Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Iniciativa, que envolve diversas instituições e entidades locais, apoiará projetos voltados à recuperação da economia e desenvolvimento do município

Confira na íntegra os cinco projetos estruturantes que serão priorizados no Pacto pelo Desenvolvimento de Londrina, apresentado ontem (3), pelo prefeito de Londrina, Marcelo Belinati, o presidente da Câmara de Vereadores, Jairo Tamura e  representantes da sociedade civil e associações dos setores empresarial, de serviços, de conhecimento e de inovação do município:

Retomada da Economia

O Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) elaborou, a partir de contrato firmado com a Prefeitura, e apoio do Núcleo de Desenvolvimento Empresarial de Londrina, um Plano de Retomada da Economia, voltado à identificação dos pontos de estrangulamento dos setores produtivos atingidos pela pandemia.

A partir de entrevistas com 839 proprietários de empresas e da análise de indicadores, comprovaram-se tendências como:

Queda das atividades e do faturamento do setor de turismo e eventos;

Dificuldade de acesso ao crédito;

Queda do consumo local;

Queda do faturamento do comércio varejista;

Aumento do desemprego;

Queda do faturamento no setor de prestação de serviços;

Suspensão das audiências e discussões de revisão do Plano Diretor de Londrina;

Existência de poucas indústrias de base tecnológica;

Elevação do trabalho informal;

Desatualização das empresas quanto às novas tecnologias, gestão, modelos de negócios e inovação.

Em resposta a esses desafios, o levantamento sugere uma série de ações imediatas direcionadas ao estímulo e recuperação da economia local:

Qualificação e reinserção profissional;

Sistema integrado de capacitação e orientação empresarial;

Compras públicas como estratégia de retenção de recursos;

Incentivo às compras locais;

Retomada das atividades do setor de turismo e eventos;

Sistema local de apoio ao crédito;

Aceleração de projetos inovadores;

Modernização da gestão (foco no atendimento às empresas);

Apoio ao empreendedorismo;

Atração de investimentos e empresas de base tecnológica;

Fomento ao associativismo;

Transformação digital das empresas;

Atração, desenvolvimento e retenção de talentos na cidade.

Através do Pacto pelo Desenvolvimento, as entidades signatárias comprometem-se a apoiar e acompanhar a implantação das medidas propostas pelo Sebrae e Núcleo de Desenvolvimento Empresarial. Além disso, buscarão, juntas, parcerias estratégicas com entidades locais, instituições estaduais e federais, bem como os recursos necessários para a viabilização de ações e projetos.

Ecossistema de Inovação

Outra agenda prioritária é o fortalecimento do Ecossistema de Inovação de Londrina, para que o município se torne, cada vez mais, um ambiente favorável à criação e consolidação de empresas de base tecnológica. Com esse objetivo, serão feitos incentivos ao aprimoramento dos processos de transferência de tecnologia entre a academia e o mercado.

Também será viabilizada, em conjunto com organizações parceiras, a imediata implantação e gerenciamento do Centro de Desenvolvimento Econômico (Tecnocentro) de Londrina, nas novas instalações construídas pela Prefeitura, em parceria com o Governo do Estado. O Tecnocentro implementará as estratégias desenvolvidas pela Governança do Ecossistema de Inovação, com vistas à geração de empresas de base tecnológica.

Além disso, são essenciais os esforços para a captação de novas empresas do setor e a atração, desenvolvimento e retenção de talentos criadores e empreendedores em Londrina, bem como o apoio às 10 governanças setoriais constituídas na cidade e aos eventos planejados pelas mesmas. As entidades integrantes do Pacto seguirão dando suporte à formulação de políticas públicas e legislação que incentivem e facilitem a inovação em nosso município.

Plano Diretor

Desde 2017, a gestão municipal busca um novo Plano Diretor do Município, com o objetivo de atualizar e aperfeiçoar legislações e diretrizes urbanas que se mostram esgotadas. Esse é o momento limite para que sejam apreciadas e votadas as propostas do novo Plano exigido por legislação federal, que estabelecerá coordenadas para as estruturas urbana, social, econômica e ambiental da cidade.

Dessa forma, as organizações signatárias pretendem realizar todos os esforços necessários para a aprovação, ainda em 2021, do Projeto de Lei no 207/2018 e das Leis Complementares, entre elas: a Lei do Perímetro Urbano; Lei de Uso e Ocupação do Solo; Lei do Sistema Viário; Lei de Parcelamento do Solo; Código de Obras; Código de Posturas; Código Ambiental; Código do Patrimônio Histórico e Cultural; e Código de Arborização.

Concessões públicas e infraestrutura

Será acompanhado o processo de concessão das rodovias pedagiadas que atravessam o norte do Paraná, cujo modelo e tarifas já se exauriram sem resultados indispensáveis, como a duplicação de trechos fundamentais para a segurança dos cidadãos e viabilidade do transporte e escoamento de bens e produtos.

Também serão abordadas as questões pertinentes às novas concessões relacionadas a Londrina: a implantação do Contorno Norte nos primeiros três anos de concessões; a duplicação das duas rodovias que ligam a cidade ao estado de São Paulo; e a proposta de implantação de mais um posto de pedágio da PR-445 no município de Londrina, que enfrenta resistência da comunidade londrinense.

Em relação a outras formas de transporte, serão enfocadas a implantação da nova concessionária aeroportuária, conectando as ações da cidade à nova fase do Aeroporto; e o processo de concessão da ferrovia de acesso a Londrina, com a finalidade de potencializar oportunidades de operações por diferentes modais. 

MasterPlan

As entidades signatárias se engajarão, de forma consistente, na elaboração já em curso do Planejamento Estratégico da cidade, reivindicação antiga de todo o setor produtivo. Essa participação poderá ocorrer diretamente – como membros do Comitê Institucional – ou de forma representada, interagindo e conduzindo grupos de trabalho e divulgação e, principalmente, coletando e formulando, junto aos públicos específicos de cada setor, diretrizes a serem cumpridas até o ano de 2040.

O MasterPlan busca traçar uma visão de futuro e identificar projetos em áreas essenciais como Educação, Saúde, Sustentabilidade, Segurança, Gestão Pública, Habitação, Transparência, Cultura, Economia Criativa, Turismo e Eventos, além de todas já mencionadas nos pontos anteriores.

O compromisso estabelecido pelo Pacto é o de não apenas construir o Planejamento Estratégico MasterPlan Londrina 2040, mas igualmente o de zelar por ele nos anos vindouros.

Entidades que assinam o Pacto: Prefeitura do Município de Londrina; Câmara Municipal de Londrina; Associação Comercial e Industrial de Londrina (ACIL); Sociedade Rural do Paraná (SRP); Sindicato da Indústria da Construção Civil no Estado do Paraná (Sinduscon); Sindicato das Indústrias Metalúrgicas, Mecânicas e de Material Elétrico do Estado do Paraná (SINDIMETAL); Sindicato do Comércio Varejista de Londrina (SINCOVAL); Clube de Engenharia e Arquitetura de Londrina (CEAL); Fórum Desenvolve Londrina; Sindicato da Indústria de Tecnologia da Informação do Paraná (TI Paraná); Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel);  Londrina Convention Bureau; Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Londrina (IPPUL); Instituto de Desenvolvimento de Londrina (Codel); Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae); Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (SENAC); Serviço Social do Comércio (SESC); Serviço Nacional de Aprendizagem Industria (SENAI); Sistema Nacional de Emprego (SINE); Arranjo Produtivo Local de Tecnologia da Informação (APL de TI) de Londrina e Região; Sindicato das Empresas de Assessoramento, Perícias, Informações, Pesquisas e de Serviços Contábeis de Londrina e Região (SESCAP); Sindicato dos Contabilistas de Londrina e Região (SINCOLON); Sindicato dos Trabalhadores do setor do Vestuário (SINTVEST); Sindicato dos Empregados no Comércio Hoteleiro, meios de Hospedagem e Gastronomia, Turismo e Hospitalidade de Londrina e Região (Sindehotéis); Sindicato das Indústrias de Panificação e Confeitaria do Norte do Paraná (SINDIPANP).

NCPML

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios