Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

A Engefoto Engenharia e Aerolevantamentos teve a melhor colocação entre empresas que disputam a elaboração do projeto de engenharia para a duplicação dos 50 km de Irerê a Mauá da Serra. A empresa, que tem sede em Curitiba, recebeu nota técnica 99,6 e apresentou o menor preço, que foi de R$3.265.796,68.

Em segundo lugar ficou o Consórcio Prodec-Unidec com nota técnica 92,25 e preço de R$4.305.662,04. Em terceiro lugar o Consórcio Viaponte-Concresolo com nota 83,25 e preço R$3.559.373,01. O consórcio Coba - Engevix não teve a proposta avaliada.

A divulgação das notas e preços ocorreu na sexta-feira (17), no DER, em Curitiba. Antes de anunciar a vencedora, a Comissão de Licitações vai analisar a proposta de preço para saber se a empresa terá condições de executar a obra com o valor proposto. O preço referencial orçado pelo DER/PR é de R$ 5,6 milhões. As notas técnicas são baseadas na experiência prévia, na qualificação dos profissionais e no plano de trabalho.

De acordo com a comissão, essa fase é mais rápida. O resultado será enviado ao Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) - financiador do projeto - para a “não objeção”. A previsão é concluir a licitação e contratar a vencedora até fevereiro.

“Nós tivemos hoje uma excelente notícia porque na avaliação do próprio DER a melhor proposta também é da empresa que apresentou o menor preço, já que essa modalidade de licitação é uma composição com base na qualidade e custo. E a grande notícia é que a empresa poderá entregar o projeto em um ano, três meses a menos do que está previsto no edital”,  comentou o deputado Tiago Amaral, vice-líder do Governo na Assembleia Legislativa do Paraná, e integrante da Comissão de Infraestrutura de Londrina e região, que reúne entidades da sociedade civil organizada com o objetivo de definir as obras prioritárias para Londrina e região, assim como cobrar e acelerar obras e projetos prioritários para a expansão econômica da região norte.    

Projeto

O projeto de engenharia está dividido em dois trechos. O trecho 1, que começa na BR-376, no acesso a Mauá da Serra, e vai até a entrada do acesso à Lerroville, tem quase 27 km. Já o trecho 2, que começa depois do acesso a Lerroville e vai até o KM 50, tem quase 23 km.

Comissão de Infraestrutura

Criada em julho de 2017, a comissão reúne entidades da sociedade civil organizada com o objetivo de definir as obras prioritárias para Londrina e região, assim como cobrar e acelerar obras e projetos prioritários para a expansão econômica da região norte.  Por meio do trabalho da comissão foram conquistadas importantes obras de infraestrutura e logística, como a duplicação da PR-445, entre Londrina e Irerê, uma antiga reivindicação regional que está em andamento; a conclusão do novo traçado do projeto do Contorno Norte (em 3 etapas), e as três passarelas na PR 445, em Cambé e Londrina. A Comissão atua também para viabilizar as obras dos viadutos Bratislava, em Cambé, e Grêmio (na Angelina Ricci Vezozzo), em Londrina.

Atualmente  integram a comissão deputado Tiago Amaral, Associação Comercial e Industrial de Londrina (ACIL), Sociedade Rural do Paraná (SRP), Clube de Engenharia e Arquitetura de Londrina (CEAL), Sinduscon Norte, Sindimetal, Grupo Folha de Comunicação, Associação das Empresas do Polo Industrial de Cambé (AEPIC) e Associação Médica do Londrina. Recentemente, a OAB e o CREA também se uniram à comissão.

Rosi Guilhen/Asimp

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios