Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Revendedora de autopeças comercializa mais de 100 mil itens e deve contratar até 70 profissionais, nos próximos anos, além dos empregados indiretos

Ontem (19), o superintendente da empresa catarinense Scherer SA Comércio de Autopeças, Carlos Alberto Scherer, esteve reunido com o secretário do Trabalho, Emprego e Renda, Gustavo Santos, o presidente do Instituto de Desenvolvimento de Londrina (Codel), Bruno Ubiratan, e com o superintendente da Casa Civil do Governo do Paraná, André Martins, para anunciar a vinda de um novo negócio para Londrina. O encontro aconteceu no gabinete do prefeito Marcelo Belinati.

A revendedora de autopeças atua com as linhas leve e pesada, agrícola e para motocicletas, em que comercializa mais de 100 mil itens. Ela conta com 21 lojas, espalhadas pelos Estados de Santa Catarina, Rio Grande Sul e Paraná. Neste último, está nos Municípios de Francisco Beltrão, Toledo e Ponta Grossa, e com a construção de novas sedes em Pinhais, Guarapuava e, agora, em Londrina.

Atualmente, 1.600 pessoas trabalham para a Scherer Autopeças, mas a expectativa é que, até dezembro deste ano, ela chegue a 2.000 funcionários diretos. Em Londrina, a intenção é que, inicialmente, 35 a 40 pessoas sejam contratadas. Nos próximos três anos, a revendedora estima chegar a 70 funcionários diretos contratados, além dos colaboradores indiretos para os trabalhos de segurança, distribuição de produtos, limpeza e outros. A sede em Londrina deve ficar na Avenida Tiradentes, em frente à Companhia Cacique de Café Solúvel, região oeste.

Segundo Scherer, a visita à Prefeitura de Londrina deu-se em função da apresentação da empresa, com fins de dar celeridade à instalação da mesma. “Somos uma empresa parceira e viemos para melhorar o atendimento no ramo de autopeças. Escolhemos Londrina, porque vimos na cidade um potencial econômico muito grande e sabemos que precisamos dar celeridade, junto aos órgãos competentes e oficiais, para que as coisas fluam de acordo com as nossas contratações de funcionários e fornecedores, para que a loja esteja pronta no tempo certo para abrir”, disse o superintendente da empresa.

Sobre isso, o secretário de Trabalho, Emprego e Renda, Gustavo Santos, explicou que a Prefeitura de Londrina, por meio de suas secretarias e autarquias, está à disposição para ajudar na instalação desse empresa e de outras. Um exemplo disto é o apoio dado durante todo o processo de seleção dos funcionários, sem custos para as empresas. “Nós fazemos a pré-seleção dos colaboradores, por meio de uma lista com 5 mil nomes de pessoas que procuram uma oportunidade de emprego, além de termos uma condição excepcional de, em um curto espaço de tempo, atender a demanda da empresa de forma gratuita. A vinda de empresas para nossa cidade melhora a arrecadação de ICMS e gera emprego e renda para a cidade”, lembrou Santos.

Durante o encontro o presidente da Codel, Bruno Ubiratan, lembrou também do bom momento em que Londrina vem passando. Isso pode ser percebido com a instalação de grandes indústrias e empreendimentos, como é o caso do Centro de Distribuição do Magazine Luiza, da multinacional Tata Consultancy Services (TCS) e da J.Macêdo, além de grande publicações como a classificação do Município entre as “Melhores Cidades para Fazer Negócios 2.0”, produzido anualmente para a revista Exame pela empresa de consultoria e inteligência Urban Systems.

 “A vinda de novas empresas para nossa cidade é sempre motivo de comemoração, porque significa geração de emprego e renda, desenvolvimento, aumento na arrecadação de ICMS e circulação do dinheiro na economia local. Isso demonstra mais uma vez o bom momento em que Londrina está vivenciando e a nova política de investimentos no Município e em todo o Estado do Paraná, com quem estamos conversando para que a duplicação do trecho Londrina-Curitiba aconteça”, pontuou o presidente da Codel.

Segundo o superintendente da Casa Civil do Governo do Paraná, André Martins, a intenção é que o Estado do Paraná torne-se cada vez mais atrativo para a vinda de novas empresas, o que também engloba as tratativas com as instituições responsáveis pela duplicação de Londrina até a capital. “É um sonho que seja duplicada a faixa entre Londrina e Curitiba. Nós torcemos para que isso aconteça, mas não é um esforço apenas do Governo do Paraná e de Londrina, mas de todos os envolvidos. Acreditamos que em breve isso possa acontecer”, disse

O chefe de gabinete Moacir Sgarioni participou da reunião.

NCPML

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.