Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Lacen permite que HU faça os testes RT-PCR, considerado o "Padrão Ouro"; parceria entre o laboratório e a prefeitura permitirá realizar 200 exames por dia

O Laboratório Central do Estado (Lacen) habilitou o Hospital Universitário (HU/UEL) a fazer os exames de coronavírus como parte integrante do Sistema Estadual de Laboratórios de Saúde Pública (Seslab). O documento foi enviado na última sexta-feira (15) à reitoria da instituição e representa a última etapa dentro do processo de credenciamento do HU/UEL para realizar os testes, em consonância com a Resolução Estadual que estabelece critérios de qualidade e de biossegurança para as unidades da rede de laboratórios que prestam serviços para o Sistema Único de Saúde (SUS).

O documento reconhece o HU/UEL como unidade integrante do sistema Gerenciador de Ambiente Laboratorial (GAL), capacitado para fazer os testes RT-PCR, considerado o “Padrão Ouro” no diagnóstico do coronavírus. A habilitação foi pleiteada pela UEL a partir de articulação com as secretarias municipal e estadual de Saúde, a fim de descentralizar, no Paraná, os exames laboratoriais de testagem da Covid-19, com o objetivo de dar maior agilidade nos testes.

Os exames já estão sendo realizados por meio de parceria entre a Prefeitura de Londrina, que adquiriu os insumos para realização dos testes, e o HU/UEL, que faz a execução dos diagnósticos. O objetivo é ampliar substancialmente a capacidade de testagem da doença no município, chegando a realizar 200 testes por dia, o que permitirá ter um cenário mais fidedigno da circulação do vírus na cidade.

Com isso, a cidade, que já se coloca como a que mais realiza testes no estado do Paraná, por um milhão de habitantes, vai ampliar o protocolo do Ministério da Saúde vigente, que orienta a testagem apenas em pacientes graves em situação hospitalar, para um Protocolo Municipal, que possibilitará a testagem nos pacientes que têm sintomas leves da doença, mas com indicação médica.

O secretário municipal de Saúde, Felippe Machado, ressaltou que se trata de mais um avanço para a cidade de Londrina, que vem se destacando no enfrentamento ao novo coronavírus. “Um dos principais indicadores, estabelecidos pela Organização Mundial de Saúde (OMS) para controlar e monitorar a doença de forma adequada, é promover a testagem em massa da população”, frisou.

Segundo ele, o convênio com o laboratório do Hospital Universitário e a Prefeitura de Londrina vai permitir realizar os testes de acordo com critérios médicos em pessoas com sintomas leves. “Isso qualifica muito o processo de trabalho, em especial porque teremos um cenário mais real sobre a circulação do vírus na cidade de Londrina, reduzindo a subnotificação, pois a literatura mostra que a cada pessoa infectada pode existir de 8 a 15 outros casos positivos”, afirmou.

O reitor da UEL, Sérgio Carvalho, disse, em matéria publicada no portal da instituição de ensino, que os testes serão realizados de acordo com a mais avançada tecnologia, garantindo rapidez e qualidade e beneficiando o conjunto da sociedade. O reitor enalteceu a infraestrutura existente no Hospital Universitário e elogiou o trabalho conjunto desempenhado por várias lideranças da região e da Prefeitura de Londrina, que assinaram o convênio adquirindo os testes e colocando-os dentro do Laboratório.

NCPML

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios