Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Em reunião da Comissão de Desenvolvimento Econômico, participantes também cobraram mais agilidade para abertura de empresas na cidade

A Comissão de Desenvolvimento Econômico e Agronegócio da Câmara Municipal de Londrina (CML) realizou, ontem (3), reunião pública para tratar do desenvolvimento da cidade. O debate foi realizado remotamente com transmissão ao vivo. A íntegra está disponível nos canais da Câmara de Londrina no Facebook e Youtube.

A intenção foi fiscalizar a atuação do poder público nas políticas públicas de atração de indústrias, geração de empregos e fomento da economia, explicou o presidente da comissão, vereador Nantes (PP). “Essa reunião tem como objetivo trazer ao público as informações do Executivo Municipal e também estadual, bem como de outros órgãos que trabalham para o desenvolvimento econômico, sobre qual é o cenário atual da cidade de Londrina dentro desse conceito temático”, argumentou. Além de vereadores, também participaram da reunião representantes do Instituto de Desenvolvimento de Londrina (Codel), Sebrae, Fórum Desenvolve Londrina e Associação Comercial e Industrial de Londrina (Acil)

Cidade Industrial

Os vereadores Chavão (Patriota), Beto Cambará (Podemos) e Nantes questionaram o presidente da Codel, Bruno Ubiratan, sobre o processo de seleção das indústrias que desejam se instalar na Cidade Industrial de Londrina, um futuro condomínio fechado situado na região norte da cidade. O local terá 90 terrenos, entre 2 mil e 6 mil metros quadrados, que serão ofertados a empresas interessadas por meio de licitação pública, conforme explicou Ubiratan. “Ainda não foi aberto esse edital. Essas empresas podem vir aqui, vamos cadastrar e avisá-las quando o edital estiver aberto para elas participarem”, afirmou.

Alvarás

A vereadora Prof.ª Sonia Gimenez (PSB) fez coro com o diretor industrial da Acil, Rogério Chineze, ao cobrar maior rapidez para abertura de empresas na cidade. “Durante o período eleitoral, tive oportunidade de visitar diversos setores de contabilidade e o clamor era imenso. Em todos era a questão da agilidade”, disse a parlamentar.

Tecnologia

O gerente regional norte do Sebrae Paraná, Fabrício Pires Bianchi defendeu investimentos em inovação em setores considerados estratégicos para Londrina: agronegócio, tecnologia da informação, químico, eletrometalmecânico e saúde. Segundo ele, ações nestas áreas contribuiriam para o desenvolvimento de toda a economia local. “A gente acredita muito que os setores tradicionais da economia vão ser impulsionados positivamente com um incentivo para as empresas de base tecnológica, principalmente destes cinco setores”, afirmou.

Em relação à inovação, o presidente da Codel, Bruno Ubiratan, informou que foram investidos R$ 5 milhões para conclusão do Tecnocentro, obra iniciada no fim da década de 1990 no Parque Tecnológico Francisco Sciarra, na região leste de Londrina. “O local estará pronto para ser referência deste centro de inovação para colocar startups, aceleradoras, empresas que queiram desenvolver situações de inovação e tecnologia”, afirmou.

Os vereadores Beto Cambará (Podemos) e Giovani Mattos (PSC), respectivamente, vice-presidente e membro da Comissão de Desenvolvimento da CML, defenderam as políticas públicas de industrialização como forma de alavancar a economia da cidade. “Devemos olhar com atenção para o setor industrial e trabalhar na elaboração de medidas para atrair novas empresas para o nosso município, tendo em vista que possuímos infraestrutura, uma boa logística e mão de obra qualificada, além de um povo com muita vontade e precisando trabalhar”, disse Cambará. “Quando falo de desenvolvimento econômico e industrialização não falo apenas de finanças, mas trato também do desenvolvimento em investimentos na saúde, infraestrutura e tudo aquilo que vai gerar bem-estar social na nossa cidade”, argumentou Mattos.

Vinicius Frigeri/Asimp/CML

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios