Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.
Assembleia Legislativa do Estado do Paraná

A empresa londrinense do setor metalmecânico, Indusfrio, foi selecionada, em primeiro lugar, no edital de inovação do Programa Agro 4.0, da Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI), que visa estimular e fomentar o uso de tecnologias no agronegócio. O projeto Usina Biológica Soluções para Agricultura, desenvolvido em parceria com a startup Usina Biológica e a Sociedade Rural do Paraná (SRP), receberá R$ 300 mil para financiar a automatização e aplicação de inteligência artificial em um equipamento criado para cultivar percevejos em ambiente controlado.

O gerente de novos negócios da Indusfrio, Sérgio Henrique Pacheco, explica que a empresa trabalha há cerca de dois anos em um equipamento de agricultura em ambiente controlado.

 “Já temos vários clientes no setor de cana e testes com outras culturas”, conta. Em parceria com a startup Usina Biológica, a indústria começou a desenvolver um projeto de cultivo de percevejos para serem usados como biodefensivos nas lavouras de soja e milho. O combate às larvas, que atacam as lavouras, se dá por meio dos ovos dos percevejos presentes nas plantações. “A larva inocula o ovo e morre”, afirma.

Com o protótipo pronto, agora, os recursos captados no edital serão usados para desenvolver processos de automação, formatar um banco de dados e aplicar inteligência artificial nas câmaras frias. Segundo Pacheco, o sucesso da participação no edital é resultado da capacitação oferecida pelo INOVEMM – Ecosistema de Inovação do setor MetalMecânico e Elétrico, em parceria com o Sindimetal Norte e Sebrae, que organizaram um curso para ensinar elaborar e escrever projetos para a captação de recursos para financiar inovação. “Sem dúvida, o curso nos ajudou muito na captação desses recursos para o projeto”, confirma.

 presidente do Sindimetal Norte do Paraná, Marcus Vinicius Gimenes, destaca a transversalidade do setor, que neste projeto específico, se une à Tecnologia da Informação (TI), para atender uma demanda do agronegócio.

“Antes, quem estavam mais preparadas eram as empresas de grande porte. A ideia é desmistificar o processo e mostrar que as micros e pequenas empresas também podem ter acesso a esses editais”, afirma.

O consultor do Sebrae/PR, Eduardo Ribeiro Bueno Netto, diz que, especialmente, as pequenas, encontram dificuldades na captação de recursos por meio de editais por desconhecimento de como funcionam os processos.

 “O curso de um mês, promovido de forma online para indústrias do setor metalmecânico, levou informações para que os empresários aproveitem as oportunidades do mercado e consigam financiar novos projetos, de olho na escalabilidade dos produtos”, afirma.

O 1º Edital do Programa Agro 4.0 acompanhará a implantação de 14 projetos pilotos no Brasil de adoção e de difusão de tecnologias 4.0 no agronegócio, de forma a identificar modelos viáveis de aplicação de soluções, focadas em aumento de eficiência, de produtividade e redução de custos. O programa é uma iniciativa da Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI) com os ministérios da Economia (ME), da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) e da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI).

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios