Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Totem inaugurado, ontem (28), simboliza o movimento pela paz e ficará disponível à população

Para incentivar a cultura da paz e ajudar na prevenção à violência, ontem (28), o Lago Igapó II tornou-se palco de mais uma ação organizada pela Prefeitura de Londrina, pelo Conselho Municipal de Cultura de Paz (Compaz) e a Organização Não Governamental (ONG) Londrina Pazeando.

Isso porque, foi lançado o Totem do jogo “Trilha da Paz” e o Dado de Cultura de Paz, na Academia ao Ar Livre, que fica às margens Lago Igapó II, na Rua Bento Munhoz da Rocha Neto, esquina com a Avenida Higienópolis. Assim, crianças, adolescentes e adultos que utilizam o espaço para caminhadas, corridas e outros exercícios físicos ou mesmo para lazer poderão usufruir da brincadeira, que visa estimular o respeito e a não discriminação entre as pessoas.

Segundo o secretário do Compaz e gestor da ONG Londrina Pazeando, Luis Claudio Galhardi, a iniciativa de instalar o jogo na academia ao ar livre do Lago surgiu para materializar todo o trabalho que vem sendo realizado em Londrina há 19 anos. “O Totem é a materialização de tudo que a gente tem debatido a respeito da paz e tem feito em Londrina. Aqui é o cartão postal da nossa cidade e um local com grande circulação de pessoas, por isso aqueles que estiverem passeando por aqui poderão jogar o dado e brincar com a Trilha pela Paz. Isso vai unir as pessoas e fará dialogar sobre a não violência e o respeito a todos”, acredita.

Para a secretária municipal de Educação, Maria Tereza de Moraes, apesar de Londrina ser referência nacional na cultura pela paz, é preciso continuar estimulando esse debate, que influencia diretamente na aprendizagem das crianças e no convívio social. “Temos uma relação muito próxima com o COMPAZ, que nos ajuda nos cursos de justiça restaurativa, rodas de conversa e ciclos de mediação. Esse é o grande caminho. Temos que fazer a mediação dos conflitos, porque as escolas são locais onde geralmente se tem isso entre os alunos e as famílias, e, com certeza, trazer estas estratégias para a escola e para a vida dos alunos é fundamental. Porque no conflito, o aluno não vai aprender”, explicou Maria Tereza.

Além de influenciar na aprendizagem, dificultando a assimilação do conteúdo didático e no desenvolvimento social dos indivíduos, as situações de conflito também estimulam o crescimento da violência urbana. Por isso, para a juíza titular da 6ª Vara Criminal do Fórum de Londrina, Zilda Romero, é preciso trabalhar na prevenção e no combate a situações de agressão desde a primeira infância, na tentativa de garantir a paz nos lares nossos lares. “As crianças ouvindo falar sobre a paz, e sendo ensinadas desde a primeira infância, não vão permitir que aconteça a violência dentro de casa ou no ambiente familiar. Como juíza, acho esse projeto maravilhoso e quero caminhar com essa turma para motivá-lo e vou, inclusive, encaminhá-lo para o Tribunal de Justiça e para a ministra Carmen Lúcia”, disse a juíza.

Sobre o Totem e o jogo dos dados

É uma das versões do material pedagógico criado pelo Londrina Pazeando com o objetivo de contribuir com a implementação das Práticas Restaurativas nas escolas e a Prevenção à Violência, conforme a lei nº 12.467, de 6 de dezembro de 2016.

Ele apresenta a Trilha de Paz, que é um jogo de tabuleiro interativo, onde joga-se o dado e dependendo do número, o jogador lê uma mensagem de respeito ao diferente, de dignidade à pessoa humana, de não discriminação ou preconceito, de não aceitação de qualquer tipo de violência, seja física, sexual, psicológica, econômica ou social; assim como dos princípios do Manifesto 2000 da UNESCO.

Entre as mensagens, os jogadores são estimulados a compartilhar valores, como a solidariedade, a generosidade, a inclusão social e cultural, de não opressão política e econômica; em defesa da liberdade de expressão e a diversidade cultural; para a promoção de um comportamento de consumo responsável; de práticas que respeitem todas as formas de vida e preservem o equilíbrio da natureza no planeta; assim como o desenvolvimento de uma comunidade com a ampla participação da mulher e o respeito pelos princípios democráticos.

Por meio dessa iniciativa também foi firmada uma parceria com o projeto internacional Living Peace, que traz o jogo de dados pela paz. Atualmente, a entidade é reconhecida pela Organização das Nações Unidas (ONU) e é realizada em 165 países do mundo. A organização internacional é a responsável pela elaboração do dado pela paz, em que permite às crianças do mundo todo brincarem e aprenderam valores e princípios baseados no respeito às diferentes culturas.

Com o jogo, as crianças debatem seis pontos, que são respeitar a vida, rejeitar a violência, ser generoso, ouvir para compreender, preservar o planeta e redescobrir a solidariedade. A professora da Escola Municipal Normam Prochet, Francielle Zambon, explicou que a proposta instalada no lago Igapó fomenta debates e reflexões que muitas vezes são esquecidos no ambiente familiar. “O jogo de tabuleiro e o do dado pela paz fomenta reflexões que as crianças não fariam se não fosse pela brincadeira. Quando fizemos em sala, eles narraram situações de violência vivenciadas no trânsito e em casa, e discutimos sobre isso. Agora, eles farão uma poesia para concorrer no concurso de poemas”, explicou.

NCPML

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios