Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.
Assembleia Legislativa do Estado do Paraná

Chamamento, que contempla duas vagas, é voltado para um representante da sociedade civil e um membro do poder público estadual ou federal

O Conselho Municipal de Transparência e Controle Social de Londrina (CMTCSL) está com um edital aberto para a seleção de dois integrantes, que farão parte do órgão durante o período 2021-2023. O chamamento é voltado para um representante da sociedade civil e um membro do poder público estadual ou federal, proveniente de instituições como a Receita Federal, Defensoria Pública União (DPU), Ministério Público Estadual ou Fórum Estadual de Londrina, entre outras.

Os interessados deverão comparecer à 88ª Reunião Ordinária do CMTCSL, que acontecerá no dia 5 de abril, a partir das 19 horas, no Auditório da Prefeitura de Londrina (Av. Duque de Caixas, 635, 2o andar). Todos os procedimentos respeitarão as normas de saúde e segurança relativas à prevenção da transmissão do novo Coronavírus.

Para se inscrever no processo seletivo, é preciso enviar, previamente, os documentos solicitados ao endereço de e-mail conselhotransparencialondrina@gmail.com. No caso de pessoas físicas, deve-se apresentar documento de identificação com foto. Para representantes do poder público, é requerido, além do documento de identidade, uma carta de credenciamento assinada pela autoridade máxima em nível local. Todas as informações constam do edital de chamamento, que está disponível na página 30 da edição nº 4293 do Jornal Oficial do Município.

Caso haja mais de um interessado para uma das vagas, os membros do Conselho escolherão o novo integrante por meio de votação. A participação no órgão é voluntária e envolve atividades em três eixos de atuação: Metas e Indicadores; Capacitação e Engajamento; e Prevenção e Combate à Corrupção. Entre as atribuições dos membros do CMTCSL, estão: engajar-se nas reuniões e discussões promovidas; propor soluções e levantar pautas relevantes; contribuir para a implantação de políticas públicas; atender outros conselhos; e estimular a participação popular nas iniciativas de controle social.

Segundo o presidente do Conselho de Transparência, Auber Pereira, os integrantes do órgão devem ser pessoas proativas e empenhadas na resolução de problemas sociais. “O trabalho do Conselho tem como foco tanto a sociedade atual quanto a que vamos deixar para as gerações futuras. Por isso, é importante que os membros sejam pessoas interessadas em pautas perenes, como a defesa dos direitos humanos e a melhoria dos serviços públicos”, explicou.

NCPML

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios