Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Segunda maior cidade do Paraná, Londrina é um polo de iniciativas estimuladas pelo Governo do Estado. Um panorama das ações realizadas no município nos últimos dois anos e meio foi apresentado pelo governador Carlos Massa Ratinho Junior, de maneira virtual, a representantes de sete entidades do setor produtivo londrinense.

Segunda maior cidade do Paraná, Londrina é um polo de iniciativas estimuladas pelo Governo do Estado. Um panorama das ações realizadas no município nos últimos dois anos e meio foi apresentado pelo governador Carlos Massa Ratinho Junior a representantes de sete entidades do setor produtivo londrinense. O objetivo é estreitar laços entre as partes e estabelecer uma espécie de ligação direta entre os empresários e a administração estadual.

Foram apresentadas melhorias nas áreas de educação, saúde, agricultura, fomento, desenvolvimento, infraestrutura, concessões, habitação, energia, saneamento, segurança pública que a cidade já recebeu, bem como os investimentos que ainda estão previstos para os próximos anos. Uma das iniciativas mais recentes é o aporte para a Cidade Industrial de Londrina, já em obras.

“Londrina é a segunda maior cidade do Estado e é importantíssima para o desenvolvimento social e econômico do Paraná. Por isso, investimos em grandes transformações para a região, impulsionando crescimento em um movimento vinculado ao setor produtivo”, ressaltou o governador. "Esse movimento é perene. Temos Londrina como referência".

Marcia Manfrin, presidente da Associação Comercial e Industrial de Londrina (Acil), pontuou que o encontro foi um marco para o setor produtivo da cidade. “Esse é o início de uma comunicação direta com Londrina. Isso para nós é fundamental porque representamos mais de 80% do setor produtivo da cidade, que é a segunda maior do Paraná. Nosso objetivo foi trazer ao governador o apoio às ações do Governo”, afirmou.

“Ficamos muito felizes e agradecidos pela oportunidade de demonstrar tudo que Londrina tem realizado em termos de inovação, tecnologia e tantas outras ações que vem acontecendo e estreitar esse relacionamento direto que só trará ganhos para todos”, acrescentou Manfrin.

Gerson Guariente, vice-presidente do Sindicato da Indústria da Construção Civil do Paraná Norte (Sinduscon), reforçou que há vontade de trabalhar em consonância ao Estado. “Nós unimos essas entidades para fazer programas de longo prazo com metas e obrigações. Nosso encontro com o Estado é parte desse projeto”, afirmou.

PR-445 – Entre os investimentos planejandos, o governador ressaltou a duplicação da PR-445, rodovia que liga Londrina a Mauá da Serra. O trecho de 15,8 quilômetros de Londrina até o distrito de Irerê já foi concluído, e somou R$ 93,4 milhões em investimentos.

Atualmente, está em execução o projeto de restauração do trecho de Irerê a Mauá da Serra, mais 49,7 quilômetros de via duplicada. Ele será finalizado nas próximas semanas.

“Estamos trazendo investimentos importantes para a cidade. Um dos destaques é a PR-445, uma obra esperada por todos nós que será um ganho fantástico. Vamos poder fazer o trecho de Paranaguá a Londrina duplicada quase inteiramente duplicada nos próximos anos”, afirmou o governador.

Inovação

Na reunião, foi apresentado pelo Sebrae/PR um diagnóstico do ecossistema de inovação de Londrina, demonstrando a força que a cidade apresenta no setor de tecnologia. O expoente está nas agtechs, startups voltadas ao agronegócio, que representam um quarto de todas as startups paranaenses da área.

No total, a região de Londrina é a segunda no Estado com maior número de startups: 180, segundo o Mapeamento Startup PR 2021, realizado pelo Sebrae/PR. A principal categoria está nas agtechs, seguida por startups de saúde (23 empresas) e construção civil (18 empresas).

“Muitas startups foram criadas e se desenvolveram, empresas tradicionais estão sendo atendidas por elas. A inovação está sendo feita, gerando resultados, nota fiscal, contribuindo com empregos, renda e tributos. Foi importante poder trazer essas boas notícias, fruto da organização da sociedade civil de Londrina”, afirmou Fabrício Pires Bianchi, gerente da regional Norte do Sebrae/PR.

Nesse setor, uma das obras de impacto, realizada com R$ 2,9 milhões em recursos da Secretaria do Desenvolvimento Urbano e de Obras Públicas (Sedu), é a criação do Tecnocentro de Londrina. A obra foi iniciada em 2002 e paralisada diversas vezes. Retomada em 2019, hoje está em 95% de execução, com previsão de entrega para o fim de 2021.

O espaço, localizado no Parque Tecnológico de Londrina Francisco Sciarra, reunirá startups, incubadoras, aceleradoras, coworkings e outras entidades ligadas ao ecossistema de inovação da cidade. Serão cerca de 3 mil metros quadrados destinados a receber empresas. Ele será equipado com um laboratório de análise de alimentos, recepção, auditório, salas de reunião, sanitários, copa e estacionamento. A administração será da Prefeitura de Londrina.

“O ecossistema de Londrina tem vivido um momento tanto em termos de infraestrutura, com o Tecnocentro que será iniciado ainda esse ano, como com a presença de aceleradoras, e com envolvimento de diversos setores na geração de negócios. Temos planos para o futuro, mas neste momento já temos muita realização, com bons indicadores de que o que fazemos se mostra ser o caminho certo”, reforçou Bianchi.

Presenças

Compareceram ao encontro o vice-governador Darci Piana; os secretários do Desenvolvimento Urbano e Obras Públicas, João Carlos Ortega, e de Agricultura e Abastecimento, Norberto Ortigara. Do setor produtivo de Londrina, estiveram presentes o presidente do Sinduscon, Sandro Nóbrega; Afrânio Brandão, diretor vice-presidente da Sociedade Rural do Paraná (SRP); Nivaldo Benvenho, diretor de comunicação da SRP; Fernando Moraes, presidente da Federação das Associações Comerciais e Empresariais do Estado do Paraná (Faciap); Fabrício Pires Bianchi, gerente da regional Norte do Sebrae/PR, Ovhanes Gava, presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Londrina (Sincoval), Marcos Giménez, presidente do Sindicato das Indústrias Metalúrgicas, Mecânicas e de Materiais Elétricos do Norte do Paraná (Sindimetal), e Decarlos Manfrin, presidente do Clube de Engenharia e Arquitetura de Londrina (Ceal).

AEN

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios