Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Iniciada em setembro, a nova cadeia pública de Londrina terá capacidade para 752 presos e receberá detentos que estão em delegacias das cidades próximas, além de Londrina.

O projeto prevê 6.469 metros quadrados de área construída em um terreno na Rodovia João Alves da Rocha Loures, s/nº, bairro Ouro Branco -, ao custo total de R$16, 8 milhões. Segundo o Governo do Estado, o cronograma de execução prevê a conclusão dos serviços até o final de 2020.

Para o vice-lider do governo, deputado Tiago Amaral, a cadeia vai resolver um dos grandes problemas em Londrina e municípios próximos que são os presos em delegacias. “Temos um número extremamente elevado de presos em delegacias, não apenas em Londrina, como também em Cambé, Ibiporã e outras cidades, atrapalhando o trabalho da polícia civil queacaba fazendo o trabalho de agente penitenciário, cuidando de preso. Com a construção da cadeia, os policiais poderão se dedicar ao trabalho de investigação. Haverá melhora da investigação e qualidade de vida dos policiais civis, assim como no combate à criminalidade”, afirma Tiago Amaral.

Fugas

Recentemente houve uma tentativa de fuga na delegacia de Cambé que está superlotada. Foi projetada para 54 detentos, mas está com 178. Deste total, 70 são condenados, ou seja, deveriam estar em presídios.Na delegacia de Ibiporã - com 195 presos e capacidade para apenas 35 - houve fuga de 51 detentose na mesma semana 8 presos escaparam em Bela Vista do Paraíso.

Segundo Tiago Amaral, que também é relator do Orçamento, a luta para a construção da cadeia vem há dois anos. Atualmente o Paraná tem 30 mil presos. Vinte mil em presídios e dez mil deles estão detidos em delegacias. O déficit do estado é de dez mil vagas.

A unidade de Londrina faz parte de um pacote na área de segurança pública que inclui a construção de cadeias públicas em Foz do Iguaçu, Ponta Grossa e Guaíra. Essas unidades são parte de um programa de 15 obras, entre construções e ampliações, para o sistema prisional estadual. Também serão construídas novas cadeias públicas em Umuarama e União da Vitória. As licitações devem ocorrer a partir do ano que vem.

Concurso

O Depen fará concurso público para contratação de agentes penitenciários para atender essa demanda. No concurso autorizado pelo Governo do Estado estão previstas 238 vagas para agentes de cadeia. No total, serão ofertadas 3.038 vagas. Os cargos são para 2 mil policiais militares, 400 bombeiros militares, 50 delegados de polícia, 300 investigadores e 50 papiloscopistas da Polícia Civil, além das 238 vagas para agentes de cadeia.

Rosi Guilhen/Asimp/ALP

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios