Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.
Assembleia Legislativa do Estado do Paraná

Com a ajuda da Prefeitura de Londrina, artesãos e empreendedores estão divulgando seus produtos na internet

Quem está procurando lembranças e presentes para esta Páscoa pode conferir os produtos do Programa Municipal de Economia Solidária (ECOSOL) – uma iniciativa da Prefeitura de Londrina, por meio da Secretaria Municipal de Assistência Social (SMAS). Na página de Instagram do Economia Solidária (https://www.instagram.com/ecosol_londrina/), há alguns exemplos do que vem sendo produzido pelos participantes do programa.

Entre outros itens de artesanato temático, o público encontra ovos de chocolate sortidos, de colher, trufados, gourmet, recheados e com a tampa aberta; bombons; almofadinhas de páscoa, com bolsos para guardar barras de chocolate; coelhos de pelúcia; enfeites para decorar cestas, incluindo cenouras de tecido; e porta-lixos para carros, com decorações alusivas às festividades.

Para adquiri-los, é preciso fazer o pedido, por Whatsapp, aos empreendedores. Os contatos deles estão disponíveis na página do Instagram. Além disso, a população pode retirar os itens pessoalmente, de segunda a sexta-feira, das 13h às 17h, na Casa de Economia Solidária – Café e Arte, que fica na fica na Praça 7 de Setembro, na esquina da Rua Professor João Cândido com a Rua Piauí. Também é possível realizar compras na sede do Centro Público do Economia Solidária, localizado na Avenida Rio de Janeiro, 1.278, com horário marcado com os produtores, ou em outro local a combinar.

Para quem quiser conferir outras produções, não relacionadas à Páscoa, é possível acessar a página de Facebook do Programa (Clique aqui). Ali, os interessados encontram quites para fazer enxoval de bebês;  conjuntos de fraldas em tecido; itens de costura criativa; bordados; brinquedos pedagógicos de feltro; lembrancinhas de aniversário; bonecas de fuxico; e chaveiros decorados, entre outros objetos.

Segundo a secretária municipal de Assistência Social, Jacqueline Micali, a pandemia do novo coronavírus trouxe diversos desafios para todos, inclusive àqueles que têm seu sustento diretamente vinculado aos empreendimentos. Por isso, ao adquirir um produto feito no Programa Economia Solidária, a população está contribuindo para o fortalecimento da geração de renda local, de forma consciente e solidária, e ajudando aqueles que mais sofreram com as mudanças ocorridas na economia.

 “Os itens produzidos através do Programa Economia Solidária apresentam uma alternativa frente àqueles fabricados por empresas tradicionais, porque, no programa, eles são feitos seguindo um modelo organizacional que enfatiza os empreendimentos solidários. Esse sistema é baseado em novas formas de convivência e de organização, amparadas na cooperação, na equidade, na sustentabilidade, no associativismo e microcrédito, e não apenas focalizadas na geração de lucro”, explicou a secretária de Assistência Social.

Em Londrina, esse modelo de empreendimento vem sendo estimulado desde 2003, quando foi realizada a 1ª Feira de Economia Solidária e Geração de Renda (Feisol), com a ajuda das secretarias municipais de Assistência Social, de Agricultura e Abastecimento, de Políticas para as Mulheres, do Idoso, Cultura, e com o apoio do Provopar, do Museu de Arte de Londrina, da Sercomtel, do Instituto de Desenvolvimento de Londrina (CODEL), e da Companhia Municipal de Trânsito e Urbanização (CMTU).

Em agosto de 2005, o Município implantou o Programa de Economia Solidária, que funciona até hoje, sob a coordenação da Secretaria Municipal de Assistência Social (SMAS), em parceria com a Cáritas Arquidiocesana de Londrina.

NCPML

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios