Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Vereadores ouviram pais de pacientes e funcionários sobre o serviço prestado

Os vereadores da Comissão de Seguridade Social da Câmara Municipal de Londrina estiveram ontem (29) no Pronto Atendimento Infantil (PAI) após demandas de usuários sobre lotação e demora no atendimento. Lenir de Assis (PT), Nantes (PP) e Eduardo Tominaga (DEM) conversaram com pais e familiares de pacientes que aguardavam no saguão.

No momento em que os parlamentares estavam no PAI, dos quatro pediatras escalados, três estavam de plantão e um não compareceu pois havia apresentado atestado, segundo informações repassadas pela direção da unidade de saúde. A presidente da comissão da Câmara, vereadora Lenir de Assis, considerou que a estrutura física está a contento, pois a reforma do prédio foi entregue em outubro do ano passado. Segundo ela, a dificuldade está no número de pediatras por plantão.

“Pelo que nós vimos aqui, a estrutura comporta o atendimento, até porque é nova e recentemente foi feita uma reforma. Mas, atualmente, trabalha-se com quatro médicos em cada turno, o ideal seriam seis, e muitas vezes, como é o caso de hoje, você tem pediatras que não estão na escala, por questões médicas ou outras. Hoje, por exemplo, temos três médicos atendendo, o que acarreta esse aumento significativo de horas na fila de espera. Neste caso, é preciso que esta escala esteja adequada, estejam contemplados os médicos suficientes. Neste sentido, estaremos buscando estas alternativas com a Prefeitura”, afirmou Assis.

Os vereadores foram recebidos pelo diretor de urgência da Secretaria Municipal de Saúde, Cleiton Santana, responsável pelo PAI, e conheceram a estrutura física e a dinâmica de atendimento. Como a visita não foi agendada, o secretário municipal de Saúde, Felippe Machado, chegou posteriormente e relatou aos parlamentares que os casos de lentidão no atendimento e lotação são pontuais, pois, segundo ele, os pacientes considerados graves são tratados imediatamente. O secretário afirmou que o ideal seriam seis pediatras atuando nos plantões e que até dezembro deve ser aberto teste seletivo para contratação de oito profissionais para intensificar os atendimentos.

Além dos médicos contratados, também atuam no Pronto Atendimento Infantil pediatras do Consórcio Intermunicipal de Saúde do Médio Paranapanema (Cismepar), que recebem R$ 1.400 por plantão de 12 horas. Conforme relatado aos vereadores pela direção do PAI, o consórcio estuda aumentar para R$ 1.600 o valor pago como forma de atrair mais profissionais para o serviço. A vereadora Lenir de Assis afirmou que pretende se reunir com a direção do Cismepar para garantir que não haja furos nas escalas de pediatras. “Não é todos os dias que esta oferta de plantonistas está disponível para o PAI. Neste sentido, a Comissão de Seguridade Social fará uma conversa com o Cismepar para ver como que esse fluxo de pedido e oferta é tratado diariamente, para que não falte atendimento e que este atendimento seja mais ágil”, defendeu.

O secretário de Saúde, Felippe Machado, considerou como importante a visita feita pelos vereadores e disse que o Município tem buscado alternativas para aprimorar o atendimento. “O PAI hoje é o único e exclusivo local, na nossa região, de atendimento de pediatria 24 horas. É natural que, neste contexto, em determinados momentos possa haver uma sobrecarga, um excesso de demanda nesta estrutura e nós estamos buscando alternativas. Todas elas foram apresentadas aos vereadores para conseguir ampliar a escala médica neste momento e dar vazão mais rápida aos atendimentos de menor complexidade nestes momentos em que a gente observa um elevado tempo de espera”, afirmou.

Visitas

A ação faz parte de uma série de visitas que a Comissão de Seguridade Social tem feito em estabelecimentos de saúde pública de Londrina. Os vereadores já estiveram no Hospital da Zona Norte (Hospital Dr. Anísio Figueiredo), no Hospital da Zona Sul (Hospital Dr. Anísio Figueiredo) e nas Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) da cidade. Serão vistoriados ainda os Centros de Atenção Psicossocial (Caps), sem data prevista.

A Comissão de Seguridade Social tem entre as atribuições atuar em assuntos relativos à saúde pública. O grupo é formado pelos vereadores Lenir de Assis (PT), como presidente, Nantes (PP), como vice-presidente, e Eduardo Tominaga (DEM), como membro.

Vinicius Frigeri/Asimp/CML

#JornalUnião

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.