Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

A Secretaria Municipal de Saúde promoveu, na manhã de ontem (14), a segunda reunião do Comitê Gestor Ampliado contra a Dengue em Londrina, com o objetivo de repassar informativos referentes às ações contra o Aedes aegypti, transmissor da dengue e outras doenças. Foi apresentado um Plano de Ação de Controle do Vetor Aedes Aegypti, bem como atividades já implementadas pela Secretaria de Saúde.

A intenção é frear a infestação do mosquito e a circulação do vírus da dengue, que está bastante alta, de acordo com o último Levantamento Rápido de Infestação do Aedes aegypti (LIRAa), apresentado no início de fevereiro. O Levantamento apontou um Índice de Infestação Predial de 12,1%, o que significa que a cada 100 casas vistoriadas pelos agentes, 12 apresentaram focos positivos do mosquito, caracterizando situação de risco para uma epidemia de dengue.

O secretário municipal da pasta, Felippe Machado, informou que uma das principais ações já definidas, diz respeito à aplicação de veneno Ultra Baixo Volume (UBV) pesado, com 13 carros fumacê, para matar o mosquito adulto. Tanto os veículos quanto o veneno foram cedidos ao município pelo Governo do Estado do Paraná. A aplicação deverá começar na próxima segunda-feira (19) e irá acontecer em todas as regiões da cidade.

Outras quatro importantes iniciativas, que serão realizadas ao longo do ano, foram apresentadas no encontro, a fim de diminuir o LIRAa. A principal é sobre um trabalho que a Secretaria de Saúde vai desenvolver em parceria com a Companhia Municipal de Trânsito e Urbanização (CMTU) e as cooperativas de recicladores. O objetivo é conscientizar a população para fazer a separação e recolhimento de materiais recicláveis, que podem servir de criadouros para o mosquito, e colocá-los para a recolhimento, no dia da coleta.

Segundo a coordenadora de Imunização da Secretaria Municipal de Saúde, Sônia Fernandes, este trabalho foi feito de forma experimental, no ano passado, em alguns bairros, trazendo resultados positivos. “Nestes locais, nós conseguimos que o índice de infestação do mosquito baixasse praticamente a zero. Agora pretendemos expandir o projeto para todas as regiões da cidade, que têm cooperativas de recicladores”, contou.

A outra iniciativa será executada em parceria com a CMTU e a Secretaria Municipal de Obras e Pavimentação. Será feito um planejamento para manutenção das praças públicas, por serem locais que frequentemente apresentam focos do mosquito Aedes aegypti. Ainda em parceria com a CMTU e com a Secretaria Municipal do Ambiente, haverá um cronograma de manutenção também para os fundos de vale da cidade, com a mesma finalidade.

A outra ação será um resgate de um projeto que já foi executado no passado, em parceria com as imobiliárias da cidade. A intenção é fazer uma parceria com estas empresas, para que os imóveis que estão fechados para venda ou locação permaneçam sempre limpos e livres de focos do Aedes. “Primeiro pretendemos fazer a conscientização dos proprietários destes imóveis e posteriormente pegar as chaves para fazer a vistoria”, informou Sônia.

Também serão realizadas ações de combate em campo, com foco na eliminação de criadouros, medidas educativas em locais de grande circulação, como já vem sendo executado pela Secretaria Municipal de Saúde, além de estudos técnicos de viabilidade para a realização de mutirões pontuais de recolhimento de lixo e demais recipientes que podem se tornar criadouros para o mosquito.

Educação nas escolas – Durante a reunião, a Secretaria Municipal de Educação apresentou o projeto “Aedes aegypti – Ler, falar e escrever para combater”, que está sendo executado nas unidades escolares municipais, pela Gerência de Ensino Fundamental e Educação Infantil. O objetivo é desenvolver produções utilizando as diferentes práticas artísticas e discursivas (leitura, escrita e oralidade) ao longo do ano letivo, visando à conscientização e consequentemente medidas de prevenção e combate à proliferação do mosquito Aedes aegypti.

Também estiveram na reunião do Comitê, representantes da sociedade civil organizada, como Sesc, Sanepar, Copel, instituições de ensino como a Universidade Estadual de Londrina (UEL), 17ª Regional de Saúde, secretarias municipais, entre outras instituições.

Números da dengue – Durante o encontro, também foi apresentado o relatório semanal com os dados sobre a dengue em Londrina. Do início do ano até o momento, foram registradas 868 notificações relacionadas à doença. Deste total, seis casos foram confirmados, 291 descartados e outros 571 estão em andamento, aguardando o resultado de exames laboratoriais.

N.com

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios