Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Em reunião telepresencial, secretária municipal de Educação detalhou o planejamento para o retorno das atividades para as crianças da Educação Infantil e Fundamental

A Frente de Educação do Comitê de Fiscalização e Enfrentamento de Crise da Covid-19 da Câmara de Londrina, representada pelos vereadores Amauri Cardoso (PSDB) e Fernando Madureira (PTB), se reuniu, via videoconferência, ontem (07) com os secretários municipais de Cultura, Caio Cesaro, e de Educação, Maria Tereza Paschoal de Moraes. Também participou a assessora pedagógica, Mariângela Bianchini. Estiveram em pauta as ações que as secretarias de Cultura, Educação e a Fundação de Esportes estão desenvolvendo neste momento de isolamento social.

O vereador Amauri Cardoso (PSDB), que é presidente da Comissão de Educação, Cultura e Desporto, conduziu a reunião e avaliou como positiva a conversa com os representantes do Poder Executivo Municipal. Para ele, o objetivo era entender, principalmente, como a Secretaria Municipal de Educação se mobiliza para cumprir as horas-aula exigidas pelo Governo Federal, diante da restrição de atividades presenciais. “A estratégia da secretária de Educação e de sua equipe, eu entendo que é boa. É bem melhor do que muitas que foram apresentadas por aí. Nós não temos aquilo tudo que o Estado do Paraná tem, como TV aberta, portal [na internet], mas está se buscando uma estratégia com o que nós temos em mãos, que são as impressoras nas escolas para distribuir os materiais para os alunos através dos pais, e as professoras por meio de áudio e vídeo, para aqueles que têm internet, para falar diariamente com os alunos”, argumenta.

A secretária municipal de Educação, Maria Tereza Pachoal de Moraes, explicou que o Conselho Municipal de Educação autorizou que haja um Plano de Estudos Dirigidos para as atividades escolares não presenciais. Segundo ela, os professores das escolas municipais, dos Centros Municipais de Educação Infantil (CMEIs) e dos Centros de Educação Infantil (CEIs) filantrópicos vão preparar de casa, um planejamento diário de atividades para os alunos, que devem ser entregues às famílias a partir do dia 15 de abril.

As orientações serão enviadas aos pais por escrito, quinzenalmente. O material será entregue por funcionários do setor administrativo das escolas, que devem utilizar equipamentos de proteção individual, como máscaras e luvas. Haverá uma escala para que os pais possam buscar as atividades sem gerar aglomerações. Para quem tem acesso à internet, o material será enviado via WhatsApp. O livro didático será utilizado como apoio. A secretária municipal de Educação, Maria Tereza Paschoal de Moraes, orienta que os professores gravem áudio ou vídeo com as atividades para as crianças, para facilitar o entendimento. “Qual é a ideia? Encaminhar algumas atividades pra casa, para que a gente possa, minimamente, consolidar os conteúdos que foram trabalhados no primeiro bimestre, para praticar e estudar em casa, e que essa atividade tenha um planejamento e um registro para que a gente possa computar as 800 horas”, explica.

A Medida Provisória 934/2020, editada pelo Governo Federal no último dia 1º de abril, desobriga escolas de educação básica e superior de cumprir 200 dias letivos, mas mantém a exigência da carga horária mínima anual de 800 horas, como prevê a Lei de Diretrizes e Bases da Educação (LDB).

A comprovação das horas de estudo realizadas pelos alunos em casa será feita por um caderno que os pais vão receber das escolas municipais. Nele deverá constar a data e as atividades realizadas. Cada tarefa uma terá uma duração específica, que será levada em conta para se computar a carga horária do estudante, afirma a assessora pedagógica da Secretaria Municipal de Educação, Mariângela Bianchini. “O professor vai ter o planejamento dela como comprovação daquele conteúdo trabalhado no dia e a criança vai apresentar o caderno, depois, com as atividades daquele dia. Apresentando o caderno e as folhas do livro preenchidos, comprova-se que a criança tem a frequência e o aproveitamento escolar, que a professora vai mensurar”, argumenta.

A Secretaria Municipal de Educação descartou a realização de aulas à distância, via internet ou TV aberta, como está sendo feito pela Secretaria Estadual de Educação do Paraná, pela idade dos alunos atendidos na rede municipal, que estão na Educação Infantil e nos anos iniciais do Fundamental. Contudo, a secretária Maria Tereza reforça que as atividades em casa são essenciais para o desenvolvimento das crianças. “Nós estamos em tempos de guerra. Assim como você vai ao mercado buscar sua subsistência, seu filho não pode deixar de ter um contato com um livro, de ter uma informação, de estudar um pouco”, justifica.

Em relação à merenda ofertada nas escolas, foram distribuídos aproximadamente 10 mil kits com alimentos para as famílias carentes. Uma nova rodada de entrega deve acontecer até o dia 20 de abril, conforme as diretrizes da Secretaria Municipal de Assistência Social.

O vereador Amauri Cardoso afirma que, neste momento, é importante que alunos, pais, professores e funcionários respeitem o isolamento social e, quando houver a entrega de merenda e material das atividades escolares, que sejam adotadas as medidas de segurança e proteção contra a covid-19. “Esperamos que haja o envolvimento de todos. A preocupação dos diretores e coordenadores pedagógicos com quem conversei está com a questão do contágio. Sair de casa, ir lá e se contaminar, voltar pra casa e trazer para as famílias. Acredito que nós temos que encontrar um jeito de lidar com isso”, argumenta.

Cultura

O secretário municipal de Cultura Caio Cesaro também participou da videoconferência e explicou que o setor artístico sofreu um grande impacto, com eventos cancelados e espaços fechados, em cumprimento às recomendações das autoridades de saúde. Cesaro afirmou que o Programa Municipal de Incentivo à Cultura (Promic) foi acelerado para permitir que os participantes pudessem dar andamento aos projetos antes do início do isolamento social. “Com certa antecedência procuramos concluir o resultado final do edital de projetos de bolsas para pessoas físicas, os chamados projetos independentes. Eles estão em processo final de contratação e, para muitos casos, já foram liberadas as primeiras parcelas. Os projetos que têm condição de acontecer estão sendo realizados”, garante.

O secretário de Cultura informou que os projetos que deveriam ser concluídos em março e abril foram prorrogados. Caio Cesaro também afirma que pleiteou junto à Superintendência de Cultura do Paraná um repasse de recursos para o Fundo Municipal de Cultura, para atender à demanda local, incluindo produtores culturais e artistas. Paralelamente, a Secretaria de Cultura desenvolve em parceria com o Sebrae, com o Arranjo Produtivo Local (APL) de Audiovisual e com o Comitê Municipal de Economia Criativa, para um projeto de consultoria para microempreendedores individuais (MEIs) e produtores culturais da cidade.

Esporte

O vereador Fernando Madureira (PTB), que até o mês passado era presidente da Fundação de Esportes de Londrina (FEL), fez um balanço das atividades esportivas no município. Afirmou que é um momento difícil também para quem vive do setor e que, as alternativas encontradas, são aulas via internet para manter as pessoas em movimento. “A ideia é achar saídas saudáveis para enfrentar essa pandemia. Achar saída para que as crianças e jovens não sofram como essa ‘hibernação’ dentro de casa. Estamos procurando mobilizar grupos de luta, ginástica, dança, alongamento para idosos, tudo via remoto, com horário fixo. Estamos vendo efeitos positivos. Todo dias nas atividades a gente reforça a importância da quarentena, da higienização e de pensar no próximo”, argumenta.

Asimp/CML

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios