Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

A linha de crédito será criada a partir de recursos repassados pelo Município a título de garantia

A linha de crédito que será criada, a partir de recursos do Município, para socorrer empresários londrinenses durante a pandemia da covid-19 oferecerá empréstimos de R$ 15 mil a R$ 60 mil. Poderão recorrer ao financiamento os vendedores ambulantes regularizados, os microempreendedores individuais (MEIs) e também as micro e pequenas empresas da cidade. Os detalhes foram apresentados na sessão ordinária de ontem (28) da Câmara de Londrina pela editora-executiva da Sociedade de Garantia de Crédito do Norte do Paraná (Garantinorte-PR), Joyce Giron, e pelo assessor-executivo do Instituto de Desenvolvimento de Londrina (Codel), Rogério Issao Kodani.

Por meio do projeto de lei 55/2020, aprovado em 15 de abril pelos vereadores, o prefeito Marcelo Belinati (PP) foi autorizado a alocar R$ 5 milhões como garantia de financiamentos a serem concedidos por instituições financeiras a empresários e empreendedores de Londrina, a partir de um convênio do Município com a Garantinorte. Os recursos devem gerar R$ 50 milhões em empréstimos. O objetivo é auxiliar financeiramente os empresários que tiveram seus ganhos reduzidos após o isolamento social necessário para conter a propagação do novo coronavírus.

Convidado a participar da sessão por meio de requerimento do presidente da Câmara, vereador Ailton Nantes, Rogério Issao Kodani explicou que a carta-fiança expedida pela Garantinorte vai facilitar a obtenção de créditos pelos empresários. "Muitos empresários procuram as instituições financeiras e às vezes não conseguem empréstimo pela ausência de garantias. É aí que a Garantinorte vai entrar. O objetivo [com a garantia] é conseguir taxas menores do que as de mercado", disse.

Segundo Joyce Giron, os recursos aportados pelo Município permitirão atender cerca de 850 empresas e empresários de Londrina. Ela explicou que o primeiro passo para quem deseja acessar o crédito é procurar a Garantinorte-PR. No caso de empresas, a instituição vai avaliar a saúde financeira do negócio e solicitar alguns documentos, como balanço dos últimos exercícios, faturamento dos últimos 12 meses e extratos bancários. No caso de MEIs, serão solicitados, entre outros, comprovantes de renda e residência. Com a carta-fiança, o interessado vai, então, buscar o crédito com uma das instituições financeiras conveniadas com a Garantinorte. "Após conseguir essa carta de garantia, a pessoa vai ao banco, que pode aprovar ou não o empréstimo. Mas é muito difícil negarem a operação após a liberação da nossa carta", disse.

De acordo com Joyce, a linha de crédito que será lançada para o momento de pandemia oferecerá empréstimos de R$ 15 mil a R$ 60 mil. O prazo de carência será de até seis meses ou, em alguns casos, de até 12 meses. Os valores poderão ser pagos em até 36 meses – ou em até 60 meses se o empréstimo for concedido pela Fomento Paraná.

Fundo da Câmara

O fundo garantidor de R$ 5 milhões foi criado a partir da destinação de R$ 20 milhões do fundo de reforma da Câmara para a Prefeitura utilizar em ações relacionadas ao novo coronavírus. Dos R$ 20 milhões, R$ 5 milhões serão repassados para a garantia de créditos, R$ 5 milhões para o Hospital Universitário de Londrina (HU) e R$ 10 milhões para demandas geradas pela crise da covid-19 nas áreas de saúde e assistência social.

Asimp/CML

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios