Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.
Assembleia Legislativa do Estado do Paraná

Realizado em parceria entre o poder público e sociedade civil organizada, planejamento estratégico é o mote que norteia todos os segmentos

Em live realizada hoje, através das redes sociais da Prefeitura, foram apresentados os trabalhos iniciais de elaboração do MasterPlan, o plano estratégico que direcionará o desenvolvimento de Londrina pelos próximos 20 anos. Durante a transmissão, também foram discutidos os resultados de dois estudos realizados pelo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), referentes ao Ecossistema de Inovação da cidade.

Fabrício Bianchi (Sebrae), Claudia Romariz (Fórum Desenvolve Londrina), Bruno Ubiratan (Codel) e Fernando Moraes (Acil). Foto: Vivian Honorato

Realizado em parceria entre o poder público e diversas entidades da sociedade civil organizada, o conjunto de ações tem como objetivo delinear os caminhos a serem percorridos nas próximas décadas, de olho no progresso econômico e social.

O prefeito de Londrina, Marcelo Belinati, agradeceu às instituições participantes dessas iniciativas – incluindo o Sebrae, a Associação Comercial e Industrial de Londrina (ACIL), o Fórum Desenvolve Londrina e o Núcleo de Desenvolvimento Empresarial de Londrina, entre outras –, e ressaltou que a cidade vive um novo momento, voltado à atração de empresas e geração de empregos. “É um período histórico para Londrina. Esses estudos, que serão seguidos em conjunto pelo poder público e sociedade, permitirão a cidade potencializar o que temos de melhor, atraindo grandes empresas e promovendo o desenvolvimento. Esse momento já começou, com a transferência de grandes companhias para cá e a realização de obras como a Cidade Industrial (CILON), que comprovam a vocação do município para a industrialização. Vamos deixar um legado para Londrina”, afirmou.

De acordo com o diretor-presidente do Instituto de Desenvolvimento de Londrina (CODEL), Bruno Ubiratan, os estudos realizados beneficiarão Londrina em diversos setores. “Grandes cidades do Brasil e do mundo fizeram planejamentos estratégicos como o MasterPlan, e agora colhem seus frutos. É uma ação que gerará efeitos positivos em áreas como a economia, indústria, saúde e educação, não só para Londrina como também em nível regional. Essa demanda estava sendo discutida havia dez anos, e agora se torna realidade. Junto com a organização do ecossistema de inovação, o plano contribuirá para transformar Londrina em um centro de tecnologia, gerando muitos empregos e atraindo empresas para a cidade”, frisou.

O presidente da ACIL, Fernando Moraes, agradeceu à gestão municipal por ter colocado em prática as demandas da sociedade civil organizada. “Agradeço ao poder público por ter escutado a sociedade organizada e tomado essas iniciativas. O Tecnocentro, que vai implementar um ecossistema de inovação em Londrina, será fundamental para todas as empresas de inovação da região. Já o MasterPlan é um planejamento essencial para que mais companhias venham para cá, deixando a cidade mais organizada, com um horizonte a seguir”, disse.

Segundo a presidente do Fórum Desenvolve Londrina, Cláudia Romariz, os indicadores fornecidos pelo MasterPlan serão cruciais para o fomento da economia local. “As empresas trabalham com indicadores e planejamento, e a cidade precisa ter um planejamento estratégico definido para poder atrai-las e se desenvolver. Esse trabalho vai engajar toda a cidade e será muito importante para desenhar o futuro de Londrina. É um olhar de longo prazo, com o objetivo de construir uma cidade melhor para as próximas gerações”, destacou.

MasterPlan

Contratada através de processo licitatório, a empresa MacroPlan terá um prazo de 18 meses para elaborar o MasterPlan, que formulará ações e políticas estruturantes para o desenvolvimento econômico e urbano de Londrina até o ano de 2040. O plano visa integrar diversas áreas como a saúde, educação, economia, segurança pública, mobilidade urbana e meio ambiente. Trata-se de uma visão planejada e pormenorizada, que detalhará projetos e metas, assim como os recursos e a disciplina necessária para a sua execução.

O consultor da MacroPlan, Rodrigo Souza, explicou que, além de ser baseada em dados e indicadores, a elaboração do estudo também contará com a participação da sociedade londrinense. “O plano pertence a todos os londrinenses, e analisa todas as dimensões da vida em sociedade. Para que todos possam estar a par do seu desenvolvimento, vamos disponibilizar um portal chamado Londrina 2040, com todas as informações sobre o trabalho. Além disso, contaremos com perfis nas mídias sociais, que serão voltados para ouvir e interagir com a população”, pontuou.

Ecossistema de inovação

O Sebrae Londrina divulgou, durante a live, os resultados de dois estudos conduzidos pela entidade, referentes ao ecossistema de inovação do munícipio. Entre outros dados, os levantamentos apontam os setores prioritários do município com maior potencial de inovação, sendo eles: construção civil; economia criativa; destinos turísticos inteligentes (DTI); agronegócio; eletrometalmecânico; químico e materiais; saúde; e tecnologia da informação e comunicação (TIC).

As áreas definidas serão contempladas por três projetos estruturantes. O primeiro propõe um modelo conceitual para o uso do Tecnocentro, cuja implantação estará concluída no primeiro semestre de 2021; o segundo consolida a união entre as governanças dos principais setores produtivos do município, para fortalecer o campo da tecnologia e inovação; e o terceiro cria a Governança do Ecossistema de Inovação – também chamada de “Ponte da Inovação” – que terá como propósito estimular a interação e cooperação entre instituições públicas e privadas, potencializando o desenvolvimento da sociedade londrinense por meio do estímulo ao conhecimento, desenvolvimento tecnológico e empreendedorismo.

O gerente da regional norte do Sebrae, Fabrício Bianchi, disse que Londrina pode avançar ainda mais nos campos da inovação e empreendedorismo, ocupando os principais rankings dessas áreas. “É uma satisfação muito grande poder fazer parte desse processo em que tantas outras instituições e setores econômicos estão envolvidos. Essa agenda positiva é resultado da integração entre os setores público e privado, e a Prefeitura tem contribuído muito para os avanços que estamos tendo”, concluiu.

NCPML

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios