Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Intenção é apontar os fluxos de atendimento que os profissionais precisam seguir, para que as crianças e adolescentes recebam o atendimento adequado

Estão abertas as inscrições para o curso “O papel da rede de proteção no enfrentamento à violência contra crianças e adolescentes”, que acontecerá de 1º de julho a 1º de outubro, de forma on-line, por meio do site da Escola de Governo, da Prefeitura de Londrina.

O público-alvo são os profissionais da rede intersetorial de proteção à criança e ao adolescente de Londrina. Os interessados em participar, precisam se inscrever até o dia 15 de julho, na Escola de Governo (acesse o link aqui). “O curso surgiu de uma demanda referente às questões de violência que as crianças sofrem e para pensarmos em como proteger essas crianças. A intenção é divulgarmos o fluxo de atendimento e de proteção às crianças e aos adolescentes, que foi pensado pelo comitê”, explicou o coordenador do Comitê de Gestão Colegiada da Rede de Cuidado e Proteção Social das Crianças e dos Adolescentes Vítimas ou Testemunhas de Violência, Fábio Sato.

Tanto a inscrição quanto o curso são gratuitos. Para a atividade foram disponibilizadas cinco turmas e a carga horária total será de 50 horas. Não há limite de vagas. O objetivo é tratar sobre o atendimento às crianças e aos adolescentes vítimas de violência ou testemunhas de casos de agressão.

Dessa maneira, pretende-se oferecer a qualificação ao atendimento dessas situações e apresentar os fluxos para o atendimento e proteção dos menores de 18 anos. Isso porque, a violência contra criança e adolescente traz consequências e impactos, que podem deixar marcas e sequelas, muitas vezes, irreversíveis, caso não ocorra um atendimento adequado e fundamentado na política de atendimento integral a essa parcela da população.

Segundo Sato, serão abordadas os princípios do Sistema de Garantia de direitos da Criança e Adolescente, a Rede de Proteção, a violência frente ao desenvolvimento emocional e psíquico da criança, a abordagem profissional frente ao relato espontâneo da criança e adolescente, a Escuta Especializada e depoimento especial, os sinais e sintomas que sugerem violência e o fluxo de proteção à criança e ao adolescente vítima ou testemunha de violência.

NCPML

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios