Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Nesta quarta-feira (23), cerca de 5 mil estudantes vão eleger os 19 representantes da comunidade estudantil para a Câmara Mirim edição 2020

Quase 5 mil estudantes, de escolas públicas e particulares da cidade, participam amanhã (23) da votação para a escolha dos 19 “vereadores” e “vereadoras” que comporão a legislatura de 2020 da Câmara Mirim, programa de educação política desenvolvido pela Câmara Municipal de Londrina. Ao todo, 106 candidatos (54% homens e 46% mulheres) disputam as vagas. As eleições nesta quarta-feira ocorrem a partir das 8h30 nas próprias instituições de ensino que participam do programa, com o uso de urnas eletrônicas e regras orientadas pela equipe da Justiça Eleitoral. O resultado será conhecido na sexta-feira (25). 

Criada em 2017, a Câmara Mirim permite que estudantes do 5º ano do ensino fundamental ao 2º ano do ensino médio atuem como se fossem vereadores, em “sessões” realizadas no Legislativo. O “mandato” dura um ano e desde 2018 a escolha dos alunos pela comunidade escolar segue todos os trâmites de uma eleição oficial, por meio de uma parceria da Câmara de Londrina com o Tribunal Regional Eleitoral do Paraná/Justiça Eleitoral de Londrina que desenvolve o programa Parlamento Jovem.

Campanhas

Para que fosse possível a eleição nesta quarta-feira, professores e estudantes das instituições de ensino inscritas passaram por capacitação da Justiça Eleitoral durante o mês de outubro. Em um primeiro momento, os estudantes interessados se filiam a um dos cinco partidos políticos fictícios criados dentro do programa Parlamento Jovem: PVS (Partido Vida e Saúde); PLRD (Partido Liberdade, Respeito e Dignidade); Pelice (Partido Esporte, Lazer e Integração da Comunidade Escolar), PEC (Partido Educação e Cultura) e o PSPCV (Partido Segurança Pública e Combate à Violência).

Posteriormente, os candidatos das legendas são escolhidos em “convenções partidárias”, com o registro das candidaturas e o início da campanha eleitoral nas escolas. Os estudantes das instituições participantes recebem títulos eleitorais fictícios e alguns deles são preparados para atuar como mesários no dia da eleição. As urnas eletrônicas são, então, preparadas pela Justiça Eleitoral, com as fotos e as informações dos concorrentes. No processo eleitoral deste ano serão utilizadas 38 urnas, sendo 18 consideradas como reserva de contingência. Com início no período da manhã, as eleições prosseguem durante os períodos vespertino e noturno, dependendo da orientação de cada escola.

Após a homologação do resultado das eleições, na próxima sexta-feira (25), a Justiça Eleitoral fará, em 27 de novembro, a diplomação dos estudantes eleitos. A posse será realizada em sessão solene, na Câmara de Londrina, na primeira semana de fevereiro de 2020.

Serviço

Na manhã desta quarta-feira o presidente da Câmara de Vereadores Ailton Nantes (PP) e o juiz Luiz Valério dos Santos, titular da 146ª Zona Eleitoral (Londrina) acompanharão o processo eleitoral nas escolas. Nantes estará na Escola Educativa (Rua Castro Alves, 626) às 9h30 para conversar com alunos e professores. Na Escola Educativa de Londrina, oito candidatos (seis homens e duas mulheres) concorrem a uma vaga para representar a instituição de ensino na Câmara Mirim. Ao todo, 462 alunos participarão da votação, que vai até as 17 horas. Em seguida, às 11 horas, o parlamentar e o juiz visitarão o Colégio Estadual Marcelino Champagnat (Rua São Salvador, 998) onde cerca de 200 estudantes escolherão um dos cinco candidatos da escola (três homens e duas mulheres).

Asimp/CML

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios