante edital de licitação. “As empresas terão o subsídio da Codel de acordo com o número de funcionários. E cada empresa terá que cumprir, durante dez anos, regras como o número de empregos e um mínimo de metragem construída. Após dez anos, poderá requerer a escritura definitiva”, disse.

Segundo Ubiratan, mais de 120 indústrias manifestaram interesse e a capacidade estimada é de 90 instaladas no espaço, com geração de 12 mil empregos. “É um empreendimento que, desde já, impacta a economia local. Serão muitos empregos com a obra, que chega perto de R$ 24 milhões investidos, mais a prestação de serviços, maquinário, então já está movimentando a economia da cidade”, reforçou.

Os recursos públicos para implementação da Cidade Industrial de Londrina provêm de financiamento do governo estadual, via Secretaria de Estado do Desenvolvimento Urbano (SEDU), por meio do Paranacidade.

NCPML

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios