Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Atividades começam no dia 1 de fevereiro com reunião administrativa e planejamento com professores; as aulas remotas iniciam em 4 de fevereiro

A Prefeitura de Londrina, por meio da Secretaria Municipal de Educação (SME), está prestes a iniciar o calendário do ano letivo de 2021 para toda a rede municipal de ensino. Enquanto não há previsão de retomada presencial das aulas, as atividades continuarão sendo realizadas de forma remota e com consultas individualizadas. O formato é semelhante ao que já vinha sendo desenvolvido em 2020, desde que as aulas presenciais foram suspensas, no mês de março, devido à pandemia do novo coronavírus.

O ano letivo começa oficialmente no dia 1 de fevereiro, quando ocorrem reunião administrativa e planejamento envolvendo os professores. Já os alunos retornam às aulas no dia 4 de fevereiro, com atividades remotas, valendo para todas as escolas municipais, Centros Municipais de Educação Infantil (CMEIs), bem como as unidades escolares filantrópicas conveniadas. A partir do dia 4, também passam a ser entregues os kits de atividades pedagógicas, mediante agendamento com as famílias, que estão sendo contatadas e informadas pelas escolas.

No decorrer de fevereiro, também serão colocadas em prática as consultas pedagógicas, conforme recomendações dadas às unidades escolares. Para 2021, o Plano de Biossegurança elaborado pelas unidades escolares indicará as diretrizes e protocolos a serem seguidos na retomada presencial, que ainda não tem uma data confirmada. O prefeito Marcelo Belinati prorrogou, via decreto nº 85/2021, a suspensão das aulas presenciais em Londrina até o dia 28 de fevereiro. A medida vale para instituições de ensino públicas e privadas e poderá ter nova prorrogação.

Investimentos

Pensando em todo o ano letivo, a SME vem fazendo uma série de investimentos para que todas as unidades escolares estejam preparadas para retomarem suas atividades presenciais. Para continuar prestando atendimento de qualidade, fornecendo todas as condições estruturais, sanitárias e de saúde adequadas, já foram investidos R$ 8.274.975,71 na compra de insumos para a manutenção da higiene e saúde no retorno às aulas presenciais. O planejamento e execução de recursos orçamentários para aquisições desta natureza vem acontecendo desde o início da pandemia, e dentre as aquisições estão itens como álcool em gel, álcool líquido 70%, máscaras para alunos e professores, face shield, avental para professores que atuam com crianças de 0 a 3 anos, termômetros digitais para medição de temperatura, tapete sanitizante, totem, dispenser de parede para álcool em gel e borrifadores.

As aquisições também abrangem lixeiras com pedal, água sanitária, suporte para rolo de papel higiênico e papel toalha. Também foram adquiridas embalagens de marmitex em alumínio e saco plástico para talheres com o intuito de atender as recomendações sanitárias durante o servimento da merenda escolar.

Além disso, o Município adquiriu material escolar e de expediente visando assegurar as condições de estudo para todos os alunos. Em 2021, todos os alunos matriculados na rede municipal receberão kits de material escolar, além de uniforme escolar, contemplando peças de verão e inverno.

De acordo com a Secretária Municipal de Educação (SME), Maria Tereza Paschoal de Moraes, as escolas municipais, CMEIs e CEIs estão com todas as condições sanitárias e de promoção da saúde asseguradas para um retorno seguro desde agosto de 2020. “Temos investido muito para que a reabertura das unidades escolares aconteça de forma segura para toda a comunidade escolar”, disse.

Desde março de 2020, as unidade escolares municipais vem atendendo os alunos de forma remota com aulas e atividades virtuais e/ou impressas para aqueles que não tem acesso à internet. Para viabilizar essa ação os professores da rede municipal receberam chip o que favorece o atendimento aos alunos e famílias. Em 2020, os professores trabalharam com atendimento remoto e presencial, individualizado, por meio de “consultas pedagógicas”, desde novembro, totalizando mais de 8.000 atendimentos.

Os professores mediadores têm atuado junto aos alunos e famílias em situação de vulnerabilidade com a entrega de gêneros alimentícios, material escolar, kits para estudos impressos, bem como, apoio às crianças vítimas de violência e abuso sexual.

NCPML

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios