Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

A Região Metropolitana de Londrina enfrenta novamente a ameaça de instalação de praça de pedágio no PR 445, antes de Mauá da Serra. A informação foi confirmada na audiência pública de ontem, 5, da Frente Parlamentar da Assembleia Legislativa e, de imediato, o deputado estadual Tercilio Turini rechaçou a proposta. “A população não vai aceitar. Vou levantar a voz e mobilizar a comunidade para impedir esse pedágio”, afirmou.

Segundo informou o consultor da FIEP, João Arthur Mörh, a inclusão da PR 445 entre novas rodovias pedagiadas do Paraná está nos planos do governo federal. O local ainda não estaria definido, mas há indicativos de que seria entre o distrito de Irerê e Mauá da Serra. “Isso é uma loucura, Londrina e municípios da região vão pagar de novo a conta? E como ficam as pessoas que moram em Tamarana e outras localidades, quando precisam se deslocar a Londrina?”, questiona.

Tercilio Turini alerta sobre os prejuízos para o Norte do Paraná: “Hoje são cinco pedágios na viagem para Curitiba e seis até o Porto do Paranaguá. E ainda surge essa ideia absurda de instalar mais um pedágio. É inaceitável mais um custo desse para a população”, reforça. Ele vai buscar mais informações sobre essa ameaça e, se confirmada, pretende iniciar um novo movimento de lideranças regionais para lutar contra a proposta.

“O pedágio na PR 445 vai penalizar praticamente todos os distritos rurais de Londrina, que ficam na região Sul do município. Produtores rurais e moradores utilizam a rodovia diariamente, a intenção de pedagiá-la prejudica um contingente enorme da população. Também cria obstáculos para o desenvolvimento de Londrina, porque é para o lado Sul que estão as maiores áreas de expansão econômica”, enfatiza Tercilio Turini.

O deputado foi indicado coordenador das discussões de novos contratos na Frente Parlamentar do Pedágio da Assembleia Legislativa do Paraná.

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios