Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Os kits de primeiros socorros serão distribuídos para as equipes de guardas municipais em serviço na cidade

A Secretaria Municipal de Defesa Social adquiriu recentemente diversos kits de equipamentos destinados a prestar o Atendimento Pré-Hospitalar de Combate (APH-C). A ideia principal do dispositivo é minimizar o risco de morte do agente público e de terceiros em caso de necessidade extrema, visando a primeira intervenção fora do ambiente hospitalar.

Inicialmente, a Defesa Social pretende manter ao menos um kit de APH-C em cada umas das viaturas de área que realizam patrulhamento preventivo nas diversas regiões da cidade, até que sejam adquiridos novos equipamentos que possam contemplar todos os servidores da instituição.

Cada kit é composto por 11 itens, incluindo bolsa modular IFAK (Individual First Aid Kit); torniquete; gaze de preenchimento com agente hemostático; gaze de preenchimento sem agente hemostático; bandagem elástica (compressiva); cânula nasofaríngea; selo de tórax; cobertor de emergência; bolsa de calor instantâneo; tesoura ponta-romba e luva de proteção.

Os equipamentos foram adquiridos por meio de recursos do Ministério Público do Trabalho – MPT, através de um projeto apresentado pela Secretaria de Defesa Social.

Doutrina

A doutrina do APH-C vem ganhando grande visibilidade no Brasil, voltada ao atendimento realizado fora do ambiente hospitalar, em geral em regime de urgência, garantindo o primeiro atendimento no local onde o problema se desencadeia, visando a estabilização da vítima antes de ser encaminhado ao serviço médico especializado.

A doutrina mais atual do APH-C é baseada no protocolo M.A.R.C.-1, que foi desenvolvido pelo grupo TIGRE, pautado nos protocolos de combate utilizados pelos maiores exércitos do mundo.

O M.A.R.C.-1 é o nível mais básico do APH-C, entretanto, demonstra grande efetividade na finalidade de salvar vidas.

Qualificação – A Guarda Municipal possui vários servidores habilitados no protocolo emergencial MARC1, formados pelos membros do Comitê Brasileiro de APH em Combate. Estes guardas municipais, por meio do Centro de Formação (CFGM) estão disseminando o conhecimento básico aos demais colegas, até a oficialização do curso ministrado pelos membros do Comitê, o qual já se encontra em fase de agendamento.

Durante a fase do Estágio de Qualificação Profissional (EQP) 2021, os guardas estão tendo aulas sobre a composição e funcionalidade dos equipamentos que compõem o kit, com ênfase na aplicabilidade do torniquete, como principal equipamento para contenção de sangramento massivo em membros inferiores e superiores.

NCPML

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.