Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Montante de créditos pode se converter em até R$ 50 milhões, com condições facilitadas e baixas taxas de juros para micro e pequenas empresas, além de MEIs

Desde que tiveram início os repasses financeiros para dar suporte a micro e pequenos empresários, via Fundo Garantidor de Crédito, houve aprovação de R$ 6,9 milhões, aproximadamente, para 140 empresas de Londrina. Por meio deste Fundo, uma iniciativa da Prefeitura e Câmara Municipal de Londrina, o objetivo é fortalecer o empresariado local prejudicado pela crise financeira decorrente da pandemia do novo coronavírus. Com taxas menores do que as praticadas no mercado, o programa continua oferecendo condições especiais para empréstimos que variam de R$15 mil a R$ 170 mil, em até 36 meses, conforme a linha escolhida.

O presidente do Instituto de Desenvolvimento de Londrina (CODEL), Bruno Ubiratan, enfatizou que o Fundo Garantidor abre um grande leque de giro para créditos aos empresários locais, em um momento de dificuldades para a economia. “O montante de empréstimos criado pelo Fundo pode se converter em até R$ 50 milhões. Para permitir essa margem ampla, o Município aportou R$ 5 milhões, de forma inédita. Trata-se de uma ajuda que vem sendo importante para muitas pessoas durante o enfrentamento à pandemia da Covid-19. Este incentivo é uma forma de o poder público poder auxiliar mais um dos segmentos que foram tão impactados no atual cenário”, frisou.

Dos cerca de R$ 6,9 milhões em valores já aprovados até o momento, mais de R$ 5,2 milhões foram oficialmente repassados em caixa, contemplando apoio a micro e pequenas empresas, além dos Microempreendedores Individuais (MEIs). Mais de 70% dos empréstimos concretizados responde pelos segmentos de comércio e serviço, sendo que ainda há adesões por indústrias. O Fundo é mantido por meio de convênio do Município com a Garantinorte-PR, que faz a aprovação dos empréstimos financeiros, gerando a carta de garantia àqueles que cumprem os requisitos necessários. Com a carta em mãos, os empresários podem obter o repasse dos valores junto a cinco instituições financeiras parceiras: Sicoob, Sicredi, BRDE, CRESOL e Fomento Paraná.

“Por parte da Prefeitura, a CODEL vem realizando trabalho de acompanhamento e fiscalização das movimentações financeiras realizadas, tendo acesso a relatórios mensais para o devido controle das ações”, apontou Ubiratan.

Segundo o gerente administrativo da Garantinorte-PR, Fábio Kawano, atualmente o ticket médio de acesso pelo Fundo está em pouco mais de R$ 50 mil, o que significa que o município de Londrina poderia ter, levando em conta essa base, até mil empresas beneficiadas. “Além da faixa de empréstimos, que vai de R$ 15 mil a R$ 170 mil, a oferta de prazos chega em até 36 meses, dependendo da linha de empréstimo. As taxas cobradas são de 0,50% até 0,70%, abaixo dos valores de mercado, que hoje circulam entre 1,45% e 2%”, detalhou.

Para Kawano, o montante já aprovado em créditos, em Londrina, deu suporte a muitas empresas, mas poderia ser ainda mais amplo. “É válido lembrar que hoje existem os programas nacionais do governo, também criados para dar suporte aos pequenos empresários, como o Pronampe e o BNDES FGI, que acabam oferecendo taxas de juros ainda menores do que as já reduzidas em relação ao mercado pelo Fundo Garantidor, além de maior tempo de carência, com até oito meses”, exemplificou.

Contato

Detalhes sobre como acessar o Fundo Garantidor de Créditos e condições ofertadas estão disponíveis junto à Garantinorte, pelos telefones  (43) 3323-5031 e (43) 99154-6615. Outro canal disponível  é o e-mail contato@garantinortepr.com.br , além do site www.garantinortepr.com.br – onde é possível realizar uma simulação.

Linhas

Na Linha Emergencial Covid-19, categoria especial criada para o enfrentamento à pandemia do novo coronavírus, a taxa pode ser de 0,50% ao mês mais CDI, a serem feitos em até 36 meses, com seis meses de carência; ou com juros de 0,59%, em 18 vezes, e seis meses de carência. Já a Linha Convencional funciona com juros de 0,70% ao mês, mais CDI, e parcelamento em até 36 meses com três meses de carência.

Como funciona

O Fundo Garantidor de Crédito se compromete a pagar até 75% da dívida existente dos empresários junto às instituições financeiras parceiras, quando encerradas todas as formas de cobrança ao devedor. Depois da análise de documentação e aprovação, é concedida uma Carta de Garantia de pagamento. Posteriormente, a documentação é enviada para a instituição financeira dar sequência no processo de abertura da conta, análise e liberação do recurso. As vantagens são facilidades nos empréstimos, com linhas de juros baixas, bem como a redução de riscos e danos às instituições.

NCPML

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios