Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

A já tradicional comemoração do Dia do Samba por músicos voluntários em Londrina este ano tem uma novidade: a festa começa mais cedo, às 16h, com matinê para as crianças e famílias. Na sequência, às 20h, a roda do Samba Delas e seus convidados completam a celebração, com clássicos do gênero e uma homenagem a Beth Carvalho. A programação acontece neste domingo, 02 de dezembro, no Bar Valentino, e conta ainda com feira de artesanato e o som brasileiro trazido pelos DJs Nate Mônaco, Rei e Fran.

Esta é a 13ª edição da comemoração em Londrina, dando continuidade a uma história iniciada pelo músico Wilsinho Soler, sempre com o objetivo de reunir a comunidade do samba na cidade e de colaborar com a Casa de Apoio Madre Leônia. A instituição, onde a mãe de Soler é voluntária, dá apoio a pacientes que buscam tratamento contra o câncer em Londrina.

A programação da matinê será comandada pelo grupo Tem criança no samba, que irá apresentar aos pequenos convidados mais que especiais, entre eles Seo Nelson, Joaquim Braga, Silvia Borba e Marquinho Gomes. “São mestres do gênero que atuam em nossa cidade, e queremos que as novas gerações conheçam a riqueza de conhecimento que eles têm para compartilhar conosco”, afirma o músico Rafael Rosa. Junto com ele estarão Rakelly Calliari, Rafael Fuca, André Gião e Fábio Farinha, que há oito anos se dedicam a brincar de música popular brasileira com o público infantil. 

Já a roda de samba será puxada pelo projeto Samba Delas, que tem valorizado a participação feminina em um cenário musical tradicionalmente dominado pelos homens. O grupo começou a se articular por iniciativa da cantora e atriz Raquel Palma no feirão da resistência agrária realizado pelo Movimento de Artistas de Rua de Londrina, e está ganhando novas adeptas e outros espaços, com um grupo de estudos periódicos e a recente participação no 1º Encontro Nacional de Mulheres na Roda de Samba. A roda também terá convidados, como o cantor Caco Piacenti, do grupo Entre Nós, e cantores que participaram do último “Estação Samba”, promovido pela pesquisadora Juliana Barbosa.

“Pensamos sobre os movimentos que ocorreram este ano na cidade, e acredito que este Dia do Samba representa bem o espírito de uma época”, afirma Juliana, que é organizadora do evento, ao lado de Camila Taari e Rakelly Calliari. 

Dia Do Samba

A origem da data tem mais de uma versão, mas o fato é que não faltam motivos para se comemorar: dia 02 de dezembro marca a gravação do primeiro samba registrado, Pelo Telefone, em 1916. Também é data da publicação de um manifesto resultado do 1º Congresso Nacional do Samba, realizado no Rio de Janeiro em 1962. E, ainda, para os baianos é o dia em que Ary Barroso visitou Salvador pela primeira vez, em 1940. A efeméride é reconhecida pelo poder público em Santos, Salvador e no Rio de Janeiro.

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios